2

Estou com um problema, eu quero receber um arquivo e copiar as informações desse arquivo para uma matriz alocada por mim:

Conteúdo que existe dentro do arquivo:

2..E.5..A......D
....1E....7B80..
F.8.A.......C.4.
AC...3.F...E.61.
.3...C.45..2..BF
.D9.5..31.A..E0.
E5A...9..0..7C..
...C6..B.E..5.2.
.9......ED0F...C
.E...8.DC..A..F7
....EB7...9.....
5....FAC......D.
.6..C7B9....F.5.
8.........D.94.2
..2..D1...C63..B
.7..8..6.BF..D..

E quero copia-lo para uma matriz 16 por 16 que criei, e a função que faz isso esta aqui:

char** lerMatriz(char ** tabuleiro, char * arquivo, int l, int c)
{
    char** tabuleiroP;
    int i, j;
    char carac;
    FILE* p;

    p = fopen(arquivo, "r");

    for(i = 0 ; i < 16; i++)
    {
        for(j = 0; j < 16; j++)
        {
            tabuleiroP = fgets(tabuleiro, 256, p);
        }
    }

    for(i = 0; i < 16; i ++)
    {
        for(j = 0; j < 16; j++)
        {
            printf("%c", tabuleiro[i][j]);
        }
        printf("\n");
    }

    fclose(p);
}

Sendo o meu char** tabuleiro a minha matriz 16 x 16, char* arquivo a minha string que contém o nome do arquivo e int l e int c o número de linhas e colunas da matriz (16 x 16).

Qual seria o problema no meu código?

0

Tem vários problemas com o seu código. Vou falar os que eu achei mas não posso garantir que é uma lista exaustiva.

Em primeiro lugar não basta ler 256 caracteres da entrada e jogar direto na matriz. Você está esquecendo as quebras de linha ("\n")

Em segundo lugar, l e c são sempre 16 ou podem ser outros números também? Se for sempre 16 você não precisa passar eles como parâmetro e se não for sempre 16 você deveria estar usando esses limites ao invés de 16 nos seus loops.

De qualquer forma, um nome mais descritivo seria útil. Por exemplo, ncol ao invés de c.

Daqui pra frente eu vou assumir que é sempre 16, porque assim podemos usar alocação estática, que simplifica as coisas.

Um terceiro problema é que não está claro o que sua função faz, isso é: o que ela recebe e o que ela retorna. Qual a diferença entre tabuleiro e tabuleiroP? Poque você disse que a função retorna um char** mas não usa nenhum return?

Um quarto problema bastante importante é que você não está alocando espaço de armazenamento para a sua matriz. Simplesmente declarar um ponteiro não aloca espaço para um vetor. Além disso, char ** não é equivalente a 'char[16][16]`. A correspondência entre vetores e ponteiros só vale pra vetores de uma dimensão (e olhe lá).

Uma maneira que funciona pra resolver esse problema é fazer sua função receber uma referência pra matriz a ser preenchida e colocar os valores lidos dentro dela. Aproveitei também pra fazer a função receber um FILE* ao invés de um nome de arquivo, que é algo mais genérico (por exemplo, você agora pode ler a matriz do stdin ao invés de um arquivo nomeado)

#define NLIN 16
#define NCOL 16

void lerMatriz(FILE *arquivo, char out[NLIN][NCOL]){
    int c;
    for(int i=0; i<NLIN; i++){
        for(int j=0; j<NCOL; j++){
            c = fgetc(arquivo);
            if(c == EOF){ /*ERRO*/ }
            out[i][j] = c;
        }
        c = fgetc(arquivo);
        if(c != '\n'){ /*ERRO*/ }
    }
}

int main(){
    FILE *entrada = fopen("entrada.txt", "r");

    char tabuleiro[NLIN][NCOL];
    letMatriz(entrada, tabuleiro);


    for(int i = 0; i < NLIN; i ++){
        for(int j = 0; j < NCOL; j++){
            printf("%c", tabuleiro[i][j]);
        }
        printf("\n");
    }

    fclose(entrada);
    return 0;
}

A melhor maneira de tratar erros de leitura fica como exercício :)

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.