9

O PHP 8 parece já ter sido lançado, com uma série de mudanças e coisas novas. Entre as mudanças, criaram a expressão match.

Vi que ela lembra um pouco o velho e tradicional switch, mas parece um pouco diferente.

Exemplo da documentação:

$age = 23;

$result = match (true) {
    $age >= 65 => 'senior',
    $age >= 25 => 'adult',
    $age >= 18 => 'young adult',
    default => 'kid',
};

var_dump($result); // string(11) "young adult"

Gostaria de saber:

  • Quais são as principais diferenças entre switch e match?
  • Essa funcionalidade substitui switch ou é apenas diferente?
4
  • 8
    A finalidade do switch não é retornar resultados, e sim controlar fluxo. Nas linguagens onde é implementado corretamente, o switch equivale ao goto, criando efetivamente uma jumplist (e não ao if / elseif, como os leigos confundem) - No PHP sempre foi uma coisa nebulosa. O match provavelmente corresponde à atual tendência da linguagem de "ah, essa outra linguagem tem, então também precisamos", o que na prática só é mais uma expressão qualquer. Seja lá como usarem, já tinha como fazer a mesma coisa antes, mas vai agradar quem acredita na lenda de que "escrever menos é sempre melhor". – Bacco 6/12/20 às 18:11
  • 3
    Interessante seria mostrar que não é uma ideia nova mas que é algo já existente a muito em linguagens funcionais e agora importado para o PHP, Pattern match. – Augusto Vasques 11/12/20 às 16:07
  • 2
    Realmente, @AugustoVasques, e o pior é que o PHP implementou de uma forma "pobre", sem fazer uso de todo o poder que a ideia do pattern match traz. Veja como é mais poderoso em linguagens como Rust, Haskell, Elixir ou até a proposta que pode vir para o JavaScript, pois permite, por exemplo, "desempacotar" valores de tipos algébricos mais complexos (como tuplas, records etc). Aparentemente o PHP (ainda?) não permite isso. – Luiz Felipe 11/12/20 às 16:31
  • 2
    Quanto a funcionalidade, se parece mais com o vários condicionais ternários (c ? t : f) encadeados – Costamilam 12/12/20 às 22:40

2 Respostas 2

10
+100

A declaração switch

Basicamente, o switch é um declaração (no inglês statement) que permite o programador controlar o fluxo do código. O switch decide quais "braços" serão executados com base em uma sequência de comparações.

O switch recebe um valor principal, ao qual será comparado pelo valor colocado em cada case. Em todos os casos em que a comparação de igualdade for verdadeira, corpo do case será executado.

Um exemplo:

<?php
$a = 5;
$b = 6;
$operator = '*';

switch ($operator) {
    case '+':
        echo 'Soma: ' . $a + $b;
        break;
    case '-':
        echo 'Subtração: ' . $a - $b;
        break;
    case '*':
        echo 'Multiplicação: ' . $a * $b;
        break;
    case '/':
        // Cuidado com a divisão por zero.
        echo 'Divisão: ' . $a / $b;
        break;
    default:
        echo 'Operação inválida.';
}

Observe que:

  • O switch foi utilizado para alterar o fluxo do código, a depender da variável $operator.
  • Utilizei o break ao final de cada case (exceto no default). Isso é necessário porque, sem eles, o switch executaria todos os cases abaixo daquele que foi avaliado verdadeiramente. Esse comportamento é chamado switch fallthrough.

Pode-se afirmar, portanto, que o principal objetivo de um switch é controlar o fluxo de um código através da comparação da igualdade entre o valor do switch ao de cada case.

Eventualmente, para substituir uma sequência de vários if/elses pela declaração switch, alguns programadores utilizam switch (true) como artifício para fazer com que cada case seja executado a partir de uma avaliação de valor verdadeiro (já que cada case será implicitamente comparado com true, a expressão passada para o switch). No entanto, essa prática pode ser classificada como "gambiarra", uma vez que utiliza do switch para fazer algo que uma sequência de if/else faz — a economia de linhas é, também, raramente significante ao ponto de justificar tal utilização.


A expressão match

Ao contrário do switch, o match é uma expressão e, por isso, sempre deve retornar um valor. Por isso, o uso de match será agora recomendado quando tiver que se retornar um valor.

Vejamos um outro exemplo de switch, que utiliza de uma variável externa para armazenar o valor computado:

<?php
$a = 5;
$b = 6;
$operator = '*';

$result = 0; // Armazenaremos o resultado das computações aqui.
switch ($operator) {
    case '+': $result = $a + $b; break;
    case '-': $result = $a - $b; break;
    case '*': $result = $a * $b; break;
    case '/': $result = $a / $b; break;
}

echo "O resultado da operação com o operador `$operator` é $result.";

Note que, como switch foi feito para controlar fluxo, se quisermos utilizá-lo para computar um valor, temos que manter uma variável externa. Fiz isso com $result, para armazenar o resultado obtido pela "calculadora" implementada.

Nesse tipo de cenário, o switch pode ser elegantemente substituído por uma expressão match:

<?php
$a = 5;
$b = 6;
$operator = '*';

$result = match ($operator) {
    '+' => $a + $b,
    '-' => $a - $b,
    '*' => $a * $b,
    '/' => $a / $b
};

echo "O resultado da operação com o operador `$operator` é $result.";

A saída do código é a mesma, mas a diferença é gritante. Note que, como match é uma expressão, ao contrário do switch, o uso de ponto e vírgula ao final da expressão é obrigatório.

Observe também que, embora o switch permita a utilização de um default case, ele acaba sendo opcional (como fiz nos exemplo acima). No match, no entanto, embora você tenha a opção de utilizar um default case, no caso de você não o incluir, uma exceção do tipo UnhandledMatchError será lançada se uma expressão sem match for encontrada. Isso mostra que match sempre há de retornar um valor. Caso contrário, você deverá lidar com essa exceção. Mais detalhes na documentação.

Diferenças

De modo geral, as diferenças são:

  • O switch é uma declaração e match é uma expressão. Portanto, switch por si só não é capaz de produzir um valor ao ser avaliado. Já match, sim.
  • Ausência de coerção de tipos. Ao comparar os valores de cada case, switch utiliza o operador == (que faz conversão automática de tipos). Já o match, ao fazer as avaliações, utiliza === (que não faz coerção de tipos).
  • O switch permite que vários cases sejam executados em seguida (se você não utilizar o break). Isso se chama fallthrough. Ao contrário, match não permite isso, permitindo que somente um braço seja avaliado por vez.
  • O match é exaustivo. Isso é, se encontrar uma condição que não cabe a nenhum dos braços, a exceção UnhandledMatchError. O switch não possui algo do tipo e permite que nem todos os possíveis casos sejam lidados (geralmente isso ocorre por falha do programador).

A página do RFC detalha cada uma dessas diferenças. Consulte-a para mais detalhes.

É bem mais poderoso que um switch. Também ajuda, de certo modo, programadores mais desatentos, já que possui "mecanismos nativos de defesa". No entanto, não consegui encontrar um caso de uso que o switch não desse conta — acaba que switch (quando utilizado para produzir valor) é um pouco mais verboso, mas isso raramente é um problema.

Agora pode-se dizer que é mais correto utilizar switch unicamente para controlar fluxo. Na possibilidade do controle de fluxo ter que gerar um valor, match provavelmente será o mais adequado.

Basicamente, a programação funcional tem ascendido popularidade recentemente e pattern matching é um recurso muito comum entre linguagens funcionais. Assim, o PHP, provavelmente para não "ficar para trás", parece ter decidido copiar esses recursos. Há quem diga que é bom, pois moderniza a linguagem. Outros podem achar que não. De certo modo, ambos os lados têm razão. Introduzir esse tipo de recurso pode facilitar certos casos de uso, mas será que realmente vale a pena introduzir um novo tipo de construção sintática na linguagem?

8
  • 4
    Eu não sei, mas, eu acho que a rede é muito preconceituosa com PHP e também quem desenvolve com PHP, quando há recursos adicionados sempre tem pessoas criticando que isso não é bom, que isso não faz sentido, que escrever menos nem sempre é o melhor, mas, a galera que realmente gosta do PHP e utiliza gostou muito das últimas novidades, só queria deixar ratificado isso, porque eu vejo aqui não de maneira geral criticas muitos infundadas. Gostei da sua resposta +1. – novic 6/12/20 às 21:51
  • 4
    @novic, obrigado. :) Não diria que é preconceito, mas sim talvez (não posso falar por ninguém) preocupação. De modo geral, entendo que quem gostou da adição (eu mesmo espero pela introdução de algo parecido no JS) pode utilizar o novo recurso para fazer códigos mais expressivos e curtos. No entanto, pelo menos até onde pude constatar, o pattern matching do PHP é um pouco limitado, o q pode também não justificar sua adição. Não consegui ver nenhum exemplo de match para estruturas aninhadas (veja último exemplo no link anterior) em PHP. – Luiz Felipe 6/12/20 às 22:00
  • 3
    Talvez seja possível e só não tenha sido documentado, mas ainda não tive tempo de testar. Se for possível, atualizarei esta resposta. Mas estou confiante de que, pelo menos atualmente, o match do PHP (infelizmente) só pode ser utilizado nesse tipo de avaliação mais simples. – Luiz Felipe 6/12/20 às 22:00
  • 5
    @LuizFelipe exato, o problema maior é que foi feita uma funcionalidade meia-boca, sem resolver os problemas originais do switch, e que não introduz nada importante na linguagem. O problema maior é que como grande parte dos usuários da linguagem não tem compromisso com o certo, aplaude qualquer coisa. O maior problema do PHP é o descompromisso de parte dos usuários, e não a linguagem em si (tem cara que usa faz não sei quantos anos e não sai da mesma mentalidade, é de chorar). Só que graças a isso, a linguagem foi perdendo o que a deixava vantajosa, e está tentando virar outra coisa. – Bacco 6/12/20 às 22:22
  • 4
    Agora, nem adianta eu querer prolongar muito isso nos comentários, pois o tempo que tenho usando PHP é maior do que a idade de grande maioria dos usuários do site, então pra conseguir situar todo mundo, este espaço aqui não seria adequado (e nem é minha função), então, cada um que use como quer, fazer o que. Só acho uma pena, pelo potencial desperdiçado. Ainda mais que uso PHP profissionalmente, entre outras linguagens, então não é questão só de gosto, tem o aspecto prático, e preocupação legítima. – Bacco 6/12/20 às 22:23
0

As diferenças: O match é uma expressão mais curta, que não precisa usar break em sua estrutura, você não precisa necessariamente declarar variáveis para cada caso, para retornar algo, apenas dizer diretamente o que ele irá retornar, ele pode combinar diferentes expressões usando virgula, ele é No type coercion, ou seja, é como se ele usasse === ao invés de ==, Exemplo:

$message = match ($statuscode) {
   200, 301 => null,
   404 => 'not found',
   500 => 'ERROR',
   default => 'unknown status code',
};

Valores desconhecidos irão lançar erros:

$statuscode = 1000000
$retorno = match($stauscode){
   500000 => 'Meio Milhão',
};

Nesse caso irá retornar UnhandledMatchError

Você pode ver mais detalhes e especificidades sobre match em: https://www.php.net/manual/pt_BR/control-structures.match.php

Já o switch é bem mais flexível, principalmente a nível de comparação, ele faz uma serie de comparações para decidir quais trechos de códigos, 'arms', serão executados, nele você tem que usar break, para que quando uma condição for atendida a execução do switch pare. Exemplo:

switch (true) {
case ($a === true):
    echo '$a is true';
    break;
case ($a === false):
    echo '$a is false';
    break;
case ($a === 0):
    echo '$a is 0';
    break;
}

Você pode ver mais sobre switch, na documentação do PHP: https://www.php.net/manual/pt_BR/control-structures.switch.php

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.