3

Eu tenho uma classe genérica chamada Quantity<UnitType>, e em alguns métodos de uma outra classe, eu preciso obter um objeto dessa classe em um tipo específico. Veja o código abaixo:

interface UnitType {}

enum Distance implements UnitType {
    FEET, METERS
}

enum Weight implements UnitType {
    POUNDS, KILOGRAMS
}

class Quantity<T extends UnitType> {
    public Quantity(float value, T unit) {
        // ...
    }
}

public class Test {
    public static void main(String[] args) {
        Test.func(new Quantity<Weight>(30, Weight.KILOGRAMS));
    }

    public static void func(Quantity<Weight> value) {
        // ...
    }
}

O código acima compila, como esperado. O problema é que se eu não especificar o tipo na inicialização e passar como argumento um atributo de Distance, o código também compilará.

// Compila. Isso é um problema, pois o método só aceita "Weight"
Test.func(new Quantity(30, Distance.FEET)); 

// Não compila. É isso o que eu quero.
Test.func(new Quantity<Distance>(30, Distance.FEET)); 

O que eu posso fazer para obrigar o usuário a passar um tipo para a classe genérica, ou então, "filtrar" os objetos que sejam apenas de Weight?

8
  • Eu acho que isso é um conceito errado, mas ainda adotando acho que não tem o que fazer. Não conheço Java profundamente, mas eu infiro não ser possível. Temo até ser um problema do Java, posso estar enganado, mas se eu sou o criador da linguagem eu faria o contrário, ou seja, só aceitaria explicitamente já que pode haver ambiguidade, inferência só quando não há. Claro que sempre tem solução, mas não do jeito que está fazendo. Não respondo porque não tenho certeza nem disso nem o quanto dá para fazer diferente no problema. Mas fiquei curioso com o Java.
    – Maniero
    22/05 às 21:00
  • @Maniero A menos que eu tenha interpretado a pergunta muito errado, dá sim para fazer o que ele quer e é algo até que relativamente simples e fácil. 22/05 às 21:03
  • @VictorStafusa não funcionou: ideone.com/mwcteh. Foi a primeira coisa que eu fiz, na verdade eu até usei Weight porque UnitType é justamente o que ele não quer, ele quer Weight apenas. Mas ambos o compilador aceita e infere erado.
    – Maniero
    22/05 às 21:10
  • @Piovezan a pergunta é justamente essa.
    – Maniero
    22/05 às 21:12
  • @Maniero Editei a resposta abaixo. 22/05 às 21:17
5

Você tem que declarar o método func como genérico se quiser que funcione para qualquer UnitType e com tipos genéricos (Quantity<T>).

No entanto, se você quiser utilizar um tipo específico, você apenas usa o tipo desejado (Quantity<Weight>, como no exemplo do funcW abaixo).

Você também pode usar o diamond (<>) para simplificar os seus genéricos ao usar o new. Por exemplo, new Quantity<>(20, Weight.KILOGRAMS).

No entanto, ao usar o construtor diretamente você ainda tem que ou colocar o tipo genérico <Weight> ou o diamond <> para não recair no problema da sua pergunta. Ainda é possível esquecer de colocar qualquer um deles (ou seja, usar raw types), e portanto o diamond ainda não resolve o seu problema, apenas o atenua.

A causa do problema é que dada a forma como a linguagem Java evoluiu, com a adição dos tipos genéricos apenas tardiamente no Java 5 e considerando que a compatibilidade com versões anteriores não podia ser sacrificada, não há uma forma muito melhor de se usar construtores com tipos genéricos. Poderia haver se a linguagem já tivesse nascido com isso desde o começo, mas infelizmente não é esse o caso.

A solução definitiva então é não usar o construtor diretamente. E é aí que um método estático resolve o problema. Nesse método estático chama-se o construtor que é então tornado privado. Isso inviabiliza o uso de raw types e a possibilidade de utilizarem-se genéricos mal-formados.

Eis o código:

interface UnitType {}

enum Distance implements UnitType {
    FEET, METERS
}

enum Weight implements UnitType {
    POUNDS, KILOGRAMS
}

class Quantity<T extends UnitType> {
    private Quantity(float value, T unit) {
        // ...
    }

    public static <T extends UnitType> Quantity<T> create(float value, T unit) {
        return new Quantity<>(value, unit);
    }
}

public class Test {
    public static void main(String[] args) {
        Test.func(Quantity.create(30, Weight.KILOGRAMS));  // Compila.
        Test.func(Quantity.create(30, Distance.METERS));   // Compila.
        Test.funcW(Quantity.create(30, Weight.KILOGRAMS)); // Compila.
        Test.funcW(Quantity.create(30, Distance.METERS));  // Não compila.
    }

    public static <T extends UnitType> void func(Quantity<T> value) {
        // ...
    }

    public static void funcW(Quantity<Weight> value) {
        // ...
    }
}
6
  • O código da resposta funciona como eu queria. Porém, como o Maniero falou, ele ficou mais complicado, e como eu ainda sou novo em Java, o código está um pouco confuso para mim. Pode explicar melhor isso? E por que no início da resposta você disse que é necessário declarar o método como genérico se eu quisesse utilizar qualquer UnitType, visto que isso já ocorre e é justamente o meu problema? 23/05 às 3:19
  • Além disso, por que o código só funciona se a instância for criada pelo método estático e não normalmente, através do construtor público? 23/05 às 3:21
  • @JeanExtreme002 Funciona também se for criado pelo construtor. Mas nesse caso, você tem que colocar o tipo genérico <Weight> ou então o diamond <>. Se não colocar nem um e nem outro recai no seu problema original. A causa do problema é que a forma como genéricos em construtores foi feita não ficou muito boa (e como a compatibilidade com Java < 5 não podia ser sacrificada, não poderia ser muito melhor). A solução então é não usar o construtor diretamente, e é aí que o método estático resolve o problema. 23/05 às 4:15
  • @JeanExtreme002 Na sua pergunta, não ficou 100% claro se o que você quer é que funcione com qualquer genérico (<T>) ou apenas com um específico (<Weight>). Ao lê-la pela primeira vez, entendi que era o primeiro caso. Considerando os comentários do Maniero e após reler, parecia que era o segundo caso e agora acho que era isso mesmo o que você procurava. No entanto, ao invés de ficar debatendo como interpretar a pergunta ou como ela deveria ser redigida, achei melhor, mais produtivo e mais amigável colocar a solução para ambas as situações e daí todo mundo fica contente e satisfeito. 🙂 23/05 às 4:21
  • 1
    Finalmente eu consegui entender o problema e a solução que você deu. Muito obrigado Victor! 23/05 às 5:39

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.