0

Boa noite a todos..

Tenho um pequeno projeto api em Go com Gin framework, estou usando o mongodb como banco de dados com o driver "go.mongodb.org/mongo-driver/mongo"

Gostaria de abrir a conexão ao iniciar o app, e reusa-la posteriormente em outros packages do app, afim de que não seja criada uma nova a cada requisição. Fiz uma pesquisa e montei o seguinte código:

package config

import (
    "context"
    "go.mongodb.org/mongo-driver/mongo"
    "go.mongodb.org/mongo-driver/mongo/options"
    "time"
)

var DB *mongo.Database

func init() {
    ctx, cancel := context.WithTimeout(context.Background(), 10*time.Second)
    defer cancel()

    db, _ := mongo.Connect(ctx, options.Client().ApplyURI("mongodb://localhost:27017"))
    DB = db.Database("bancoUnico")
}

Dessa forma, estou usando a variável DB no package de repositório para persistir os dados. Aparentemente, tudo funcionando... Ex:

    rep := repositorios.NovoRepUser(config.DB)
    usuario, err := rep.CadastrarUsuario(context.Background(), request)
    if err != nil {
        return nil, err
    }
    return usuario, err

Devido a pouca experiência, não sei se essa seria a abordagem correta. Se possível, gostaria de orientação para corrigir/melhorar a forma de reusar a conexão com o banco de dados.

Fico agradecido.

2
  • 1
    a gente usa aqui um padrão bem parecido com esse config seu, porém os repositórios ficavam como variável ali no config tb.. daí pra usar os repositorios era só fazer config.UserDao.FindAll() em qualquer lugar no código Commented 13/04/2023 às 22:12
  • Muito obrigado Eduardo!!!
    – Robss70
    Commented 16/04/2023 às 16:15

2 Respostas 2

0

Uma solução interessante para o seu problema é Dependency Injection.

Um exemplo prático:

package main

import (
    "database/sql"
    "log"
)

func OpenDB() (*sql.DB, error) {
    panic("not implemented")
}

type UserRepository struct {
    db *sql.DB
}

func NewUserRepository(db *sql.DB) *UserRepository {
    return &UserRepository{db: db}
}

func (r *UserRepository) Create(u *User) error {
    r.db.Exec("INSERT INTO users (name) values (?)", u.Name)
    panic("not implemented")
}

type User struct {
    ID   uint64
    Name string
}

func main() {
    db, err := OpenDB()
    if err != nil {
        log.Fatal("connect database error", err)
    }
    defer db.Close()

    userRepository := NewUserRepository(db)

    if err = userRepository.Create(&User{
        ID:   42,
        Name: "Don't Panic",
    }); err != nil {
        log.Fatal("create user", err)
    }
}

Com esse código é fácil acompanhar o fluxo de execução, pois evitamos o uso do init.

Seguindo a mesma lógica pode criar handlers/controllers:

package controller

func NewUserController(repository *UserRepository) *UserController {
    return &UserController{repository: repository}
}

func (c *UserController) Create(w http.ResponseWriter, r *http.Request) {
    c.repository.Create(...)
    panic("not implemented")
}
-2

Creio que isso não seja uma questão da linguagem em específico e sim algo relacionado a arquitetura do seu projeto, existem vários tipos no mercado como clean, ddd, hexagonal etc, decidir qual usar vai variar de acordo com o escopo do projeto, porém se é algo simples você pode usar o SOLID por exemplo, crie uma implementação do seu banco de dados e o injete para seus controllers ou repositórios (ou seja la onde for usar) via injeção de dependência, recomendo estudar bem a orientação a composição do Go e como implementar as interfaces corretamente para aplicar o SOLID.

Esse artigo fala sobre a arquitetura hexagonal e o conceito de portas e adaptadores que você pode usar para implementar no seu projeto, e esse artigo fala de SOLID em Go, arquitetura não é algo que se aprende da noite pro dia mas a longo prazo vai lhe ajudar bastante.

Você deve fazer log-in para responder a esta pergunta.

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag .