4

Muitas vezes vejo funções diferentes em PHP para cada query. Gostava de saber se existe algum senão em fazer o seguinte, numa conexão com PDO:

function get_user_data($table, $columm, $required) {

  $db = conn();
  $data = array(':value' => $required);

  $sql = ("SELECT * FROM {$table} WHERE {$columm} = :value");
  $result = $db->prepare($sql);
  $result->execute($data);

  $result->rowCount();
  return $result->fetchAll(PDO::FETCH_ASSOC);

}

Desta maneira só temos de fazer uma função PHP para query de seleção, alterando só os argumentos consoante as necessidades.

Sendo assim (não havendo senão neste design) até poderíamos ir mais longe?

function update_tables($table, $collum1, $value, $collum2, $id) {

  $db = conn();
  $data = array(':value' => $value, ':id' => $id,);

  $sql = ("UPDATE {$table} SET {$collum1} = :value WHERE {$collum2} = :id");
  $result = $db->prepare($sql);
  $result->execute($data);

}
  • Miguel se a query de seleção for simples assim funciona perfeitamente. Mas e se precisares de um INNER JOIN por exemplo? – Jorge B. 6/03/15 às 10:36
  • Eu tenho sempre dificuldades em fazer uma função de seleção generalista. Já de inserção e de atualização já consigo facilmente. Embora sejam um bocadinho mais complexas que estas, uma vez que podem receber um array de colunas e de dados. – Jorge B. 6/03/15 às 10:37
  • Nesse caso, a de INNER JOIN, faria à parte. Podes dar um exemplo dessas funções mais complexas sff? – Miguel 6/03/15 às 10:43
  • Miguel tens ai o meu exemplo, mas com myslqi_ – Jorge B. 6/03/15 às 10:57
2

Fazer esse tipo de funcionalidade na mão para mim é reinventar a roda.

Gosto de utilizar o Doctrine DBAL para trabalhar com a abstração de base de dados. Nele escrevo o código de uma vez somente e ele irá rodar independentemente do Banco de Dados ou do Driver de conexão (msqli, pdo).

Caso se interesse na documentação temos como utilizar essa biblioteca. Segue um exemplo de uma query mais avançada no query builder:

<?php

$conn = DriverManager::getConnection(array(/*..*/));
$queryBuilder = $conn->createQueryBuilder();

$queryBuilder
    ->select('u.id', 'u.name', 'p.number')
    ->from('users', 'u')
    ->innerJoin('u', 'phonenumbers', 'p', 'u.id = p.user_id')

Além do SELECT ele incluí também INSERT e UPDATE, com uma sintaxe igual ao SQL.

<?php

$queryBuilder
    ->insert('users')
    ->setValue('name', '?')
    ->setValue('password', '?')
    ->setParameter(0, $username)
    ->setParameter(1, $password)
;

// INSERT INTO users (name, password) VALUES (?, ?)

$queryBuilder
    ->update('users', 'u')
    ->set('u.logins', 'u.logins + 1')
    ->set('u.last_login', '?')
    ->setParameter(0, $userInputLastLogin)
;

// UPDATE users SET u.logins = u.logins + 1, u.last_login = ?

A implementação de todos os métodos QueryBuilder você pode encontrar no GitHub.

  • +1 para o próximo projeto vou dar uma olhada nisso. – Jorge B. 6/03/15 às 11:26
  • 1
    Podes dar um exemplo de um INSERT e dum UPDATE? – Jorge B. 6/03/15 às 11:29
  • 1
    Excelente, se pudesse dava +1 :D – Jorge B. 6/03/15 às 11:59
3

Não existe qualquer problema no que indica, a implementação depende muito de cada um sendo que resulte no final numa chamada dentro das regras do PDO.

Claro que depende também muito do projecto, e para cada um teremos certamente abordagens diferentes. Eu prefiro quase sempre... ok... sempre... a utilização OOP/classes e objectos e quando implementamos qualquer modelo é essencial a sua utilização hoje em dia. Também é importante a semântica utilizada.

Mais uma vez, não sendo a melhor forma pelos motivos que expliquei, vou passar a responder dentro do modelo da pergunta no sentido de o levar a pensar de outra forma, assim e no seu caso específico da função update_tables faria o seguinte:

function update_table($table, $collum, $id, $value) {

  $db = conn();
  $data = array(':value' => $value, ':id' => $id,);

  $sql = ("UPDATE {$table} SET {$collum} = :value WHERE `id` = :id");
  try {
       $st = $db->prepare($sql);
       $st->execute($data);
       return true; 
    } catch (PDOException $e) {
       return false;
    }

}

As implementações pode variar, mas o que apresento aqui vai no sentido de explicar o seguinte:

  1. o nome do método update_table poderá ser outro pois é importante reduzir a escrita sempre que possível mas torná-la lógica dentro do contexto. Tratar-se-á sempre de um UPDATE à TABLE neste caso.

  2. A mudança do $id também é importante pois o conceito tem ordens tabela > coluna depois virá o identificador, etc.

  3. adicionar algum valor acrescentado à função também é importante. Saber, por exemplo, se actualizou bem ou se sequer actualizou... para o efeito basta retornar true ou false. Encapsulando os possíveis erros que poderão acontecer também estamos a evitar muitos try e catch ao longo do projecto.

  4. Num UPDATE é normal tentar perceber se atualizamos um ou mais itens mas isso depende da lógica requerida.

Faz todo o sentido a utilização de funções de forma a simplificar-mos a nossa vida enquanto programadores, mas quando o fazemos temos de o realizar de uma forma mais abrangente possível de forma a conseguirmos "quase" um texto que nos conte tudo quando lemos o nosso código.

É importante o contexto, a atribuição de nomes, a validação de possíveis erros e o retorno do resultado.

Terminando, dizer que relativamente ao código que se constrói para utilização ao longo de um projecto a documentação é essencial.

  • 1
    Muito bem respondido +1 Acho que a minha resposta poderá ser vista como um complemento a esta, como um exemplo. – Jorge B. 6/03/15 às 11:22
  • @JorgeB. claramente. achei importante alguma explicação de forma a que o Miguel possa entender melhor o conceito. – chambelix 6/03/15 às 11:24
2

Eu não uso PDO, uso mysqli_ mas de qualquer forma fica uma otimização de uma função de inserção ou atualização genérica:

/**
 * Insere dados numa tabela.
 * 
 * @param string $table nome da tabela
 * @param array  $data field=>value
 * @param array  $format %i,%d,%s,%b (int, double, string, blob)
 * @return boolean retorna verdadeiro se inseriu, senão falso.
 * 
 */
function insert( $table, $data, $format )
{

    $conn = connect();

    if ( empty( $table ) || empty( $data ) )
    {
        return false;
    }

    $data   = (array) $data;
    $format = (array) $format;

    $format = implode( '', $format );
    $format = str_replace( '%', '', $format );

    list( $fields, $placeholders, $values ) = prep_query( $data );

    array_unshift( $values, $format );

    $sql_insert = "INSERT INTO {$table} ({$fields}) VALUES ({$placeholders}) ON DUPLICATE KEY UPDATE ";

    $first = 1;
    foreach ( $data as $field => $item )
    {   

        if( $first != 1 ) $sql_insert.=", ";
        $sql_insert.= "$field=VALUES($field)";
        $first = 0;
    }

    $stmt = $conn->prepare( $sql_insert );

    call_user_func_array( array($stmt, 'bind_param'), ref_values( $values ) );


    $stmt->execute();

    if ( $stmt->affected_rows || $stmt->insert_id )
    {
        return true;
    }

    return false;
}

/**
 * Pepara os campos de dados e respetivos valores.
 * 
 * @param  $data
 * @return array
 */
function prep_query( $data )
{
    $fields       = '';
    $placeholders = '';
    $values       = array();

    foreach ( $data as $field => $value )
    {
        $fields  .= "{$field},";
        $values[] = $value;

        $placeholders .= '?,';
    }


    $fields       = substr( $fields, 0, -1 );
    $placeholders = substr( $placeholders, 0, -1 );
    return array($fields, $placeholders, $values);
}


/**
 * Referencia os valores para que estes possam ser alterados.
 * 
 * @param  $array
 * @return array
 */
function ref_values( $array )
{
    $refs = array();

    foreach ( $array as $key => $value )
    {
        $refs[$key] = &$array[$key];
    }

    return $refs;
}

Fica aqui um exemplo de utilização:

/*********************** exemplo de inserção de um user ************************

    $data   = 
            array(
                'id'        => NULL,
                'name'      => "JorgeB.",          
                'password'  => "1234"
            );

    $format = array('i','s','s');

    $table  = "users";

    insert($table, $data, $format);
*******************************************************************************/

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.