5

A partir da versão 2009 do Delphi (se não me engano) veio os namespaces.
Gostaria de saber, num exemplo simples se possível que ilustre um caso de vantagem, qual seriam as vantagens dos namespaces no Delphi?

Explanando um pouco sobre namespaces, em C# poderíamos ter três arquivos, contendo o mesmo namespace:

Arquivo Contas.cs:

namespace Projeto.Forms {
    public class ContasForm : Form {
       ...
    }
}

Arquivo Compras.cs:

namespace Projeto.Forms {
    public class ComprasForm : Form {
       ...
    }
}

Arquivo Cliente.cs:

namespace Projeto.Forms {
    public class ClienteForm : Form {
       ...
    }
}

Em um quarto arquivo, MainForm.cs, eu teria acessa às três classes apenas por referências Projeto.Forms:

using Projeto.Forms;

namespace Projeto {
    public class ContasForm : Form {
       private ContasForm contasForm;
       private ComprasForm comprasForm;
       private ClienteForm clienteForm;
    }
}

Já em Delphi isso não ocorre:

Arquivo Projeto.Forms.Contas.pas:

unit Projeto.Forms.Contas;
interface
uses ...
type
  TContasForm = class(Form)
  ...

Arquivo Projeto.Forms.Compras.pas:

unit Projeto.Forms.Compras;
interface
uses ...
type
  TComprasForm = class(Form)
  ...

Arquivo Projeto.Forms.Cliente.pas:

unit Projeto.Forms.Cliente;
interface
uses ...
type
  TClienteForm = class(Form)
  ...

Enfim, ao querer referenciá-las em Projeto.Forms.MainForm precido fazer da seguinte maneira:

unit Projeto.Forms.MainForm;
interface
uses Projeto.Forms.Contas, Projeto.Forms.Compras, Projeto.Forms.Cliente;
type
  TMainForm = class(Form)
  ...

Não é possível fazer algo como uses Projeto.Forms; e a partir dai ter acesso às três classes. Muito menos é permitido em Delphi ter mais de um arquivo com o mesmo nome.

O único meio que vi de ter tal benefício seria manipulando. Exemplo:

Criar mais uma unit com o nome Projeto.Forms.pas:

unit Projeto.Forms;
interface
type
  TContasForm = Projeto.Forms.Contas.TContasForm;
  TComprasForm = Projeto.Forms.Compras.TComprasForm;
  TClienteForm = Projeto.Forms.Cliente.TClienteForm;
...

E então fazer a referência como havia citado, uses Projeto.Forms; e a partir dai ter então acesso às três classes.

Bom, não sei se isso teria consequências e, claro, foi apenas para ilustrar.

Diante disso, pergunto: Qual as vantagens em utilizar namespaces em Delphi?

Peço um pequeno exemplo só para ilustrar.
Grato!

  • Esta pergunta é específica de C# mas o conceito é o mesmo ou muito semelhante: pt.stackoverflow.com/questions/11199/… – Caffé 8/06/15 às 22:14
  • @Caffé, no Delphi acho que não dá para dizer que namespaces trazem diretamente a mesma utilidade/funcionalidade. – JamesTK 10/06/15 às 2:17
  • Qual seria a diferença entre namespaces Delphi e namespaces C#? – Caffé 10/06/15 às 15:11
  • @Caffé, rapaz, pior que a única coisa que consigo pensar agora é que não consigo ter o mesmo namespace em mais de um arquivo. A não ser que eu manipule, exemplo: em Modelos.Usuario eu fazer type TTipoAcesso = Modelos.Usuario.TipoAcesso.TTipoAcesso;. Então, em Java e C#, por exemplo, em mais de um arquivo você consegue ter namespaces iguais e com isso criar um "pacote" de classes/tipos. – JamesTK 10/06/15 às 22:44
  • Por arquivo você se refere packages ou units? Ter o mesmo namespace para diferentes units é justamente a função do namespace, ou não seria um namespace mas apenas uma unit com nome grande. Quanto a declarar o mesmo namespace em diferentes packages (diferentes arquivos BPL), faz uns anos que não uso Delphi e nem tenho nenhum pra verificar, mas não vejo nenhum motivo para não poder fazê-lo. Você tentou? – Caffé 11/06/15 às 12:14
5

Vantagens de usar namespaces em Delphi

Namespaces em Delphi têm o objetivo de organizar units e tipos de maneira lógica.

Namespaces servem ainda para oferecer um identificador único global para um tipo ou unit, de modo que podemos ter mais de um tipo ou unit com o mesmo nome, no mesmo projeto.

Em um sistema grande, não é incomum que units ou tipos diferentes, de diferentes contextos, tenham naturalmente o mesmo nome.

Por exemplo, um produto no estoque pode ser uma entidade distinta do produto no front-end de vendas (ver DDD - bounded context). Namespaces nos permitem de fato chamar ambas as entidades de "Produto", com diferentes namespaces, proporcionando uma nomenclatura mais expressiva e mais próxima do negócio, sem ter que forjar prefixos e sufixos para diferenciar units e tipos de diferentes contextos.

Além disso, há mais clareza em chamar uma unit de Business.Estoque.Produto do que BusinessProdutoEstoque.

Diferenças entre namespaces Delphi e namespaces C Sharp

Uma diferença importante entre namespaces C# e namespaces Delphi é que em C# eles agrupam tipos, e em Delphi eles agrupam units e as units é que agrupam tipos (cada unit é um arquivo de código fonte).

Então, em C#, para trazer para o contexto todos os tipos de um namespace, fazemos assim:

using Business.Estoque.Produto;

Agora, todos os tipos deste namespace que estiverem referenciados pelo projeto estarão imediatamente disponíveis no contexto.

Em Delphi, o comando acima (seria uses em vez de using) estaria referenciando a unit Business.Estoque.Produto do namespace Business.Estoque, trazendo para o contexto todos os tipos declarados nesta unit.

Semelhança entre namespaces Delphi e namespaces Java

Se no projeto a prática é declarar apenas um único tipo público em cada arquivo, neste aspecto namespaces Delphi são mais semelhantes a namespaces Java (onde são chamados de packages), pois em Java o arquivo de código fonte tem o nome da classe pública contida nele, e o padrão é referenciar não um namespace de modo a trazer todos os seus tipos para o contexto, mas sim referenciar cada uma das classes que se deseja trazer para o contexto.

Em Java, o comando import Business.Estoque.Produto traz para o contexto apenas a classe Produto, tal qual em Delphi estaria trazendo apenas, digamos, uma classe chamada TProduto (contida na unit Produto).

Aqui, Java tem um recurso que o Delphi não tem. Em Java há a opção de trazer para o contexto todos os tipos do namespace de uma só vez:

import Business.Estoque.*;

No comando acima, não apenas a tal classe Produto mas também todas as classes do namespace Business.Estoque estarão disponíveis no contexto. Delphi não tem este recurso, então cada unit do namespace Business.Estoque teria que ser referenciada explicitamente, exemplo:

uses Business.Estoque.Produto, Business.Estoque.Produto.Categoria,
    Business.Estoque.Inventario;

Conclusão

Namespaces em Delphi tem o mesmo objetivo que em C# ou Java: organizar logicamente o projeto, com o benefício de poder ter identificadores únicos globais para tipos ou units com nomes iguais.

A diferença mais importante é que enquanto em C# ou Java um namespace (em java, package) agrupa tipos, em Delphi um namespace agrupa units e as units agrupam tipos.

Em Java, é comum a prática de referenciar explicitamente cada tipo, mas também é possível referenciar de uma vez todos os tipos de um namespace usando o coringa *. Em Delphi a única opção é referenciar explicitamente cada unit.

Apesar de não simplificar a referência a tipos no contexto (não permitir referenciar de uma vez tipos contidos em diversas units), namespaces em Delphi ainda oferecem a vantagem de organizar logicamente o projeto, permitindo nomes mais expressivos para units e tipos.

Por exemplo, em vez de ter no meu código units e tipos com nomes como CategoriaCliente, CategoriaProduto, CategoriaFrete... Eu posso ter Vendas.Cliente.Categoria, Estoque.Produto.Categoria, Transporte.Frete.Categoria.

  • 1
    Poxa, ficou uma resposta muito legal!! =D Obrigado! – JamesTK 12/06/15 às 17:51

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.