4

Estou trabalhando em uma reformulação da nossa aplicação web, em uma branch separada, digamos new_interface. Enquanto isso, outros desenvolvedores continuam na branch master, principalmente resolvendo bugs. Enquanto alguns arquivos podem divergir consideravelmente, preciso recuperar as correções que foram pelos outros desenvolvedores.

Até então tenho dado merge da master na minha branch (usando o TortoiseGit), porém da última vez isso não deu certo. Vários arquivos ficaram errados, mesmo alguns que não acusaram conflito. Parece que o merge escolheu a versão da masterao invés da versão reformulada.

Como alternativa para resolver essa situação, estou tentando estudando o rebase, porém ainda não sei se isso iria resolver o meu problema.

O rebase irá resolver a minha situação ou o resultado será o mesmo que o merge?


Edit: Confirmei que apesar do sistema de edição de conflito ser um pouco diferente, o resultado final é bem parecido, inclusive com os mesmos problemas. Por exemplo, em alguns arquivos as mudanças pertencentes a new_interface sumiram no log final, em ambos métodos.

Terei que passar manualmente todas as modificações de uma branch para outra ou ainda há outra alternativa?


Edit 2: Acabei fazendo merge mesmo (squash, recursive - patience), porém tive que ir arquivo por arquivo (inclusive os que não acusaram conflito) escolhendo quais mudanças eu queria incorporar e quais descartar.

Um erro que eu havia cometido da primeira vez que tentei o merge foi clicar em "resolve conflicts using mine" nos arquivos que queria manter integralmente intocados. Na verdade o certo seria marcar "revert", descartando a versão da master e mantendo o arquivo como antes do merge.

  • Quem tiver permissão para criar tags, poderia por favor colocar a tag tortoisegit? – mathiasfk 25/05/15 às 15:16
  • Deves sempre usar rebase pois assim coloca os teus commits no fim da linha de alterações. Contudo, se as mudanças forem nas mesma linhas, isso pode dar erro que precisa ser resolvido manualmente. O ideal é sempre fazer commits com frequência mesmo que com pouco código e atualizar com todos os que estão a trabalhar no código. – Sergio 25/05/15 às 15:31
3

O resultado vai ser o mesmo. Tanto no rebase como no merge, se uma mesma linha é alterada nos dois ramos ele gera um conflito pra você resolver manualmente. Se alguma modificação do master passou sem dizer nada é porque o algoritmo do git não considerou ela um conflito.

Pra escolher entre rebase e merge é mais uma questão de gosto. A principal razão de ser do rebase é editar o histórico de commits para ser linear. Dependendo do seu workflow e de que modificação você esteja fazendo no histórico isso pode ser o que você quer ou não.

Voltando ao seu problema específico, em geral é uma boa idéia manter os branches "curtos" e não ficar fazendo vários merges do ramo master para o seu ramo de desenvolvimento. Se você não puder dar o merge do seu ramo devolta pro main rapidamente, talvez valha a pena tentar dar um rebase do seu branch pro topo do master, pra fingir que você começou a trabalhar nele hoje (do ponto do visto do histórico de commits)

  • De fato, testei aqui (em cópias de ambos ramos) e apesar dos conflitos serem resolvidos um por um ao invés de todos ao final, o resultado foi praticamente o mesmo. Ou seja, o problema continua. – mathiasfk 25/05/15 às 17:10
0

Nao. Se fizeres rebase master -> new_interface, os commits no master vao ser re-criados no teu branch. Ou seja, vao existir commits com o mesmo nome, conteudo, e diferentes hashes.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.