6

A partir de versões mais recentes do Node.js, pode-se utilizar o padrão ECMAScript Modules (ao invés do antigo CommonJS) para a importação de módulos através da extensão .mjs ou campo type definido como module no package.json.

No entanto, entre as diferenças, percebi que não consigo mais utilizar as constantes (do Node.js com CommonJS) __filename e __dirname para ter acesso ao caminho absoluto do arquivo atual e do diretório atual, respectivamente.

A pergunta é: quais são os substitutos para __filename e __dirname no Node.js com ECMAScript Modules?

2 Respostas 2

4

Como a fonte no SOen sugere diversos usos para trabalhar com o import.meta.url Alternative for __dirname in node when using the --experimental-modules flag, no entanto o que não foi falado é que o propósito do fileURLToPath é além de "resolver" URLs com file://, como a própria documentação demonstra (url.fileURLToPath):

fileURLToPath('file:///C:/path/');    // Saída:   C:\path\ (Windows)
fileURLToPath('file://nas/foo.txt');  // Saída:   \\nas\foo.txt (Windows)
fileURLToPath('file:///你好.txt');    // Saída:   /你好.txt (POSIX)
fileURLToPath('file:///hello world'); // Saída:   /hello world (POSIX)

Ou seja, ele ajusta para o sistema operacional também, isso é útil aonde realmente é estrito a necessidade dos separadores para o sistema operacional especifico (Windows ou POSIX) e para tratar URLs que esteja codificadas com "porcentagem".

Se a necessidade de obter o caminho do script atual não é estrito ao "separador de pastas" e o import.meta.url não traz a URL codificada, então não precisa do fileURLToPath, podemos simplesmente podemos trabalhar com o objeto URL (veja também https://developer.mozilla.org/en-US/docs/Web/API/URL), inclusive a própria documentação do Node sugere que use assim:

Geralmente precisamos de __dirname para obter outro arquivo no mesmo nível do script ou módulo que está sendo executado, então bastaria usar isso:

console.log(new URL('./foo.txt', import.meta.url));

Pronto, o new URL já trata o caminho, sem precisar concatenar, sem precisar fazer nada muito além, claro que isso vai retornar uma objeto URL, mas as funções nativas estão prontas para isso, por exemplo, se desejar ler um arquivo (usei o toString só para ver output, o ideal é trabalhar com stream):

import { readFileSync } from 'fs';

const output = readFileSync(new URL('./foo.txt', import.meta.url));

console.log(output.toString());

Se deseja listar o conteúdo de uma pasta:

import { readdirSync } from 'fs';

readdirSync(new URL('./', import.meta.url)).forEach(function (dirContent) {
  console.log(dirContent);
});

Observe que na maioria (se não todos) métodos comuns para trabalhar com "stream", tem o parâmetro que aceita <URL>, exemplos:

Agora claro que concordo que se a intenção é fazer um "log próprio" ou coisas do tipo até vale algumas coisas feitas "na mão" com criar o seu próprio __dirname, mas para o uso normal do que o Node.js já oferece, dentro do ESMODULES é totalmente possível não depdender nem de __filename e nem de __dirname, pois os recursos nativos com new URL já resolvem.

Observe que se você estiver interessado em usar algo como "require" em momentos estratégicos e precisa do caminho absoluto a partir do script principal, você pode usar module.createRequire(filename) (somente Node.js v12.2.0+) combinado com import.meta.url para carregar scripts em níveis diferentes do nível do script atual, pois isso já ajuda evitar a necessidade do __dirname, um exemplo usando o import.meta.url com module.createRequire:

import { createRequire } from 'module';
const require = createRequire(import.meta.url);

// foo-bar.js is a CommonJS module.
const fooBar = require('./foo-bar');

fooBar();

Conteúdo do foo-bar.js:

module.exports = () => {
    console.log('hello world!');
};

O que seria semelhante a fazer sem o "ECMAScript Modules":

const fooBar = require('./foo-bar');
2
  • @LuizFelipe a alternativa é "não precisa disso", a ideia é que se existe um caminho que funciona não tem o porque remendar ;) – Guilherme Nascimento 10/02 às 16:03
  • @LuizFelipe o que perfeitamente new URL + import.meta.url com as APIs nativas resolvem ;), como descrito na resposta. – Guilherme Nascimento 10/02 às 16:06
4

Equivalente a __filename

Existe import.meta.url, que retorna o URL (não confundir URL com caminho, ou path no inglês) do arquivo atual sob o protocolo file:. Um exemplo:

import.meta.url;
//=> file:///Path/to/file.js

Mas note que isso não é, de fato, um caminho (path), mas sim uma string de URL (que utiliza o protocolo file:). Para convertê-lo a um caminho válido, pode-se utilizar fileURLToPath, disponível no módulo url. Um exemplo:

import { fileURLToPath } from 'url';

fileURLToPath(import.meta.url);
//=> /Path/to/file.js

Equivalente a __dirname

E, para obter o diretório do arquivo atual, pode-se utilizar a função dirname, presente no módulo path. Um exemplo:

import { dirname } from 'path';
import { fileURLToPath } from 'url';

dirname(fileURLToPath(import.meta.url));
//=> /Path/to

Vale lembrar que algumas APIs, como a outra resposta aponta, podem suportar instâncias de URL diretamente para a conveniência do programador. Nesses casos, pode ser realmente preferível utilizar essa abordagem, já que evita-se o uso da função url::fileURLToPath explicitamente.

É importante ressaltar, no entanto, que o fileURLToPath continuará sendo utilizado pelo Node.js, que acabará utilizando essa mesma função internamente para converter a instância de URL passada em um caminho (path), tal como originalmente esperado.

Referência

3
  • É são diversas a soluções com import.meta.url conforme a fonte Alternative for __dirname in node when using the --experimental-modules flag, quando vi a primeira vez essas respostas achei um pouco de exagero de quase todas, se sabemos que vai sempre retornar file:// até um slice ou substr, ou qualquer coisa próxima evitaria importar um módulo todo só para resolver o __filename e __dirname. Claro que compreendo que são APIs nativas e por isso as pessoas usam. – Guilherme Nascimento 25/01 às 4:13
  • Por isso mesmo formulei a resposta, para explicar e até colocar o que implica usar o fileURLToPath, já que a origem do problema começa por ai. – Guilherme Nascimento 10/02 às 16:05
  • O que é dito na resposta já formulada, ele serve para resolver "mais coisas" e o problema de adicionar uma / quando vai tratar algo de Windows, pois ele entende o C: ou D: ou ect como outra coisa, nem cheguei a comentar isso porque já achei que era mais que suficiente dizer que fileURLToPath é feito para outros objetivos, usa-lo como nas respostas da fonte stackoverflow.com/a/50052194/1518921 pode até funcionar, não quer dizer que seja o objetivo ou o meio principal, Já que dá para resolver leitura de arquivos e pastas diretamente com o que tem nativo ;) – Guilherme Nascimento 10/02 às 16:08

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.