4

Qual a diferença entre as declarações de generics quando se faz uso de out e in?

Exemplo:

public class GenericClass<T> { }

public class GenericClassOut<out T> { }

public class GenericClassIn<T in> { }
  • Creio que sua dúvida já foi respondida em: stackoverflow.com/questions/10956993/out-t-vs-t-in-generics – Ivan Teles 18/06/15 às 1:36
  • 1
    @IvanTeles Sim, mas seria legal termos aqui uma resposta em português. Sinta-se à vontade para redigir uma, ou mesmo traduzir alguma do inglês (citando a fonte, claro). – bfavaretto 18/06/15 às 1:53
  • E tem a in também, por favor! – JamesTK 18/06/15 às 2:00
  • 1
    Relacionado: "O que são covariância e contravariância?". Não considero essa pergunta duplicada (pois esses conceitos são mais gerais, aplicando-se não somente a tipos genéricos mas também a outros contextos, como entrada e saída de funções), de modo que dei uma resposta mais contextualizada abaixo, sem entrar no mérito de explicar com detalhes os conceitos. – mgibsonbr 18/06/15 às 6:46
5

O out e o in tornam o tipo genérico covariante e contravariante, respectivamente.

Um exemplo de tipo covariante é o IEnumerable:

public interface IEnumerable <out T>: IEnumerable
{
    IEnumerator<T> GetEnumerator();
}

IEnumerable<string> strings = new List<string>();
IEnumerable<object> objects = strings;

Fonte, Fonte

Como a função de um IEnumerable é iterar sobre os membros de uma lista, e todo objeto de um tipo mais específico pode ser atribuído a uma variável de um tipo mais geral (i.e. um objeto string pode ser guardado numa variável object), então um objeto que "produz" uma sequência de strings também pode ser usado como "um objeto que produz uma sequência de objetos". Os elementos retornados serão os mesmos (as strings da lista), mas seu tipo estático será object e não string.

O contrário não é verdadeiro: um IEnumerable que produz uma sequência de objetos não pode ser usado [de forma segura] num contexto que espera uma sequência de strings (já que ele também pode produzir coisas que não são strings).

Um exemplo de tipo contravariante é o IComparer:

public interface IComparer<in T>
{
    int Compare(T x, T y);
}

IComparer<object> objects = ...;
IComparer<string> strings = objects;

Nessa caso a relação é oposta: se um IComparer é capaz de comparar objetos quaisquer, ele também é capaz de comparar strings (pois uma string é um objeto). De modo que ele pode ser usado num contexto que exige um comparador de strings. O contrário não é verdadeiro, pois um comparador que só sabe comparar strings não pode ser usado para comparar objetos arbitrários.

Por fim, um exemplo de tipo invariante (que não é nem co- nem contravariante) é o próprio IList:

IList<string> strings = new List<string>();
IList<object> objects = new List<objects>();

Como a lista tanto aceita quanto retorna objetos do tipo especificado, não se pode atribuir strings = objects (pois a lista poderia já conter elementos que não são strings) nem objects = strings (pois a lista não deveria poder receber elementos que não são strings). A conversão em ambos os sentidos é proibida, de modo a garantir a segurança de tipos. De modo que nem o in nem o out devem ser usados na declaração do tipo genérico:

public interface IList<T> ...
  • Obrigado pela resposta. Precisei ler várias vezes para entender!! =D rs.. Obrigado! – JamesTK 19/06/15 às 0:22

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.