21

Estou aprendendo Python e preciso distribuir um programa, li sobre o cx_Freeze e o py2exe para gerar um .exe. Porém, não me importo em distribuir o código do programa junto, logo, não vejo necessidade em gerar um .exe.

Como posso distribuir o programa .py sem que o usuário tenha que ficar instalando todas as bibliotecas utilizadas no programa? Posso criar um instalador?

  • 2
    Seria interessante você abrir outra pergunta com relação a proteção da senha, mesmo que se trate do processo de distribuição e python, assim você pode ter ajuda de mais pessoas e respostas mais diretas. – Delfino 13/06/15 às 0:58
  • 2
    Já tirei a última pergunta. – André 13/06/15 às 1:00
11
+50

Bom, não sei se isso é possível, mas talvez você possa fazer isso para facilitar a instalação dos pacotes:

Usando um arquivo .bat você pode instalar as bibliotecas usando pip, por exemplo:

start /w pip install numpy 
start /w pip install matplotlib
start /w pip install qualquerOutraBiblioteca
...

Se for preciso colocar o pip no caminho do sistema, antes do código acima, coloque:

SETX PATH "%PATH%;C:\Python33\Scripts"

Se for preciso instalar o pip, coloque antes de tudo:

start /w python get-pip.py

Link para get-pip.py

Sobre o pip.


Se quieser gerar um instalador .msi, dá uma olhada em pynsist.

  • Note que essa abordagem no entanto, restringe a distribuição à sistemas Windows. O processo que descrevo abaixo gera um instalador completo para Windows, mas pode dar saída para outras plataformas também. O processo que exige interação manual, com a criação do arquivo "requirements.txt" também é multiplataforma. – jsbueno 23/06/15 às 2:44
8

Python tem um ecosistema de gerenciamento de pacotes (as bibliotecas) integrado tanto à lignuagem, quanto em pacotes próprios.

O PIP - uma ferramenta tão necessária que passou a ser parte das novas instalações de Python a partir do Python 3.3 resolve de forma manual a questão das dependências para quem está com pressa e não quer deixar o pacote redondinho para terceiros.

Claro, tudo isso assume que o seu projeto já esteja rodando num virtualenv separado, em que as únicas bibliotecas instaladas além do seu próprio projeto são as que você quer garantir que estejam instaladas no destino.

Se você ainda não está usando o Virtualenv para o seu desenvolvimento, dê uma olhada aqui: http://docs.python-guide.org/en/latest/dev/virtualenvs/ (ou, para Python >= 3.3 o venv, que vem junto com o Python): https://docs.python.org/3/library/venv.html

Nesse caso, você pode usar o PIP para criar um arquivo com a lista das bibliotecas de Python instaladas no seu projeto - digite: pip freeze >requirements.txt no terminal, com o virtualenv ativado. Isso vai listar automaticamente as bibliotecas instaladas no arquivo "requirements.txt" -- quem for instalar o seu programa, depois de ter o código na mão, e criar o virtualenv, deve digitar: pip -r requirements.txt.

Desenvolvedores Python acostumados a pegar e colocar projetos em sites como o github saberão instalar pacotes e bibliotecas seguindo essa recomendação.

Mas, isso não responde sua pergunta - se voce quer que um usuário leigo possa instalar seu programa, tendo apenas o Python instalado, isso é possível sim - mas dá um pouco mais de trabalho para acertar na primeira vez, para o desenvolvedor.

Você vai fazer uso então do "setuptools" - um pacote de Python feito para, a partir de informações sobre o seu projeto que você coloca num arquivo de nome setup.py - Esse arquivo é um pequeno programa d Python onde você coloca não só as dependências do seu projeto, (como instruções de compilação de módulos, se houver parte do projeto em C ou Cython), metadados sobre número da versão do projeto, autor, e licença de uso e assim por diante.

O setuptools faz com que o setup.py funcione como uma aplicação completa de linha de comando, com várias opções. Uma delas inclusive é chamar direto python setup.py bdist_wininst - que num ambiente Windows configurado corretamente vai gerar um arquivo .EXE que instala sua aplicação e os requisitos dela (só não instala o Python - como o pyfreeze e outros utilitários fazem).

Agora o setuptools é usado, mais normalmente, não para criar instaláveis para Windows - e sim - para colocar o seu projeto, uma vez testado e preenchendo alguns requisitos de qualidade, direto no Pypi - o "Python Package Index". A partir daí, qualquer pessoa com Python e o Pip (ou easy_install) instalado vai poder instalar o seu projeto simplesmente digitando: "pip install " (e, sim, isso instala os eu projeto e as bibliotecas de que ele depende). Para programadores e usuários de Python acaba sendo mais prático do que ter um instalador em algum site web - você não tem que achar o site, baixar o arquivo, e executa-lo - basta digitar o comando. (E também seu projeto passa a integrar a lista de projetos que podem ser requisitos de outros).

Para o público leigo que for instalar, por exemplo, um jogo feito com Pygame, a forma com instalador de Windows é certamente mais conveniente.

A documentação do setuptools é algo que realmente vale a pena estudar se você quer distribuir seus projetos para o público em geral, sejam usuários finais ou mesmo para a comunidade de programadores Python. Comece pelo link: https://pypi.python.org/pypi/setuptools

2

Você pode utilizar o módulo zipapp nas versões 3.5+.

TL;DR

Vamos supor que eu irei fazer uma aplicação que consulta uma API de usuários. Para isso precisaremos do pacote requests.

Teremos o diretório da aplicação:

⊦ users/
    ⊦ venv/
    ⊦ users/
        ⊦ app.py
    ⊦ requirements.txt

Para isso, criamos o diretório:

$ mkdir users %% cd $_

Iniciamos um ambiente virtual:

$ python3.6 -m venv venv
$ source venv/bin/activate

Instalamos o pacote requests:

$ pip install requests

E geramos o arquivo requirements.txt:

$ pip freeze > requirements.txt

Assim, podemos escrever a nossa aplicação. Para fins de exemplo, utilizarei a API https://reqres.in/api/users e solicitaremos ao usuário qual é a página de usuários que ele deseja listar. Assim, nosso código ficará:

# users/app.py

import requests

API = 'https://reqres.in/api/users'

def main():
    while True:
        page = input('Digite o número da página: ')
        params = {'page': page}
        response = requests.get(API, params=params)

        if response.ok:
            data = response.json()
            if data['data']:
                for user in data['data']:
                    print(f'#{user["id"]}: {user["first_name"]} {user["last_name"]}')

if __name__ == '__main__':
    main()

Podemos testá-la localmente fazendo:

$ python users/app.py
Digite o número da página: 1
#1: George Bluth
#2: Janet Weaver
#3: Emma Wong

Perfeito. Funcionando. Agora desejamos empacotar essa nossa aplicação para compartilhar com outros usuários.

Primeiro, instalamos as dependências da aplicação diretamente no próprio diretório, de modo que ela fique autocontida. Para isso, basta-nos executar:

$ pip install -r requirements.txt --target users

Com as dependências instaladas localmente podemos criar o arquivo de distribuição a partir do pacote zipapp:

$ python -m zipapp -m 'app:main' users

Isso irá criar o arquivo users.pyz, que pode ser executado diretamente do Python e já possuindo todas as dependências da aplicação. Ou seja, basta enviar este arquivo para os outros usuários e eles executarem:

$ python users.pyz
Digite o número da página: 1
#1: George Bluth
#2: Janet Weaver
#3: Emma Wong
Digite o número da página: 2
#4: Eve Holt
#5: Charles Morris
#6: Tracey Ramos

A opção -m do zipapp definirá a porta de entrada da aplicação, por isso definimos ela como app:main, isto é, módulo app.py, função main.

Mas vale lembrar que isso apenas empacotará sua aplicação e as respectivas dependências dentro de um arquivo compactado. Isso consequentemente deixará o arquivo maior e não ofuscará o código fonte, tanto que é possível abrir diretamente o arquivo users.pyz:

inserir a descrição da imagem aqui

0

Uma forma de distribuir pacotes em Python muito similar ao que o java faz com os arquivos .jar são Eggs. Desta maneira o usuário poderá rodar seu programa com:

$ python program.egg

Sem se procupar com as dependências, que podem ser empacotadas junto com o seu programa. Recomendo que procure uma leitura sobre como criar eggs.

0

Eu criei um chatbot e a minha solução para isso foi:

Eu baixei um cópia de todas as dependências, algumas já descompactadas e que funcionavam no Linux, Mac e Windows, e deixei elas junto com o código.

Mesmo assim, durante todas as inicializações, meu chatbot executa um arquivo em que ele importa todas as bibliotecas. Cada importação segue esse modelo:

try:
   import gtts               
except:
   print("Módulo GTTS não encontrado!")

   # Tenta de diversas formas instalador o pip
   instalar_atualizar_pip_3()

   # Tentativa recomedada pelo site
   os.system("pip install gTTS")

   # Tentativa para Windows
   os.system("py -m pip install -U gtts")

   # Tentativa para Ubuntu
   os.system("sudo pip3 install gtts")

   # Tentativa geral
   os.system("pip install gtts")

   # Outra tentativa Geral
   os.system("pip install gTTS")
   try:
      import gtts               
   except:
      print("Não consegui instalar o GTTS, preciso dele para falar")
      print("Instale por esse link: https://pypi.org/project/gTTS/")

Eu tento importar uma biblioteca, se ela não estiver sendo reconhecida, eu executo uma série de comandos testados que vão tentar instalar a biblioteca no máximo de plataformas possíveis com o máximo de possibilidades que eu encontrei. https://github.com/Combratec/Diana/blob/master/definicoes.py

Em alguns casos, eu vou mais além, eu importo uma biblioteca e analiso a versão dela com o ".__version__", se a versão for inferior ao requisito do chatbot, eu também executo uma série de comandos que podem ser encontrados no site da biblioteca e até algumas particularidades que eu testei em outras plataformas para atualizar a biblioteca.

Ah casos em que uma plataforma exige a instalação de pacotes gigantescos e erros são comuns, prevendo esse problema, as vezes eu coloco diversos pacotes ".whl" com um instalador para tentar instalar tudo, assim, se erros surgirem pedindo a instalação de pacotes gigantescos, eu tenho uma versão em um formato diferente que pode atender a minha necessidade.

Essa é uma forma de instalar pacotes a força bruta tentando diversas plataformas, versões e até arquiteturas. https://github.com/Combratec/Diana/tree/master/pacotes

Da uma olada nos links.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.