9

Das duas formas abaixo, qual possui um desempenho melhor?

  1. For:

    for( $x=1; $x < 31; $x++ )
       echo $x . PHP_EOL;
    
  2. Foreach + range:

    foreach( range(1,30) as $x )
       echo $x . PHP_EOL;
    

Sei que a diferença será provavelmente em milissegundos, mas vale a pena o estudo uma vez que em uma aplicação com grande tráfego esses milissegundos podem fazer diferença.

Se houver uma terceira forma de desempenho ainda melhor, por favor aponte.

1
  • 5
    Sem nem executar o código, eu diria que o primeiro fragmento é mais rápido, já que não precisa criar uma array, nem acessar os valores dela.
    – bfavaretto
    8/05/15 às 19:16
8

Minha opinião pessoal é usar o que faz sentido no contexto. A diferença de tempo vai ser mínima na maioria dos casos.

A grande coisa a observar é:

for( $x=1; $x < 31; $x++ )

Isso é um loop caro, uma vez que ele chama a contagem em cada iteração. Contudo se você não está fazendo isso, eu não acho que realmente importará ...

Quanto ao, foreach no segundo caso seria "equivalente" a:

$It->rewind();
while ($it->valido()) {
    $key = $it->key(); // Se estiver usando $key => sintaxe $value
    $value = $it->current();

    // conteúdo do loop aqui

    $it->next();
}

Só em ver, já percebe-se que é mais complexo que o primeiro.

Existem formas mais rápidas para fazer uma iteração, e isso depende do problema.

Vamos simular uma corrida entre o FOR e FOREACH:

$start = microtime(true);
for ($x = 1; $x < 31; $x++) {}
echo "Concluído em", microtime(true) - $start, "Segundos \n"

$start = microtime(true);
for (range(1,30) as $x ) {}
echo "Concluído em", microtime(true) - $start, "Segundos \n"

Os resultados podem variar dependendo do ambiente de execução.

Outras comparações:

$a = array();
for ($i = 0; $i < 31; $i++) {
    $a[] = $i;
}

$start = microtime(true);
foreach ($a as $k => $v) {
    $a[$k] = $v + 1;
}
echo "Concluído em", microtime(true) - $start, "Segundos \n";

$start = microtime (true);
foreach (($a as $k => &$v) {
    $v = $v + 1;
}
echo "Concluído em", microtime (true) - $start, "Segundos \n";

$start = microtime (true);
foreach ($a as $k => $v) {}
echo "Concluído em", microtime (true) - $start, "Segundos \n";

$start = microtime (true);
foreach ($a as $k => &$v) {}
echo "Concluído em", microtime (true) - $start, "Segundos \n";

Os resultados:

Concluído em:  0.00161790847778  Segundos 
Concluído em:  0.00043797492981  Segundos 
Concluído em:  0.000297069549561 Segundos 
Concluído em:  0.000345945358276 Segundos 

fonte

6

O for possuí um desempenho ligeiramente melhor sobre o foreach, neste caso porque a função range retorna um array de elementos resultantes da iteração e acessa cada item deste.

Veja um comparativo entre as duas formas num loop de 350000 iterações:

function bench($func) {
    $tempo = -microtime(true);
    $func();
    $tempo += microtime(true);
    return number_format($tempo, 4);
}

function func1() {
    for($x = 1; $x < 350000; $x++) echo $x;
}

function func2() {
    foreach(range(1, 350000) as $x) echo $x;
}

$tempoDecorrido = bench('func1');
echo "\n For => Tempo decorrido: {$tempoDecorrido} segundos \n";

$tempoDecorrido = bench('func2');
echo "\n Foreach => Tempo decorrido: {$tempoDecorrido} segundos \n";

Resultado:

12345678910....
For => Tempo decorrido: 0.48403 segundos
1234567891011....
Foreach => Tempo decorrido: 0.74004 segundos

O resultado pode ser bastante diferente dependendo do ambiente de execução. Outras formas para se medir o desempenho de códigos no PHP podem ser vistos na questão Como medir a performance de códigos em PHP?

Pergunta relacionada: Até que ponto a otimização prematura é um problema?

Alternativa

A partir do PHP 5.5 foi introduzido o suporte aos Geradores, a ideia por trás dos geradores é que uma função não retorna um valor único, mas sim uma sequência de valores em vez disso, onde cada valor é emitido um a um. Em outras palavras, geradores permitem implementar Iteradores de um modo mais simples e sem a complexidade da implementação de uma classe que implementa a interface Iterator.

Uma vantagem de utilizar geradores é a possibilidade de iterar sobre um conjunto de dados sem colocá-los na memória de uma só vez, algo que a função range() não faz. Quando a função gerador é executada, é retornado por meio da palavra reservada yield (um tipo de return especial), uma chave/valor e, quando solicitado o próximo elemento do Iterator, a função gerador continua de onde parou o último yield.

Segue um outro comparativo, agora num loop de 600000 iterações, e comparando também uma função gerador, o xrange:

function bench($func){
    $tempo = -microtime(true);
    echo $func();
    $tempo += microtime(true);
    return number_format($tempo, 4);
}

function xrange($inicio, $fim, $passo = 1) {
    for ($i = $inicio; $i <= $fim; $i += $passo) yield $i;
}
function func1(){
    for($x = 1; $x < 600000; $x++) echo $x;
}
function func2(){
    foreach(xrange(1, 600000) as $x) echo $x;
}
function func3(){
    foreach(range(1, 600000) as $x) echo $x;
}
$tempo = bench('func1');
echo "\n For: {$tempo} \n";
$tempo = bench('func2');
echo "\n xrange: {$tempo} \n";
$tempo = bench('func3');
echo "\n range: {$tempo} \n";

O resultado foi:

1234567891011121314151...
For: 1.0861
123456789101112131415161...
xrange: 2.5801
12345678910111213141516171...
range: 2.7602

Utilizar um ou outro, pouco irá interferir no desempenho, use o foreach em situações onde é necessário somente varrer a array, o for, para situações onde seja preciso trabalhar com o índice dos elementos, por exemplo, acessar elementos anteriores ou posteriores na iteração atual. Já os Geradores, use em situações onde seja necessário contornar os limites de memória.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.