7

Estou atualizando um sistema que possui onze tabelas que representam uma única entidade, acredito que por erro de implementação, conforme exemplo abaixo:

Entidade: Foo

Tabela Foo1 - Campo1, Campo2, Campo3
Tabela Foo2 - Campo1, Campo2, Campo3
Tabela Foo3 - Campo1, Campo2, Campo3, Campo4
[...]

Por causa desta implementação, existem onze entidades no sistema que herdam de Foo, com seus respectivos repositórios e serviços. Esta implementação causou impacto direto no código, que possui n switchs que definem qual entidade deva ser utilizada. Os cases possuem o mesmo código, com exceção dos repositórios e serviços utilizados.

O refactor do banco de dados e das entidades atualmente não é uma opção.

Diante deste cenário, qual seria a melhor abordagem para lidar com esta situação? O código realizado até o momento não deverá ser alterado, mas existe um esforço muito grande para criar novas funcionalidades que dependam dessa arquitetura de N tabelas e N entidades que deveriam representar apenas uma. Existe algum design pattern que possa facilitar este trabalho?

A arquitetura do projeto está em Onion com camada de apresentação MVC. A camada MVC acessa os services que por sua vez encapsulam a regra de negócio do sistema. Um problema comum dessa implementação é que sempre que algo envolve essas entidades e tabelas, um switch precisa ser feito para definir-se qual serviço será chamado para comunicar-se com o banco de dados.

public class FooService{
    private service1;
    private service2;
    //demais services das entidades

    //construtor

    public void Inserir(Entidade foo)
    {
        switch(bar.TipoItem)
        {
            case(TipoItemEnum.Tabela1):
                service1.RealizarAlgumProcesso(foo);
                break;
            case(TipoItemEnum.Tabela2):
                service2.RealizarAlgumProcesso(foo);
                break;
            //demais cases para os demais services.
        }   
    }
}
  • Qual versão do .Net está o projeto? – Malkaviano 21/02/15 às 18:16
  • 1
    Todos os Services também também implementam uma mesma interface? – Tobias Mesquita 22/02/15 às 11:50
  • 1
    Te aconselho a deixar este fato bem explicito na sua questão, e dê nomes diferentes ao método de cada service, acredito que outros tiveram este mesmo intendimento, pois as respostas estão seguindo esta linha de raciocinio. – Tobias Mesquita 23/02/15 às 13:36
  • 1
    @Vinícius, tudo bem, as interfaces são diferentes, mas, os atributos e metodos possuem diferentes assinaturas? Ou poderia ser encapsulados em um subsistema e deixar o polimorfismo fazer o resto através de uma fachada (facade)? – Intruso 26/02/15 às 1:11
  • 1
    @Vinicius, pra escolher pense no longo prazo. Sugeri isso (facade) porque você falou que não é possivel refatorar, mas, o trabalho de concentrar a complexidade de criação de objetos no seu cenário acho que deveria ser feito com uma Factory. Se os metodos e atributos são claramente similares, é muito provavel que seja fácil a refatoração incluindo um interface e fazendo com que os serviços herdem dela, dependendo da similaridade, você fazia apenas uma limpeza nos switchs espalhados e a factory faz o resto. Fazer o service vai ter o mesmo efeito da Fachada, mas, a fachada é um padrão de projeto. – Intruso 27/02/15 às 23:51
3

Sim. O nome dela é Helper, que é uma variação do Utility.

Como os métodos são muito parecidos, você pode centralizar a lógica comum de negócios dentro do Helper e chamar apenas um método só que faz tudo.

Coloque por favor exemplos de lógica de negócios na pergunta que eu coloco na resposta como refatorar sua lógica para um Helper.


Camada de Serviços

Supondo seu exemplo, posso reimplementar um Service usando uma abordagem genérica. Por exemplo:

public class ClasseService<T>
    where T: Foo 
{
    public void RealizarAlgumProcesso(T objeto) 
    {
        ...
    }
}

Verificações específicas do tipo derivado podem ser feitas da seguinte forma:

if (obj.GetType() == typeof(Foo1)) { ... }

Sei que ainda não é o adequado, mas é um ponto de partida.

  • Pergunta editada, cigano. – Vinícius 13/02/15 às 14:08
1

No .Net 4.0 temos a opção do dynamic, eu não recomendaria o uso levianamente, mas na sua situação pode vir a calhar.

Crie uma factory que receba como parâmetro o tipo de tabela e devolva o serviço correspondente, para evitar refatorar o código e criar uma(s) interfaces e programar polimorficamente você pode usar o dynamic e invocar em runtime o método. O contraponto é performance e perda do intellisense.

Isso só vai funcionar se todos os serviços tem o mesmo nome de métodos.

Ex:

    public static class MyFactory
    {
        public static dynamic GetService(TableType type)
        {
            switch (type)
            {
                case TableType.Table1:
                    return new Service1();
                case TableType.Table2:
                    return new Service2();
                case TableType.Table3:
                    return new Service3();
                default:
                    return null;
            }
        }
    }

    public enum TableType 
    {
        Table1,
        Table2,
        Table3,
    }


public class Service1 { public int Xpto(int i) { return i; } }
public class Service2 { public double Xpto(double d) { return d; } }
public class Service3 { public string Xpto(string s) { return s; } }

Uso com retorno e parametros distintos:

var service = MyFactory.GetService(TableType.Table1);
Console.WriteLine(service.Xpto(1));

service = MyFactory.GetService(TableType.Table2);
Console.WriteLine(service.Xpto(4.0));

service = MyFactory.GetService(TableType.Table3);
Console.WriteLine(service.Xpto("Xpto"));
0

A arquitetura dos serviços deve seguir a mesma arquitetura das entidades e para isso você deve utilizar o polimorfismo dos seus objetos de serviço e encapsular somente aquilo que cada um precisa. No exemplo dado, uma implementação mais flexível seria criar uma interface genérica que contenha o método a ser utilizado e criar um serviço para cada tipo de entidade que implemente essa interface. Será necessário para isso uma classe seletora, que é aquela que terá somente a lógica do que está no switch. Dessa forma todo código estará com o encapsulamento devido. Segue a refatoração do exemplo que você postou:

public class FooService
{
    public void Inserir(object foo)
    {
        IService insertService = InsertServiceSelector.GetService(foo);
        insertService.RealizarAlgumProcesso(foo);
    }
}

interface IService
{
    void RealizarAlgumProcesso(object foo);
}

class StringService : IService
{
    public void RealizarAlgumProcesso(object foo)
    {
        string bar = (string) foo;
        /* ...Serviço para Strings... */
    }
}

class IntegerService : IService
{
    public void RealizarAlgumProcesso(object foo)
    {
        int bar = (int) foo;
        /* ...Serviço para inteiros.. */
    }
}

class InsertServiceSelector
{
    public static IService GetService(object foo)
    {
        if(foo is string)
            return new StringService();

        if (foo is int)
            return new IntegerService();

        /*... A lógica de seleção fica encapsulada...*/

    }
}

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.