0

Por que, na struct GERENTE e CLIENTE, eu tenho que usar um ponteiro para a struct PESSOA e não a própria struct PESSOA

typedef struct{
    char* nome;
    int cpf;
} PESSOA;

typedef struct{
   PESSOA* pessoa;
   int valorContaCorrente;
   int valorDaDivida;
   char tipo;
} CLIENTE;

typedef struct{
   PESSOA* pessoa;
   int numClientes;
   CLIENTE* clientes[20];
} GERENTE;

1 Resposta 1

3

Pode ter muitos motivos, inclusive vários errados. Parece ser um exercício que pede para fazer isso. Se ele pede, deveria explicar o porquê, se não explica, não é um bom exercício.

Ponteiro é uma indireção, então o maior motivo para usar um ponteiro é porque precisa de uma indireção. Mas o motivo específico de precisar de uma indireção eu não posso responder porque não sei qual é o problema que está tentando resolver. Problemas artificiais não são bons para aprender programar.

Sem o ponteiro a estrutura usada será alocada ali mesmo, o que chamamos de inplace, então dentro dessa nova struct terá um espaço reservado para o objeto da outra struct. Portanto o motivo é o mesmo que usou char * e não char[30] por exemplo. O ponteiro diz que você vai alocar o objeto em outro lugar e ali só colocará o endereço desse outro lugar. Se deseja isso então ótimo, se não deseja, não tem porque fazer assim.

Obviamente que assim como se espera que aloque memória para usar em nome, também em algum ponto do código terá que alocar memória para pessoa, e claro, depois inicializar o objeto nesse local.

Eu nem posso dizer que é o certo a fazer porque todos os membros dessas estruturas parecem usar tipos errados, talvez porque a intenção seja só aprender colocar algo em C, e não programar corretamente, mas isso é outro assunto não relacionado com a pergunta em si. Treinar o erro faz a pessoa acostumar com ele.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.