3

Estou com um problema ao utilizar migrations com o MySql.

Quando tento criar a primeira versão com Migrations ele está fazendo do schema/nome do banco parte do nome da tabela:

public partial class Initial : DbMigration
{
    public override void Up()
    {
        CreateTable(
            "vendas.produto",  // Aqui
            c => new
                {
                    ...
                })
            .PrimaryKey(t => t.Id);

        CreateTable(
            "vendas.vendaitem", // aqui
            c => new
                {
                    ...
                })
            ....
            .Index(t => t.ProdutoId);

        CreateTable(
            "vendas.venda", // e aqui
            c => new
                {
                    ...
                })
            .PrimaryKey(t => t.Id);            
    }

Estou tentando fazer a engenharia reversa de uma base existente para um mapeamento Code First com EntityFramework, então criei uma outra base, mais simples, só para simular o problema:

CREATE DATABASE `vendas` /*!40100 DEFAULT CHARACTER SET utf8 */;

CREATE TABLE `venda` (
  `Id` int(11) NOT NULL,
  `DataVenda` date NOT NULL,
  `SubTotal` double NOT NULL DEFAULT '0',
  `Desconto` double NOT NULL DEFAULT '0',
  `Total` double NOT NULL DEFAULT '0',
  PRIMARY KEY (`Id`)
) ENGINE=InnoDB DEFAULT CHARSET=utf8;

... entre outras

Utilizando o EntityFramework Power Tools eu fiz o mapeamento que gerou as classes simples e os mapeamentos por Fluent API.

Exemplo da classe Venda:

public class venda
{
    public venda()
    {
        vendaitems = new List<vendaitem>();
    }

    public int Id { get; set; }
    public DateTime DataVenda { get; set; }
    public double SubTotal { get; set; }
    public double Desconto { get; set; }
    public double Total { get; set; }
    public virtual ICollection<vendaitem> vendaitems { get; set; }
}

E seu mapeamento:

public class vendaMap : EntityTypeConfiguration<venda>
{
    public vendaMap()
    {
        // Primary Key
        HasKey(t => t.Id);

        // Properties
        Property(t => t.Id)
            .HasDatabaseGeneratedOption(DatabaseGeneratedOption.None);

        // Table & Column Mappings
        ToTable("venda", "vendas"); // <-- Aqui está o schema/database name

        Property(t => t.Id).HasColumnName("Id");
        Property(t => t.DataVenda).HasColumnName("DataVenda");
        Property(t => t.SubTotal).HasColumnName("SubTotal");
        Property(t => t.Desconto).HasColumnName("Desconto");
        Property(t => t.Total).HasColumnName("Total");
    }
}

Pelo o que entendo, para a primeira versão com Migrations, estando o mapeamento equivalente ao banco de dados existente a atualização do banco de dados (com update-database no Package Manager Console) deveria gerar os métodos Up e Down vazios e somente a tabela Migrations seria adicionada no banco de dados.

Porém, o Migrations de todas as tabelas são criadas e o comando Update-Database utilizando o Migrations gerado faz com que outras tabelas sejam criadas com os nomes vendas.venda, vendas.produto, venda.vendaitem.

Para utilizar o EntityFramework Power Tools para fazer o mapeamento configurei meu App.config com o seguinte código:

<?xml version="1.0" encoding="utf-8"?>
<configuration>
  <configSections>
    <section name="entityFramework" requirePermission="false" 
    type="System.Data.Entity.Internal.ConfigFile.EntityFrameworkSection, 
    EntityFramework, Version=6.0.0.0, Culture=neutral,PublicKeyToken=b77a5c561934e089" />
  </configSections>
  <connectionStrings>
    <add name="VendasContext" providerName="MySql.Data.MySqlClient"
    connectionString="server=localhost;user id=USUARIO; password=SENHA; 
    persistsecurityinfo=True; database=Vendas" />
  </connectionStrings>
  <entityFramework>
    <defaultConnectionFactory type="MySql.Data.Entity.MySqlConnectionFactory, 
    MySql.Data.Entity.EF6" />
    <providers>
      <provider invariantName="MySql.Data.MySqlClient" 
       type="MySql.Data.MySqlClient.MySqlProviderServices, MySql.Data.Entity.EF6" />
    </providers>
  </entityFramework>
  <system.data>
    <DbProviderFactories>
      <remove invariant="MySql.Data.MySqlClient" />
      <add name="MySQL Data Provider" invariant="MySql.Data.MySqlClient" 
        description=".Net Framework Data Provider for MySQL"
        type="MySql.Data.MySqlClient.MySqlClientFactory, MySql.Data />
    </DbProviderFactories>
  </system.data>
</configuration>

Instalei via NuGet:

  1. EntityFramework
  2. MySql.Data
  3. MySql.Data.Entity.EF6

A versão do EntityFramework é a 6.1.3 com .Net 4.5.
A versão do MySql.Data e MySql.Data.Entity.EF6 é 6.9.6.

Minha classe Configuration do Migrations:

internal sealed class Configuration : DbMigrationsConfiguration<Models.VendasContext>
{
    public Configuration()
    {
        AutomaticMigrationsEnabled = true;
        AutomaticMigrationDataLossAllowed = false;
        SetSqlGenerator("MySql.Data.MySqlClient", 
            new MySql.Data.Entity.MySqlMigrationSqlGenerator()); // necessário para usar 
                // Migrations com MySql
    }
}

Configuração na classe do Contexto:

protected override void OnModelCreating(DbModelBuilder modelBuilder)
{
    modelBuilder.Configurations.Add(new produtoMap());
    modelBuilder.Configurations.Add(new vendaMap());
    modelBuilder.Configurations.Add(new vendaitemMap());

    modelBuilder.Properties<string>().Configure(p => p.HasColumnType("varchar"));
}

Tendo essas informações, como posso resolver o problema com o Migrations?


Adicionando mais detalhes:

Esse é o banco que estou mapeando com o EntityFramework Power Tools:

banco de dados original

Então, após o uso da engenharia reversa com o EntityFramework Power Tools eu adiciono um migrations (Add-Migration Initial) que gera o primeiro trecho de código de DbMigration dessa pergunta.

Veja o nome que ele deu a tabela Vendas ("vendas.venda").

Então, efetuo o Update-Database e meu banco fica assim:

banco de dados alterado

Enfim, o Migrations gerado faz com que outras tabelas sejam criadas com os nomes vendas.venda, vendas.produto, venda.vendaitem.

Imagino que prefixo/schema/nome de banco não deveria ser adicionado ao nome da tabela ao criar a versão de Migrations (primeiro trecho de código da pergunta). E apenas criaria os métodos Up e Down vazios e, com isso, ao efetuar o comando Update-Database apenas a tabela _Migrations seria criada no banco de dados, com o primeiro registro de versão.

Quando o Update-Database foi criar a tabela _Migrations, também executou um erro:

Specified key was too long; max key length is 767 bytes

Essa deixarei para outra pergunta.


Tirando o schema das classes de configuração do mapeamento (classes com Fluent)

Tentei também por tirar o nome do schema das classes de configuração:

De:

// Table & Column Mappings
ToTable("venda", "vendas"); // <-- Aqui está o schema/database name

Para:

ToTable("venda"); // <-- Aqui está o schema/database name

Mas então os migrations são gerados com o schema dbo..

Exemplo:

    CreateTable(
        "dbo.produto",  // <-- schema dbo.
        c => new
            {
                ...
            })
        .PrimaryKey(t => t.Id);

E dessa forma também ao tentar aplicar o migration no banco de dados dá erro. Dessa vez acusa que as tabelas já existem.

Table 'produto' already exists

Dá a entender que ele ignora o dbo. mas não trata como uma tabela já existente.

  • Não entendi qual o problema. Aparentemente está tudo certo. Qual seria o prefixo que as tabelas geradas pela Migration deveriam ter? – Cigano Morrison Mendez 6/07/15 às 14:08
  • Olá @CiganoMorrisonMendez, obrigado pelo interesse. Desculpe se me expressei mal. Adicionei duas imagens, uma antes de usar Migrations e outra após efetuar o comando Update-Database. – JamesTK 6/07/15 às 17:50
  • Se alguém mais se interessar em ajudar, pode obter os fontes pelo GitHub. Grato! Link: github.com/JamesTKdev/Venda/tree/master – JamesTK 7/07/15 às 14:22
4
+100

Você pode customizar o gerador de código para Migrations:

public class MeuProprioMySqlMigrationSqlGenerator : MySqlMigrationSqlGenerator
{
    protected override MigrationStatement Generate(AddForeignKeyOperation addForeignKeyOperation)
    {
        addForeignKeyOperation.PrincipalTable = addForeignKeyOperation.PrincipalTable.Replace("vendas.", "");
        addForeignKeyOperation.DependentTable = addForeignKeyOperation.DependentTable.Replace("vendas.", "");
        MigrationStatement ms = base.Generate(addForeignKeyOperation);
        return ms;
    }
}

Registre-o no seu Migrations/Configuration.cs:

internal sealed class Configuration : DbMigrationsConfiguration<MeuProjeto.Models.MeuProjetoContext>
{
    public Configuration()
    {
        AutomaticMigrationsEnabled = false;
        SetSqlGenerator("MySql.Data.MySqlClient", new MeuProprioMySqlMigrationSqlGenerator());
    }

    ...
}

EDIT

Reimplementei a classe errada. Adicione também a seguinte classe:

public class CustomMySqlMigrationCodeGenerator : MySqlMigrationCodeGenerator
{
    protected override void Generate(CreateTableOperation createTableOperation, IndentedTextWriter writer)
    {
        // Descomente para debugar
        // if (System.Diagnostics.Debugger.IsAttached == false)
        //    System.Diagnostics.Debugger.Launch();

        var create = new CreateTableOperation(createTableOperation.Name.Replace("Vendas.", ""));

        foreach (var item in createTableOperation.Columns)
            create.Columns.Add(item);

        create.PrimaryKey = createTableOperation.PrimaryKey;

        base.Generate(create, writer);
    }
}

Se quiser trocar createTableOperation.Name.Replace("Vendas.", "") por uma solução genérica, fique à vontade.

A configuração ficou assim:

    public Configuration()
    {
        AutomaticMigrationsEnabled = true;
        AutomaticMigrationDataLossAllowed = false;
        SetSqlGenerator("MySql.Data.MySqlClient", new CustomMySqlMigrationSqlGenerator());
        CodeGenerator = new CustomMySqlMigrationCodeGenerator();
        SetHistoryContextFactory("MySql.Data.MySqlClient", (conn, schema) => new MySqlHistoryContext(conn, schema));
    }

Fiz um pull request com as modificações no seu repositório GitHub.

  • Infelizmente não consegui resolver o problema com seu exemplo e nem pelos métodos que encontrei em MySqlMigrationSqlGenerator. – JamesTK 6/07/15 às 19:58
  • @JamesTK Fez um debug? – Cigano Morrison Mendez 6/07/15 às 20:01
  • O que tentei foi utilizando Migrations, não dá para debugar. O que fiz foi tentar recriar o migration (Add-Migration Initial -force), continua aparecendo com prefixo "vendas". Tentei Update-Database para ver se iria remover o prefixo ao criar a base, mas continou criando outras tabelas. – JamesTK 6/07/15 às 20:11
  • Criei um exemplo em projeto console para inserir e listar registros no banco de dados. Funcionou sem causar alterações na base. Porém continuo com problemas ao tentar usar Migrations. Mas obrigado por tentar ajudar – JamesTK 6/07/15 às 20:46
  • 1
    Depois de tudo, muito contente com o resultado =D – JamesTK 7/07/15 às 23:16
1

Resumindo e sintetizando meu problema, as confusões em si que cometi e o que foi feito.

O EntityFramework Power Tools, pelo o que percebi, não fazer distinção de banco de dados ao gerar as classes de mapeamento.

Ao gerar as classes de mapeamento da minha base existente ele estava adicionando o nome do banco de dados como schema (apesar de se encontrar o termo schema no MySQL também, mas entendo o schema no MySQL como outra coisa, diferente do schema no SQL Server).

Exemplo do mapeamento:

public class ProdutoMap : EntityTypeConfiguration<Produto>
{
    public ProdutoMap()
    {
        ToTable("Produto", "Vendas");  // isso que ele faz
        ....
    }
}

Acredito que esse foi a principal confusão porque o MySQL não trabalha com schemas como o SQL Server e, ao gerar as classes de Migrations, o nome do banco era anexado com um ponto ao nome da tabela como o schema é feito no SQL Server.

Então adicionei ao projeto os arquivos T4 (.tt), para editar, e não adicionar mais o nome do banco de dados como nome de schema. Isso é necessário para qualquer outra base MySQL que se vá importar, principalmente com muitas tabelas.

E então as classes de mapeamento passaram a ter o método ToTable escrito dessa forma pela engenharia reversa do EF Power Tools:

public class ProdutoMap : EntityTypeConfiguration<Produto>
{
    public ProdutoMap()
    {
        ToTable("Produto");  // sem um nome para o esquema.
        ....
    }
}

Porém...

Até a ilustre e paciente ajuda do colega Cigano eu não tinha feito isso, estava deixando o nome do banco como nome de schema lá na classe de mapeamento e querendo gerar um Migration corretamente.

O colega Cigano quebrando cabeça para entender minha confusão atacou com as classes para geração de SQL do MySQL e a de geração de código (das classes de Migrations).

Certo, resolveu!!! =]

Obrigado, e já marquei como resposta aceita e a mais que merecida recompensa foi dada.

Todavia fiquei pensando, ao estar sobrescrevendo mais métodos da CustomMySqlMigrationSqlGenerator e da CustomMySqlMigrationCodeGenerator herdadas de MySqlMigrationSqlGenerator e MySqlMigrationCodeGenerator (o exemplo pode ser visto nesse histórico do GitHub no arquivo Configuration.cs)... Não é possível que tenham liberado as dll´s de suporte ao EF com esse problema de nome para as tabelas.

Então, o que antes estava configurado como:

internal sealed class Configuration : DbMigrationsConfiguration<VendasContext>
{
    public Configuration()
    {
        AutomaticMigrationsEnabled = true;
        AutomaticMigrationDataLossAllowed = false;
        SetSqlGenerator("MySql.Data.MySqlClient", new CustomMySqlMigrationSqlGenerator());
        CodeGenerator = new CustomMySqlMigrationCodeGenerator();
        SetHistoryContextFactory("MySql.Data.MySqlClient", 
            (conn, schema) => new MySqlHistoryContext(conn, schema));
    }
}

Testei com:

internal sealed class Configuration : DbMigrationsConfiguration<VendasContext>
{
    public Configuration()
    {
        AutomaticMigrationsEnabled = true;
        AutomaticMigrationDataLossAllowed = true;
        CodeGenerator = new MySqlMigrationCodeGenerator();
        SetSqlGenerator("MySql.Data.MySqlClient", new MySqlMigrationSqlGenerator());
        SetHistoryContextFactory("MySql.Data.MySqlClient", 
            (conn, schema) => new MySqlHistoryContext(conn, schema));
    }
}

Ou seja, sem precisar das classes que estávamos utilizando para remover o nome do banco do nome/schema da tabela.

Para finalizar, ainda não entendi porque estavam sendo gerados Migrations para as tabelas já existentes no banco de dados, então removi manualmente:

namespace Venda.Repositorio.Migrations
{
    public partial class Initial : DbMigration
    {
        public override void Up()
        {
        }

        public override void Down()
        {
        }
    }
}

E efetuei o comando Update-Database.

A tabela __migrations foi adicionada ao banco com o registro da primeira versão.

Adicionei mais uma propriedade na classe Venda, chamada Observacao do tipo string e mandei gerar mais um Migration.

Maravilha, funcionou:

namespace Venda.Repositorio.Migrations
{
    public partial class Versao_2 : DbMigration
    {
        public override void Up()
        {
            AddColumn("Venda", "Observacao", 
                c => c.String(unicode: false, storeType: "text"));
        }

        public override void Down()
        {
            DropColumn("Venda", "Observacao");
        }
    }
}

Então, Update-Database novamente e ocorreu tudo bem!!

Estou trabalhando com MySQL, EF e usando Migrations sem problemas.

Grato!

  • 1
    Testei com o CodeGenerator padrão do MySQL mas não funcionou, aí acabei escrevendo meu próprio CodeGenerator. Enfim, seu roteiro é ótimo para converter um database-first para um code-first. +1. – Cigano Morrison Mendez 8/07/15 às 3:02

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.