22

Tenho meus models

public class Cliente
{
   public int Id {get;set;}
   public string Nome {get;set;}
}

e

public class Pedido
{
   public int Id {get;set;}
   public int ClienteId {get;set;}
   public virtual Cliente Cliente {get;set;}
}

Seguindo o exemplo acima, qual é a diferença entre

public virtual Cliente Cliente {get;set;}

e

public Cliente Cliente {get;set;}

Sempre reparo que ao usar virtual o meu model Cliente vem carregado

por ex:

var pedido = dbo.Pedidos.Find(1);

Se eu tentar acessar pedido.Cliente ele não é null quando se está virtual

Qual é a diferença? Como o EF faz a query ? Qual forma tenho mais performance?

33

Lazy Loading

Lazy Loading é o mecanismo utilizado pelos frameworks de persistência para carregar informações sobre demanda. Esse mecanismo torna as entidades mais leves, pois suas associações são carregadas apenas no momento em que o método que disponibiliza o dado associativo é chamado. Assim quando objetos são retornados por uma consulta, os objetos relacionados não são carregados ao mesmo tempo, ao invés, eles são carregados automaticamente quando a propriedade de navegação for acessada.

O modificador virtual é utilizado pelo EF para fazer o Lazy Loading, que precisa criar instâncias de proxy que serão substituídas nessas propriedades virtuais.

Por isso você tem a impressão de que esse objeto está sempre carregado. Mas de fato ele não está. Uma propriedade virtual só é carregado via lazy loading no momento em que há a primeira referência a essa propriedade. Nesse momento o EF executa uma nova consulta na base de dados solicitando apenas os dados abaixo da hierarquia do objeto dessa propriedade.

Isso pode ser percebido ao debugar seu código no Visual Studio, a propriedade virtual será carregada no exato momento em que você verificar o seu valor.

O uso de Lazy Loading pode sim trazer problemas de performance. No seu exemplo, se fizer uma consulta que retorna, digamos, 100 Pedidos, sem carregar os clientes explicitamente (eager loading), ao referenciar qualquer informação de Cliente, pra cada cliente diferente, será feita uma nova consulta na base de dados. Portanto nesse caso você poderia ter 100 novas consultas ao banco de dados.

var pedidos = db.Pedidos.ToList(); // não traz nenhuma informação de cliente
foreach (var pedido in pedidos) 
{
    var nome = pedido.Cliente.Nome; // aqui é feita a carga por Lazy Loading
}

Eager Loading

Pra evitar esse efeito é possível informar que você deseja que o EF faça Eager Loading dos clientes usando uma cláusula Include.

var pedidos = db.Pedidos.Include(m => m.Cliente).ToList(); // inclui cliente na query
foreach (var pedido in pedidos) 
{
    var nome = pedido.Cliente.Nome; // os dados de cliente já estão carregados
}

Dessa forma a query SQL irá incluir os clientes na consulta.

Nos casos em que não usamos o modificador virtual só poderemos acessar o Cliente por Eager Loading.

O EF usa Lazy Loading por default em propriedades marcadas com o modificador virtual, caso contrário ele é desligado e por isso a referência ao objeto é null (exceto quando usamos eager loading através de Include).

É possível configurar o EF pra que não trabalhe com Lazy Loading mesmo quando temos propriedades virtuais.

public class MeuContexto : DbContext 
{ 
    public MeuContexto () 
    { 
        this.Configuration.LazyLoadingEnabled = false; 
    } 
}
  • 1
    todas as respostas foram ótimas e esclarecedoras, entretanto a sua passa uma explicação fácil e com exemplos, por isso a escolha da melhor, obrigado @iuristona – Rod 7/03/15 às 14:10
13

Concordo com a resposta do @bigown,e tenho alguns ponto a acrescentar.

Apesar de não trabalhar efetivamente com EF, sei que ele assim como o NHibernate (ORM similar ao EF), cria uma classe derivada denominada proxy, tendo como principal intuito a criação de gatilhos para os getters e setters na sua entidade, assim o ORM pode controlar, quanto, como e se um atributo/propriedade de sua entidade persistente foi alterada, para poder tomar as devidas ações em relação a isso.

Assim se você não deixa um atributo virtual, você está explicitamente dizendo que o mesmo não pode ser sobrescrito (override) em uma classe derivada a sua, sendo assim o ORM não conseguira implementar um proxy para este atributo/propriedade, não podendo consequentemente implementar os gatilhos.

Obs: com NHibernate é obrigatório a utilização do modificador virtual em todas as propriedades mapeadas ao ORM, se isso não ocorrer um erro é gerado no momento da criação das configurações do mesmo. Sendo assim ele necessita a criação de proxis para sua utilização, já o EF, não necessitada explicitamente do virtual (dai, já não entendo como ele faz, uma possível explicação talvez seja o comentário de @TobyMosque).

  • 2
    No caso do EF estes gatilhos são necessarios para fazer o lazy load eo tracking das entidades, caso opte por desativar o tracking e passe a consultar os relacionamentos manualmente ou atraves de eager load, não é necessario manter o virtual. – Tobias Mesquita 4/03/15 às 12:28
  • 5
    gatinhos oO kkk – Rod 4/03/15 às 13:26
  • 2
    @Rod, nossa nem tinha visto, kkkkkk. Erro meu, faltei algumas aulas de português, irei corrigir. Tava pensando em gatinhos eu acho, quando estava escrevendo. Hehe. – Fernando Leal 4/03/15 às 13:30
  • @Rod, nossa e coloquei 2 vezes. kkkkk. Faltou mais algum? Hehe. – Fernando Leal 4/03/15 às 13:32
11

Ele cria uma classe derivada da sua classe para trabalhar internamente. Este é um padrão chamado dynamic proxy. Isto facilita a navegação nos dados.

Polimorfismo

Como a classe é derivada a chamada precisa ser feita no método get da propriedade da classe derivada que terá a lógica efetiva de carga do dado. Sem o virtual não há polimorfismo e o método chamado é o da sua classe Pedido que não contém nenhuma lógica de carga de dados, portanto é coerente ter null neste caso.

O virtual é usado justamente para criar uma indireção, assim o método a ser chamado não é chamado de forma direta mas sim através de uma tabela que indicará qual é o método correto a ser chamado na hierarquia de classes de acordo com o dado concreto que está sendo manipulado.

Se você chama um método que não foi definido como virtual, a chamada é feita de forma direta e fixa, ou seja, se o método a ser chamado é o get Cliente da classe Pedido, é sempre ele mesmo que será chamado e não haverá uma forma de chamar o get Cliente de uma classe derivada mesmo que o objeto seja do tipo da classe derivada.

Conclusão

A execução da query será responsabilidade do get Cliente existente na classe interna do EF derivada da sua classe Pedido. A carga do dado ocorre sob demanda, o chamado lazy loading, e sem o virtual a carga deverá feita manualmente, talvez na sua classe Pedido na forma imediata eager loading. A query é montada com alguma forma de LINQ (veja comentário abaixo do TobyMosque).

A performance de cada um depende de como você vai usar. Em muitos casos a "carga preguiçosa" pode economizar processamento mas em alguns padrões de acesso isto pode se voltar contra você.

  • 5
    está mais do que correto, no caso do EF, o objeto sabe à qual contexto ele pertence e o contexto conhece os Mapeamentos, no caso acima a propriedade Cliente irá executar context.Clientes.Find(this.ClienteId), assim como uma propriedade Pedidos em Clientes (se adicionada ao modelo acima) irá ser traduzida como context.Pedidos.Where(pedido => pedido.ClienteId == this.Id) – Tobias Mesquita 4/03/15 às 12:18

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.