4

O problema:

Com um nome muito criativo, o Protagonista está em seu primeiro episódio de sua incrível saga!

Em uma tarde qualquer Z, o melhor amigo do Protagonista, desafiou o mesmo para um desafio super divertido.

Z escreve dois números inteiros A e B em um quadro branco e pergunta se o Protagonista pode fazer com que os dois inteiros se tornem iguais usando o número mínimo de movimentos.

Em um movimento, o Protagonista pode fazer uma das seguintes ações:

  1. Escolher um dos números e adicionar 3 a ele (x = x + 3).

  2. Escolher um dos números e adicionar 2 a ele (x = x + 2).

Sabendo disso, como o Protagonista sabe que você é muito bom ele pediu para que você ajudasse ele nessa missão e o dissesse qual a quantidade minima de movimentos que ele precisa para fazer com que os dois números se tornem iguais. Você recebe dois inteiros (1 <= A, B <= 10^5). Deve ser impresso um único inteiro N, equivalente a quantidade minima de movimentos que o Protagonista precisa para fazer.

Minha tentativa: A entrada ali é padrão da questão pois ele informa os dois números na mesma linha, eu criei uma lista já adicionando eles convertidos pra inteiros pq eles anteriormente eram strings.
Usei a função max() e min() pra pegar os respectivos valores (maior e menor).
As variáveis estão nomeadas assim pois ainda estava testando, c1 e c2 são os contadores dos movimentos de soma que eu faço no menor número, a e b são duas variáveis temporárias que eu criei pra pegar o valor do menor número.

Depois eu tento criar uma lista de números pulando de 2/3 até chegar no maior número, incrementando o contador a cada repetição. No final eu comparo qual contador é menor, pois seria a resposta final, o primeiro if, ficou assim pois em alguns casos o contador de ambos ficava igual ex: quando a entrada era 6 e 8.

inserir a descrição da imagem aqui

entrada = str(input()).split()

numeros = []

for i in entrada:
    numeros.append(int(i))

B = max(numeros)
A = min(numeros)
 
div, mod = divmod(B-A, 3)
if mod != 0:
    div += 3 - mod
 
print(f'{div}')
9
  • 1
    Poderia descrever em texto qual foi a lógica que tentou implementar? – Woss 29/01 às 15:30
  • 1
    Com calma, que não esta dando para entender. Você recebe dois números, no menor você vai o somando de três em três, no maior você vai somando de dois em dois. Você quer saber quantas somas serão necessárias para que os valores sejam iguais? – Augusto Vasques 29/01 às 18:12
  • 1
    Você pode colocar tudo isso direto na pergunta ao editar. Melhor que deixar isso nos comentários. – Woss 29/01 às 18:13
  • 1
    @AugustoVasques depois eu tenho que dizer qual é o menor movimento que eu faço pra igualar os número (usando 3 ou 2) – João Victor 29/01 às 18:19
  • 1
    Agora ficou claro, vou só mexer um pouco para facilitar a leitura. – Augusto Vasques 29/01 às 18:25

3 Respostas 3

7

Complementando a outra resposta (que como o próprio autor reconheceu, em alguns casos pode falhar), segue um pequeno ajuste.

A ideia continua a mesma: pegamos a diferença entre os números e dividimos por 3 (vamos chamar o resultado desta divisão de n).

Se a divisão for exata (ou seja, se o resto for zero), isso quer dizer que a está a exatamente n incrementos de 3 de b. Até aqui, está igual ao raciocínio da outra resposta.

Se o resto da divisão for 2, então basta fazer mais um incremento de 2 (ou seja, continua igual à outra resposta):

a  | a + 3 | a + 6 ... | a + 3n |   2   b
   <---------------------------->   ^
        n incrementos de 3          |
                                    \_ 1 incremento de 2

Total: n + 1 incrementos

Mas e se o resto da divisão for 1? Isso quer dizer que temos o seguinte:

a  | a + 3 | a + 6 ... | a + 3n |   1   b
   <---------------------------->
        n incrementos de 3        + 1

A princípio, bastaria mais um incremento de 3 em a e um incremento de 2 em b (que foi o sugerido na outra resposta), totalizando n + 2 incrementos. Mas na verdade dá para fazer assim:

  • em vez de n incrementos de 3, fazemos n - 1 incrementos de 3. Com isso, ainda faltará 4 para chegar a b
  • em seguida, fazemos 2 incrementos de 2
a  | a + 3 | a + 6 ... | a + 3(n - 1) |   4     b
   <---------------------------------->   ^
        n - 1 incrementos de 3            |
                                          \_  2 incrementos de 2, totalizando os 4 que faltam

Total: n + 1 incrementos

No total, teremos n - 1 incrementos de 3, e 2 incrementos de 2, totalizando n + 1 incrementos.


Ou seja, no fundo tudo se resumiria a:

  • divide b - a por 3
  • se a divisão for exata, o resultado da divisão é a resposta
  • se não for exata, soma 1 ao resultado da divisão

Mas ainda não é suficiente

Se a diferença entre a e b for menor que 3, o valor de n é igual a zero, então não dá para aplicar a regra acima, pois não temos como fazer n - 1 incrementos de 3 (pois isso daria "-1 incrementos").

Então neste caso específico temos:

  • se o resto for 1, teria que ser 2 incrementos (1 de 3 em a e 1 de 2 em b)
  • se o resto for 2, teria que ser 1 incremento de 2 em a
  • se o resto for zero, é porque a e b são iguais, então precisa de zero incrementos

Juntando tudo, ficaria assim:

# ler os valores de "a" e "b"...

qtd, resto = divmod(b - a, 3)
if resto != 0:
    if qtd == 0: # quando a diferença entre a e b é menor que 3
        qtd = 3 - resto
    else:
        qtd += 1
print(f'Foram necessários {qtd} movimentos')

E aproveitando, se você sabe que a entrada sempre terá 2 números na mesma linha e nada mais, pode lê-los assim:

a, b = map(int, input().split())

E se eles não necessariamente estiverem em ordem (por exemplo, se o a puder ser maior que o b na entrada), pode calcular a diferença usando abs, para que retorne o valor sem sinal:

qtd, resto = divmod(abs(b - a), 3)

Desta forma você não precisa se preocupar em criar uma lista com os números, para depois pegar o max e o min.

Ou ainda, como são apenas 2 números, bastaria invertê-los se o a for maior:

a, b = map(int, input().split())
if a > b:
    a, b = b, a
qtd, resto = divmod(b - a, 3)
etc...
0
6

A solução apresentada nesta resposta não funciona para todas as situações.

Não analisarei seu código, pois você compreendeu errado o problema e o código não reflete o que se pede no exercício.

Considerando que você possui os números A e B (B > A).

A cada "movimento" você pode decidir se deseja incrementar em 2 ou incrementar em 3 qualquer um dos números, até que fiquem numericamente iguais. Por exemplo, considerando que A=2 e B=13, precisamos sair de 2 até igualar a 13.

  1. Podemos adicionar 3 em A, obtendo A=5;
  2. Podemos adicionar 3 em A, obtendo A=8;
  3. Podemos adicionar 3 em A, obtendo A=11;
  4. Podemos adicionar 2 em A, obtendo A=13;

Portanto, foram necessários 4 "movimentos". Mas e se fosse A=2 e B=12?

  1. Podemos adicionar 3 em A, obtendo A=5;
  2. Podemos adicionar 3 em A, obtendo A=8;
  3. Podemos adicionar 3 em A, obtendo A=11;
  4. Podemos adicionar 2 em B, obtendo B=14;
  5. Podemos adicionar 3 em A, obtendo A=14;

Sendo necessários, agora, 5 "movimentos".

A lógica se simplifica em:

  • Enquanto a diferença B-A for maior ou igual a 3, incremente A em 3;
  • Se a diferença B-A for igual a 2, incremente A em 2;
  • Se a diferença B-A for igual a 1, incremente B em 2;

Em código, ficaria algo como:

quantidade = 0

while (B-A > 0):
  quantidade += 1
  if B-A >= 3:
    A += 3
  elif B-A == 2:
    A += 2
  else:
    B += 2

print(f'Foram necessários {quantidade} movimentos')

Ou ainda:

quantidade = 0

while (B-A >= 3):
  quantidade += 1
  A += 3

if B-A == 2:
  A += 2
  quantidade += 1
elif B-A == 1:
  B += 2
  A += 3
  quantidade += 2

print(f'Foram necessários {quantidade} movimentos')

Essa solução não é ideal, embora seja mais simples de entender, pois sua complexidade computacional é O(n), em que o número de operações realizadas será diretamente dependente da entrada. Para B >> A, haverá impacto em performance.

Matemática ❤️

Você não precisa de um laço de repetição para saber quantas vezes você irá incrementar em 3 o valor de A até ele se aproximar de B. A matemática já te diz isso em uma operação.

  • Se o valor B-A for múltiplo de 3, você precisará (B-A)//3 movimentos - apenas incrementos de 3 em A;
  • Se o resto da divisão de B-A por 3 for 2, você precisará (B-A)//3 + 1 movimentos - vários incrementos de 3 e um de 2 em A;
  • Se o resto da divisão de B-A por 3 for 1, você precisará (B-A)//3 + 2 movimentos - vários incrementos de 3 em A, um incremento de 2 em A e um incremento de 2 em B;

Entenda // como divisão inteira entre os operandos.

Portanto:

quantidade = 0

if (B-A) % 3 == 0:
  quantidade = (B-A) // 3
elif (B-A) % 3 == 1:
  quantidade = (B-A) // 3 + 2
else:
  quantidade = (B-A) // 3 + 1

print(f'Foram necessários {quantidade} movimentos')

Essa solução é ideal, mesmo que inicialmente pareça mais complexa, pois sua complexidade computacional é O(1), realizando exatamente o mesmo número de operações, independente da entrada. O impacto em B >> A será o mesmo que quando B é muito próximo de A.

Matemática ❤️ v2.0.0

Graças a colaboração do @hkotsubo nos comentários lembrando da função divmod, é possível ainda fazer:

A = 2
B = 13

div, mod = divmod(B-A, 3)

if mod == 2:
    mod = 1
elif mod == 1:
    mod = 2

print(f'Foram necessários {div+mod} movimentos')
2
1

Só uma pequena reescrita (de gosto ofuscado e duvidoso) da versão @hkotsubo, no intuito de descomprimir dum trabalho chato que tenho que fazer...

a,b = sorted(map(int,input().split()))
q,r = divmod(b-a,3)
print( q + (r!=0) + (b-a==1))

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.