13

Vinculado ao meu caso https://pt.stackoverflow.com/questions/69324/skype-monitoramento

Preciso de respostas que estejam embasadas em algo além do senso do achismo, tem gente que me diz que esta previsto na lei. Por exemplo:

Na Constituição Federal está, ou não, sendo violada? o art. 5º, XII: “…é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas etc...

Há algumas empresas que adotam contratos para que as pessoas sejam informadas e estejam cientes que medidas cabíveis e até mesmo justa causa em caso do profissional seja pego pelo monitoramento fazendo algo proibido pelo empregador.

Estes contratos são válidos, não são válidos? o funcionário pode optar por assinar ou não(sem sofrer penalidades)?

justificando conforme a central de ajuda tópico 5º https://pt.stackoverflow.com/help/on-topic

  • 7
    antes de votar em fechar esta pergunta quero argumentar que esta pergunta é baseada na primícia "dúvidas teóricas sobre conceitos e práticas aplicados ao desenvolvimento de software" onde preciso saber este conceito de legalidade do software antes de começar o desenvolvimento – SneepS NinjA 15/06/15 às 19:49
  • 2
    Não vejo como sendo uma pergunta sobre práticas aplicadas ao desenvolvimento de software - esta é uma pergunta sobre práticas aplicadas ao uso de recursos de TI na empresa, o que ocorre em todas as áreas de atuação e não está associada particularmente ao desenvolvimento de software. De qualquer modo: o sigilo da corresponedência é inviolável, mas numa empresa toda a comunicação pertence à empresa e não ao indivíduo, e o funcionário tem opção de não assinar o contrato caso ele não faça questão de assumir o emprego :-) – Caffé 15/06/15 às 20:22
  • Desculpe @SneepSNinjaA Votei por fechar pois para mim esta pergunta está fora do escopo, mesmo se tratando de uma empresa de TI. -- Sobre a duvida, apesar de ter boas respostas, acredito que a melhor pessoa para lhe orientar seja uma pessoa da área, como um advogado trabalhista. – Guilherme Nascimento 15/06/15 às 21:26
  • Esta pergunta está a ser discutida no meta: meta.pt.stackoverflow.com/questions/3947/… – Jorge B. 16/06/15 às 10:58
  • 2
    Este não seria um caso para adicionar a tag brasil na pergunta? – stderr 17/06/15 às 18:30

3 Respostas 3

14

Existem antecedentes. Se o software for entendido como ferramenta de trabalho, é igual a um telefone, e sua monitoração não configura violação dos artigos X e XII do art. 5º da Constituição Federal.

Entretando, os funcionários devem estar cientes do fato, via contrato de trabalho ou comunicação posterior.

Se a empresa falhar na comunicação do fato, pode se configurar uma violação dos artigos da constituição.

Fonte: Rito sumário 6914820135020 SP

  • 1
    obrigado @OnoSendai era alguma coisa nesse sentido que eu estava procurando, já tenho como montar um alicerce, agora é mão na massa. – SneepS NinjA 15/06/15 às 20:26
  • 1
    @SneepSNinjA Sempre um prazer ajudar. Vale mencionar que as respostas do Gustavo e do Edgar também possuem informações valiosas. – OnoSendai 15/06/15 às 23:26
7

Um contrato de trabalho é um contrato de prestação de serviços entre um empregador e um contratado.

Eu já passei por isso algumas vezes e já acionei meu advogado com essa questão. O que ocorre é que existem questões muito subjetivas. A empresa tem o direito de monitorar o que trafega em sua rede sob alegação de estar zelando por suas informações. Inclusive isso é passível de justa causa:

De acordo com o Item 7 de Art 482 da CLT, A revelação só caracterizará violação se for feita a terceiro interessado, capaz de causar prejuízo à empresa, ou a possibilidade de causá-lo de maneira apreciável.

A empresa pode fazer isso para re resguardar, mas é importante que isto esteja em contrato devidamente assinado por ambas as partes.

Ao aceitar o contrato você concorda com a política de empresa. O não aceite dá todo o direito da empresa não te contatar ou reincidir o contrato caso seja uma atualização na política interna.

Infelizmente estou te passando o conhecimento prático, pois sou analista não Advogado. Para uma resposta mais embasada eu sugiro que procure um Advogado Trabalhista.

EDIT

A resposta do OnoSendai é mais embasada que esta. Vou deixar aqui apenas para enriquecer.

6

Apenas complementando a resposta do OnoSendai, o Tribunal Superior do Trabalho vem entendendo que o e-mail pessoal do funcionário não pode ser monitorado, mas que o e-mail corporativo, todo tráfego no computador da empresa e/ou por qualquer outro programa atrelado a empresa, sim.

Veja uma decisão de 2014 (bem recente, jurisprudencialmente falando):

Nesse aspecto a autora tem razão. Com efeito, ao compulsar os documentos de fls. 86/91 e 94/96 constata-se que são conversas eletrônicas entre a reclamante e a sua primeira testemunha. Contudo, não há qualquer indício de que tais conversas foram viabilizadas por meio da utilização de e-mail corporativo ou qualquer outro programa atrelado à empresa reclamada.

Portanto, considerando que o conteúdo dos referidos documentos se originam do e-mail pessoal da autora, não restam dúvidas de que a sua utilização pela empresa reclamada fere os princípios constitucionais da privacidade e da intimidade, bem como também o sigilo da correspondência, previstos respectivamente nos incisos X e XII da Constituição da República, in verbis:

'X - são invioláveis a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas, assegurado o direito a indenização pelo dano material ou moral decorrente de sua violação;'

'XII - é inviolável o sigilo da correspondência e das comunicações telegráficas, de dados e das comunicações telefônicas, salvo, no último caso, por ordem judicial, nas hipóteses e na forma que a lei estabelecer para fins de investigação criminal ou instrução processual penal;'

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.