1

Preciso fazer com que todos produtos sumam da tela, mas tenho produtos que já não estão na tela. Então minha pergunta é: Será que se eu esconder somente os produtos que estão visíveis terá um melhor desempenho? ao invés de dar um .hide() em todos os produtos, mesmo nos que já estão invisíveis

Por exemplo, qual seria o melhor desempenho desses dois trechos de código abaixo

$(".produto").hide().attr('invisible',true);

OU

$(".produto[invisible=false]").hide().attr('invisible',true);

3 Respostas 3

1

Seletores simples como .produto sempre vai ser mais rápidos que seletores complexos para buscar

Porém para mudar propriedades é provável que [invisible=false] seja mais rápido, já que alterar elementos DOM que já estão no corpo da página é mais custoso, então neste caso a consulta irá trazer menos elementos e isto tornará o processo com .hide mais rápido, pois teremos menos elementos.

Classes e perfomance

No entanto que a consulta de classes geralmente é mais rápida que a consulta de atributos, então ao invés de usar .attr('invisible',true); utilize uma classe, como:

Ocultar:

$(".produto:not(.hide)").addClass("hide");

Exibe:

$(".produto.visible").removeClass("hide");

Se quiser usar o efeito animado:

$(".produto:not(.hide)").hide(400, function() {
    $(this).addClass("hide");
});

$(".produto.hide").removeClass("hide").show();

Porém note que este tipo de optimização é minima.

Seletor :hide e :visibile

Também pode-se usar os seletores :hide e :visibile pode ser útil, por exemplo:

$(".produto:visible").hide();

e

$(".produto:hide").show();
  • 1
    Seguindo essa ideia de usar uma classe para visible e outra para invisible ganhei 2 segundos de performance na hora de executar o código :D – Silvio Andorinha 3/07/15 às 17:21
2

Aviso: infelizmente o jsperf, que seria a ferramenta mais prática para testar o que digo na minha resposta, tem tido problemas de estabilidade, e não estou conseguindo usá-lo no momento. Portanto considere que alguns dos meus argumentos podem ser tanto confirmados quanto desmentidos por um teste real de performance. E não se esqueça que a melhor opção pode variar de acordo com o browser.

Para entender os possíveis gargalos de performance nesses trechos de código, vamos ver quais operações eles realizam:

  1. $(...)– Cria uma array de objetos jQuery contendo todos os elementos que atendem ao seletor passado. Sempre que possível o jQuery usa a função nativa document.querySelectorAll para isso.
  2. .hide() – Executa um loop sobre a nossa array de elementos, escondendo todos eles, um a um.
  3. .attr('nome', valor) – Executa outro loop sobre a array, definindo o valor do atributo para todos eles, um a um.

A diferença entre os seus dois trechos de código está na operação 1, mas pode impactar nas outras duas.

Em teoria, selecionar apenas os elementos de um classe (como ".produto") é mais rápido que selecionar os elementos dessa classe que atendam a algum critério adicional (como ".produto[invisible=false]"). Porém isso pode depender de como o algoritmo de seleção é implementado em cada browser. E, também em teoria, selecionar atributos é mais lento – o que também depende da implementação.

Mas, supondo que o primeiro seletor é mesmo mais rápido, e as demais operações (os loops) são iguais nos dois trechos de código que você postou, então a primeira versão é mais rápida que a segunda, certo? Não necessariamente! A primeira versão tem potencial para selecionar mais elementos da página, já que é menos restritiva que a segunda, e isso pode influenciar no tempo de execução dos loops.

Imagine uma página com muitos produtos (sei lá, 5.000), mas apenas 10 visíveis. A primeira versão pode até selecionar mais rápido, mas vai selecionar 5.000 elementos, e depois iterar sobre esses 5.000 elementos duas vezes. Já a segunda iria selecionar só 10 elementos, e fazer 2 loops sobre esses 10, o que teoricamente é bem mais rápido e pode compensar a lentidão maior da seleção.

Conclusão

Em questões de desempenho como esta, a única maneira de se fazer um teste realista é reproduzir todas as condições da sua aplicação, e ver como cada variação se comporta. O que importa é como elas se comportam nessas situações, e não em qualquer situação possível. E se você testar as duas variações na sua aplicação, com usuários reais, nos diversos browsers que você pretende suportar, e ambas se saírem aparentemente bem, esqueça a questão do desempenho. O custo (em tempo, esforço) de micro-otimizações desse tipo é muito maior do que a melhora de desempenho que elas possam vir a proporcionar, e que geralmente é desprezível.

1

O primeiro será executado mais rápido, já que será necessário apenas encontrar todos os elementos com classe produto, enquanto o segundo código terá que encontrar esse mesmos elementos e, depois, verificar seu atributo invisible.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.