4

Eu acho muito bom a ideia de ter os meus próprios métodos importados para os Objetos nativos do javascript.

Como por exemplo:

String.prototype.hello = function(){
     return this.toString() + ' hello';
}

'Say '.hello() // say hello

Number.prototype.add = function(){
   return this + 1;
}

(1).add() // 2

Mas essa prática é recomendada?

Existe alguma desvantagem em fazer isso? Ou seria uma prática melhor criar meu próprio objeto?

3

Como todas as perguntas de estilo de programação, não há uma resposta 100% certa nesse caso mas eu não sou muito fã de adicionar métodos a objetos nativos.

  • O prototype dos métodos nativos tem escopo global. Se dois módulos do seu projeto tentarem sobrescrever um mesmo método pode haver conflito.

  • Pode ser que uma versão futura do seu Browser passe a implementar alguns dos métodos que você sobrescreveu. Por exemplo, muita gente teve dor de cabeça quando os browsers passaram a implementar o forEach em vetores porque a implementação nativa é sutilmente diferente da implementação que as bibliotecas adcionavam.

  • Métodos inseridos por você no prototype podem aparecer quando você itera no objeto com um loop for in. Isso pode quebrar código que não esperava a presença desses métodos e é particularmente inconveniente no caso do Object.prototype, já que é comum usar for-in em tabelas de hash.

  • A vantagem de se implementar algo como método ao invés de como uma função em uma biblioteca separada é que o dispatching é dinâmico e podemos aproveitar isso se implementarmos um método com o mesmo nome em mais de uma classe. No entanto, em muitos casos (como seus exemplos de add e hello) os métodos não são genéricos e só fazem sentido em uma única classe. Nesse case acho que a notação bonitinha de x.metodo() ao invés de LIB.metodo(x) não compensa quebrar o princípio da responsabilidade única.

A exceção na minha opinião é quando editamos o prototype para adicionar métodos que existem nas versões recentes dos browsers mas que não existiam em versões antigas. Isso serve para aumentar a compatibilidade do seu programa com browsers antigos e não vai contra os primeiros dois itens da minha lista pois só estamos inserindo métodos que sabemos que nunca irão causar conflito. Dito isso, sugiro usar implementaçoẽs existentes como o projeto es5 shim ao invés de reimplementar as coisas na mão. Alguns detalhes são bem sutis.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.