2

Andei estudando alguns códigos que encontrei na internet, e um deles utilizava uma implementação de protótipo da seguinte forma:

void changeMode(Mode &m){
    m.loop = true;
    m.quit = false;
}

Veja que a função changeMode recebe como parâmetro uma estrutura do tipo Mode. O que eu não entendi foi o operador &. Ele também passa como argumento da seguinte forma:

changeMode(player_mode);

Eu gostaria de saber porque foi utilizado o operador & e não o operador *. O que muda de um para o outro? Até o momento, sei que o & representa endereço de memória, e * indica um ponteiro. Como poderia uma função estar recebendo um endereço? Obrigado.

3

O operador &, assim como vários outros em C++, tem mais de uma utilidade, dependendo do contexto onde é aplicado:

  • Ele pode ser utilizado para se obter o endereço de uma variável, o caso que você já conhecia.
  • Ele faz a operação "e" bit a bit entre dois operandos
  • Ele também pode ser utilizado para se declarar parâmetros e variáveis do tipo referência.

Uma referência é semelhante a um ponteiro, uma vez que permite que você altere indiretamente valores em um objeto. As diferenças são:

  • Uma vez que a referência é vinculada a um objeto ela não pode passar a apontar para outro
  • Você acessa a referência como se fosse uma variável normal, sem necessidade de utilizar o operador * para derreferenciar.
  • Salvo raros casos, uma referência nunca aponta para nullptr

É muito comum se utilizar referências const para se passar de parâmetro objetos grandes para funções, quando só se quer observá-los:

void teste(const Objeto &obj) { ... }

Já quando se quer alterar o parâmetro, escolha entre referências ou ponteiros para parâmetros é praticamente uma questão de estilo. O uso de ponteiros podem deixar mais explícito que a função ira alterar o parâmetro, por exemplo.

2

Passar por referência (tipo&) é mais "seguro" que por ponteiro (tipo*), pois garante que o objeto nunca será nulo (*).

Por outro lado, se você deseja ter a opção do parâmetro ser nulo, então é obrigado a usar ponteiro.

Passar um objeto como "const tipo&" é mais rápido que passar pelo valor, pois o objeto não precisa ser copiado. (Embora eu acredite que isso já seja otimizado, mas a teoria é esta).

Um objeto passado ou retornado por referência não precisa usar sintaxe diferenciada (com ->) nem dereferenciar ponteiros.

Retonar uma referência a um objeto é uma construção muito poderosa, pois garante que o objeto retornado nunca será nulo.

Para operadores "infix", do tipo +=, -=, *=, etc. a forma correta de implementar é retornar uma referência não-constante ao objeto "esquerdo":

tipo& operator+=(tipo& a, const tipo& b); // retorna ref para "a"

pois estes operadores implicam que o objeto da esquerda vai ser modificado. Já para operadores binários, o certo é retornar um objeto novo:

tipo operator+(const tipo&a, const tipo&b);

(*) Sim, eu sei que sempre tem um jeito de passar nulo com casts, mas os objetivos destes recursos do C++ é justamente promover uma programação de nível mais alto, sem casts.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.