0

Olá, estou tentando rodar uma aplicação através de um Makefile, da forma

all: set.o main
    gcc main.o set.o -o main -std=c99 -pedantic-errors -Wall -lm

set.o:
    gcc -c ./TAD_SET/set.c -o set.o 

main:
    gcc -c -I./TAD_SET -o main.o 

clean:
    rm *.o main

run:
    ./main

mas toda vez ele retorna um erro

gcc -c -I./TAD_SET -o main.o
gcc: fatal error: no input files
compilation terminated

o que estou fazendo de errado?

4
  • No main:, não deveria ser gcc -c -I./TAD_SET/main.c -o main.o ou gcc -c -I./main.c -o main.o (dependendo de onde estiver localizado)? 14/12/21 às 12:18
  • No caso, o main está na raiz, então deveria ser gcc -c main.c -I./TAD_SET -o main.o ? 14/12/21 às 12:25
  • Poderia usar goals wildcard para fazer a compilação para arquivo objeto, e o main ser usado apenas para gerar o executável a partir dos objetos intermediários 14/12/21 às 20:20
  • Bom, pela resposta do @JeffersonQuesado isso tudo se resumi a um (ou mais) erro de digitação. 14/12/21 às 21:52
3

O erro específico acontece porque o goal main executa a seguinte linha de comando:

gcc -c -I./TAD_SET -o main.o 

Porém a flag -I<dir> tem como argumento obrigatório um caminho para um diretório onde será feito a busca por inclusão de arquivos header (ou .h, mas na real qualquer arquivo mencionado pela diretiva de pré-compilação #include "file.smtgh"). Mais contexto para isso, vide essa resposta e mais outras correlatas https://stackoverflow.com/a/558820/4438007

Com isso, não tem nenhuma opção na linha de comando que o gcc entenda como arquivo de input, logo a mensagem que não há input.

Me parece que você deseja ter TAD_SET como diretório para buscar inclusão sempre. Minha recomendação seria colocar ele sempre para toda transformação .c => .o, mas sem conhecer a fundo o projeto não posso fazer muito além de sugerir.

Outro ponto aqui que é importante: o goal de um Makefile deveria ser .PHONY ou então o arquivo gerado pelo comando. O goal main não gera um arquivo chamado main, mas sim um arquivo chamado main.o. O goal all, entretanto, é .PHONY com dignidade, porém ele gera um arquivo chamado main, e depende do goal main que gera o arquivo main.o.

O primeiro passo na minha opinião seria normalizar isso:

  • all ser um goal .PHONY que dependa de main
  • main dependa de main.o e set.o
  • main.o dependa de main.c (e eventualmente algum arquivo de header)
  • set.o dependa de TAD_SET/set.c

Também recomendo usar goals wildcard:

%.o : %.c
    gcc -ITAD_SET $< -c -o $@

%.o : TAD_SET/%.c
    gcc -ITAD_SET $< -c -o $@

main : main.o set.o
    gcc $^ -o $@

Makefile também tem um conjunto de regras padrão que são muito, mas muito bacanas. Talvez você não necessite nem declarar muitos objetivos e mais manipular as variáveis de compilação. Como, por exemplo, CPPFLAGS, que são as flags colocadas para pré-processamento do C. A flag -I<dir> é uma dessas flags que poderiam morar em CPPFLAGS.

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.