7

Quando definida a classe de contexto no Entity Framework (exemplo):

public class Context : DbContext
{
    public DbSet<Usuario> Usuarios { get; set; }
    public DbSet<Categoria> Categorias { get; set; }
}

E utilizada nas classes DAO ou nos Controllers:

private Context db = new Context();

Qual a melhor maneira de utilizar a referência a Context?
Seria mais performático se db fosse static?
Há literatura pertinente a respeito dessa questão, relacionada a um ambiente com bastantes usuários concorrentes?

7

DbContext não é uma classe thread-safe, então não deve ser usada como static (o que eu imagino que seja como um ). Os objetos anexados neste contexto também não são thread-safe, o que pode criar conflitos.

Isso faz com que a ideia de usar um contexto por Controller seja uma boa ideia, visto que ao destruir o DbContext de cada Controller, é chamado o método Dispose para cada DbSet, e consequentemente para cada objeto ligado a cada DbSet. Isto garante que quaisquer modificações pendentes sejam devidamente resolvidas na expiração do objeto.

Ainda assim, se for interessante usar um padrão para o DbContext na sua aplicação, poderia ser necessário escrever uma lógica adicional nas classes para verificar se o objeto está anexado ao contexto ou não, travar determinadas partes do contexto (como cada DbSet, por exemplo) como regiões críticas, e assim por diante, mas não creio que isso seja uma boa ideia.

2
  • 1
    Obrigado, @Cigano! Pena que só posso escolher uma resposta, porque a sua foi muito boa também. 25/02/14 às 18:18
  • 3
    Sem problemas. O importante é contribuir ;) 25/02/14 às 18:19
5

A um bom tempo atras estudei e li muito sobre o uso do EntityFramework e cheguei a uma metodologia de programação, onde eu instancio o context em cada método, passado, se for preciso, o contexto por referência a outros métodos que chamo. Procuro sempre usar a instrução using, garantindo assim que após a execução das instruções que necessitam do contexto o mesmo seja liberado de memória e liberando a conexão. Não sei o quanto essa maneira de programar é eficiente, mas nas aplicações que já tenho, nunca tive problema com performance.

private Usuario getUser(int id)
{
    Usuario usuario = null;
    using (var db = new Context()) 
    {    
       usuario  = (from x in db.Usuarios
            where x.UsuarioID == id && !x.Excluido
            select x).FirstOrDefault();
    }
    //outras instruções que não necessitam de conexão com o banco

    return usuario;
}
1
  • Parece ainda não haver um consenso se deve-se deixar isso ao cargo do GC ou usar using. Em todo caso, muito obrigado por sua contribuição! 25/02/14 às 21:33
5

Geralmente o DataContext é instanciado em cada objeto (um CRUD de Usuários por exemplo, portanto Class Usuários).
Não é uma boa prática usá-lo como singleton nem estático [ref 1], (sigleton != static). Aliás singletons devem ser minimizados numa aplicação [ref 2].

public class Usuarios
{
    private Context db = new Context();

    private Usuario getUser(int id){
        return (from x in db.Usuarios
                where x.UsuarioID == id && !x.Excluido
                select x);
    }

    private IEnumerable<Usuario> getUserList(){[..]}

    private bool SaveUser(Usuario info){[..]}
    [..]
}

Há quem instancie a cada método:

    private Usuario getUser(int id){
        var db = new Context();
        return (from x in db.Usuarios
                where x.UsuarioID == id && !x.Excluido
                select x);
    }

e há quem instancie em cada método desalocando com using:

    private Usuario getUser(int id){
        Usuario result = null;

        using (var db = new Context()){
            result = (from x in db.Usuarios
                where x.UsuarioID == id && !x.Excluido
                select x);
        }

        return result;
    }

Porém, conforme já discutido no SO-inglês, na prática torna-se desnecessário desalocar a variável do Contexto após usá-la já que o Garbage Collector já cuida disso logo após perceber o fim do uso da variável de Contexto. Aliás por essa causa, não só desnecessária como um anti-padrão (anti-pattern) por sobreuso.

Referências:

1
http://www.britishdeveloper.co.uk/2011/03/dont-use-singleton-datacontexts-entity.html
https://stackoverflow.com/questions/4735498
https://stackoverflow.com/questions/4735498

2
https://stackoverflow.com/questions/137975
https://stackoverflow.com/questions/1020312
https://stackoverflow.com/questions/86582/singleton-how-should-it-be-used?rq=1

1
  • Muito obrigado pela resposta, completa e com bastante potencial ao aprimoramento. Já vou resolver o uso de static em alguns desses casos no meu app. 25/02/14 às 18:18
3

Se você criar uma context para cada objeto, como no primeiro exemplo, você terá problema se os objetos são associados, exemplo: Pessoa e Endereco, onde Endereco aponta pra Pessoa. Assim, quando você tiver uma instância de Pessoa em uma context e uma instância de Endereco em outra context e precisar ligar esse Endereco à Pessoa, vai dar erro dizendo que não pode porque fazem parte de contexts diferentes.

Como no segundo exemplo, só é possível se você consegue resolver tudo em um só método. Horrível! Exemplo: eu posso ter um método que pesquisa pessoa pelo cpf.

Pessoa.pesquisaCpf(string cpf)

Neste método eu retorno uma pessoa e preciso fazer uma pesquisa utilizando uma context. Depois eu preciso criar um Endereco, usando o meu mesmo exemplo, e utilizo o construtor de Endereco, que vai criar outra context. Aí já vai dar erro.

Pra resolver tudo isso eu ainda estou usando somente uma context criada no login do sistema. Não estou contente com isso, porque as alterações feitas no sistema por um usuário não são vistas por outro usuário em outra máquina, até que o mesmo refaça o login. Isso estou tentando arrumar.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.