3

Explicando o problema, preciso consultar uma função no POSTGRES:

SELECT * from pgr_dijkstra('SELECT gid AS id, source, target, length AS cost FROM ways', 11111, 22222);

O "pgr_dijkstra" é uma função do POSTGIS, e não uma tabela. Me retorna o menor caminho entre o "source"(11111) e o "target(2222)". O resultado são 6 colunas: "seq, path_seq, node, edge, cost e agg_cost".

Por "pgr_dijkstra" ser uma função eu não posso simplesmente criar uma classe no meu código e anotar ela com @Entity, acrescentando também @Id para "seq" e criar os demais 5 campos (path_seq, node, edge, cost e agg_cost). Isso criaria uma nova tabela no banco de dados. Após pesquisar muito, achei uma solução que acredito estar longe do ideal, que não seria boa prática. OBS: Estou usando Spring Boot + Java. O valor do "source" e "target" não serão fixos, os usuários irão enviar via browser, coloquei fixo somente para testar essa parte mais rapidamente.

Classe POJO

public class Dijkstra3 {

    public Integer seq;
    public Integer path_seq;
    public BigInteger node;
    public BigInteger edge;
    public double cost;
    public double agg_cost;

    public Dijkstra3(Integer seq, Integer path_seq, BigInteger node, BigInteger edge, double cost, double agg_cost) {
        super();
        this.seq = seq;
        this.path_seq = path_seq;
        this.node = node;
        this.edge = edge;
        this.cost = cost;
        this.agg_cost = agg_cost;
    }

    //GETTERS ...

}

Mapeamento da consulta

Classe abstrata com o meu @SqlResultSetMapping e @NamedNativeQuery. A anotação @SqlResultSetMapping está mapeando o resultando para Dijkstra3.class, que é meu POJO. @NamedNativeQuery é minha query, que vou usar, nela aponto para o mapeamento "DijkstraMapping". Eu anotei a classe com @MappedSuperclass, se eu não fizesse isso teria que anotar com @Entity e uma nova tabela no banco de dados seria criada.

@SqlResultSetMapping(
    name = "DijkstraMapping",
    classes = {
        @ConstructorResult(
            columns = {
                @ColumnResult(name="seq", type=Integer.class),
                @ColumnResult(name="path_seq", type=Integer.class),
                @ColumnResult(name="node", type=BigInteger.class),
                @ColumnResult(name="edge", type=BigInteger.class),
                @ColumnResult(name="cost", type=Double.class),
                @ColumnResult(name="agg_cost", type=Double.class)
            },
            targetClass = Dijkstra3.class
        )
    }
)

@NamedNativeQueries({
    @NamedNativeQuery(
         name = "GetDijkstra",
         query = "SELECT * from pgr_dijkstra('SELECT gid AS id, source, target, length AS cost FROM ways', 11111, 22222)",
          resultSetMapping = "DijkstraMapping"
    )
}) 

@MappedSuperclass
public abstract class DijkstraSqlMap{

}

Repository

@Repository
public class TestRepository2 {      

    @PersistenceContext
    EntityManager em;

    public List<Dijkstra3> callDijkstra(){
  
        TypedQuery<Dijkstra3> query = em.createNamedQuery("GetDijkstra", Dijkstra3.class);
        List<Dijkstra3> lista = query.getResultList();

        return lista;
    }
}

Controller ou Service:

@Autowired
TestRepository2 testeRepository2;

...

List<Dijkstra3> callHelloWorld = testeRepository2.callDijkstra();

...     

Isso funciona. Após pesquisar e testar tudo o que encontrei, essa foi a melhor forma que encontrei de se pegar o resultado de uma query utilizando JPA, passar os dados para um objeto / POJO, e principalmente NÃO CRIAR UMA NOVA TABELA NO BANCO DE DADOS, pois "pgr_dijkstra" é uma função e os seus dados de retorno não representam uma tabela.

É correto anotar a classe DijkstraSqlMap com @MappedSuperclass para apenas não precisar anotar com @Entity? Existe alguma outra melhor maneira de pegar o resultado de uma consulta no banco de dados e passar para um objeto / POJO sem criar uma nova tabela no banco? Agradeço o tempo e ajuda de vocês.

1
  • Olha, eu não domino JPA mas já usei @MappedSuperclass, sei que ela omite a criação da tabela se não for uma @Entity (mas tiver subclasses @Entitys). Só que a meu ver o objetivo dela é permitir mapear herança de classes (comportamento e dados reusáveis isolados em uma abstração) p/ o modelo relacional quando você não tem necessidade de persistir em uma "tabela-pai", vejo isso pelo próprio nome da annotation, e entendo que não é para isso que você está usando. Eu não entendi bem a relação entre a @MappedSuperclass e a query nativa/named que você está chamando, então não sei opinar mais.
    – Piovezan
    16/02 às 3:53
5

Correto é relativo nesse caso. Você está lidando com uma limitação do JPA - o fato de anotações @NamedNativeQuery e @SqlResultSetMapping precisarem estar atreladas a alguma entidade para que o JPA consiga encontrá-las. Seu código funciona, mas realmente é estranho criar uma superclasse mapeada só para ter algum lugar para estacionar sua named query.

É claro que existem alternativas para o uso de @MappedSuperclass. Cada uma com seu prós e contras.

1. "Emprestar" o escopo de alguma outra entidade relacionada ao problema.

Como Dijkstra3 é um POJO simples você não pode mover a named query para essa classe. Dito isso, talvez você tenha alguma entidade relacionada. Por exemplo, talvez a sua tabela ways esteja mapeada para uma entidade Way no seu código. Como no fundo essa é uma consulta indireta a tabela ways, eu não veria nenhum problema em definir a consulta no topo dessa entidade.

2. Mover a query para um arquivo XML

Essa também é uma opção, por exemplo, usando META-INF/orm.xml:

<named-native-query name="GetDijkstra" result-set-mapping="DijkstraMapping">
    <query>SELECT * from pgr_dijkstra('SELECT gid AS id, source, target, length AS cost FROM ways', 11111, 22222)</query>
</named-native-query>

<sql-result-set-mapping name="DijkstraMapping">
    <constructor-result target-class="meu.pacote.Dijkstra3">
        <column name="seq" class="java.lang.Integer"/>
        <column name="path_seq" class="java.lang.Integer"/>
        <column name="node" class="java.math.BigInteger"/>
        <column name="edge" class="java.math.BigInteger"/>
        <column name="seq" class="java.lang.Integer"/>
        <column name="path_seq" class="java.lang.Integer"/>
    </constructor-result>
</sql-result-set-mapping>

3. Fazer a sua consulta diretamente

Você não precisa definir uma named query, como você tem acesso direto ao EntityManager basta fazer a consulta com o SQL. Por exemplo, chamando os métodos createNativeQuery ou createStoredProcedureQuery no seu repositório.

Query query = em.createNativeQuery("SELECT * from pgr_dijkstra('SELECT gid AS id, source, target, length AS cost FROM ways', 11111, 22222)", "DijkstraMapping");
@SuppressWarnings("unchecked")
List<Dijkstra3> lista = query.getResultList();

É claro que nesse caso DijkstraMapping precisa ter sido definido em algum lugar. Alternativamente você pode não usar o mapping e mapear a o resultado (List<Object[]>) manualmente ou utilizando uma biblioteca como MapStruct.

4. Query nativa + ResultTransformer do Hibernate

Conforme esse artigo do Vlad Mihalcea também é possível usar um ResultTransformer do Hibernate ara retornar um DTO da query nativa (veja também documentação oficial):

List<Dijkstra3> distances = em.createNativeQuery("SELECT * from pgr_dijkstra('SELECT gid AS id, source, target, length AS cost FROM ways', 11111, 22222)")
    .unwrap(org.hibernate.query.NativeQuery.class)
    .setResultTransformer(
        Transformers.aliasToBean(Dijkstra3.class))
    .getResultList();

O método setResultTransformer foi marcado como deprecated na versão 5.2 do Hibernate, porém, conforme outro artigo do Vlad, por enquanto você ainda tem que usar esse método, já que s alternativa com @FunctionInterface só estará disponível no Hibernate 6.

5. Abusar do @Subselect

Outra opção do Hibernate é a anotação @Subselect. O propósito da anotação é fazer com que Dijkstra3 esteja ligado a uma query ao invés de uma tabela.

@Entity
@Subselect("SELECT * from pgr_dijkstra('SELECT gid AS id, source, target, length AS cost FROM ways', 11111, 22222)")
@Synchronize({ "ways" })
public class Dijkstra3 { // ... }

Dito isso, desconheço uma boa maneira de passar parâmetros dinamicamente para essa consulta.

6. Usar uma biblioteca em cima do JPA

Como você percebeu o JPA tem suas limitações e já está mostrando sua idade. A última versão do JPA (2.2) é de 2017. Desejo toda a sorte do mundo para o projeto Jakarta EE, e não quero ser injusto (migrar o projeto está sendo um esforço descomunal), mas até agora o foco foi rebranding e renaming de pacotes (o Jakarta Persistence 3.0 é basicamente o JPA 2.2 em outro pacote). Quem sabe o Jakarta EE 10 não trará algumas novidades para a especificação de persistência.

Spring Data

Enquanto isso libraries como Spring Data vão ganhando espaço. Como você já está usando Spring talvez valha a pena considerar algo assim. Com Spring Data JPA, por exemplo, você pode combinar a anotação @Query com projeções para fazer o que você precisa (Para mais detalhes, veja essa resposta do usuário Michal Stochmal no Stack Overflow em inglês):

@Query(value = "SELECT * from pgr_dijkstra('SELECT gid AS id, source, target, length AS cost FROM ways', ?1, ?2)", nativeQuery = true)
List<Dijkstra3> callDijkstra(int source, int target);

Porém você ainda precisará ter uma entidade para o Repositório bem como fazer com que as colunas de consulta batam com a projeção.

Outras opções

Em algumas situações talvez compense tirar o JPA e o Hibernate da jogada. Você pode sempre trabalhar com uma abstração em cima do JDBC como o Spring Data JDBC, JOOQ ou JDBI. Eu admito que apesar de ter criado a tag aqui no Stack Overflow em Português, hoje em dia quando a escolha tecnológica cabe a mim eu dificilmente parto diretamente para um ORM.

2
  • Obrigado Anthony. Eu fiz + um teste com a opção do ResultTransformer do Hibernate. Funcionou perfeitamente, e achei melhor porque eu pude excluir minha classe "ways" anotada com Entity, não necessito dessa classe no projeto. Sou iniciante e leio muito sobre programar baseado na especificação, e não em uma implementação como Hibernate. Mas nesse caso não vejo problema algum, é um recurso que ele oferece e que serve perfeitamente para o meu problema, e q até mesmo o Vlad sugere usar no artigo que você citou. Anotarei com deprecated e //TODO até o Hibernate 6 aparecer com o @FunctionInterface. 17/02 às 4:16
  • 1
    Glad to be of service. Estou apagando meus comentários aqui para não bagunçar o post. Quando tiver com tempo traduzo minha resposta para o seu crosspost no SOen. 17/02 às 4:26

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.