5

De acordo com a documentação, quando o listener de evento é atribuído como um atributo HTML, o código especificado (no valor do atributo) é envolvido em uma função, com os seguintes parâmetros:

  • event — para todos os atributos, exceto onerror;
  • event, source, lineno, colno, e error — para onerror.

O this da função é definido como o elemento HTML que contém o atributo de evento.


No entanto, uma outra pergunta aqui no SOpt (agora apagada[1]) me deixou curioso porque acessa a variável value dentro de um desses attribute handlers. Assim:

<input onkeyup="console.log(value)" />

Verificando se existe um argumento a mais, para a minha surpresa, não. Realmente, conforme colocou a documentação, somente event é passado (já que se trata de um event attribute que não é onerror):

<input onkeyup="console.log([...arguments])" />

<!-- Escondi o console do snippet porque são muitas propriedades.
     Abra e veja no próprio console do navegador. -->

Após maiores investigações, percebi que todas as propriedades de Event.target também estão no escopo. Saliento que value é uma propriedade desse objeto.

Então me parece que há algo como um with(event.target) em algum lugar, mas isso é uma suposição e não há confirmação. É, sem dúvidas, detalhe de implementação, já que a exposição desses valores pode ser feita de outro modo. O problema é que, vendo o source da função executada, não há nada além do parâmetro event:

<input onkeyup="console.log(arguments.callee.toString())" />

Pergunto:

  • Como isso acontece (como é criado o escopo desse attribute event listener)?
  • Isso está especificado?
  • Além de (aparentemente) todas as propriedades de Event.target estarem disponíveis, posso acessar mais algum valor?
  • Qual o suporte disso nos navegadores?
9
  • 2
    Creio que isso seja como usar o this aonde qualquer o objeto é o elemento DOM e os eventos são partes da interface "estendida", logo value é o mesmo que chamar this.value, para um teste rápido <input onkeyup="console.log(this)" />, outro teste com uma propriedade de um objeto Element <input onkeyup="console.log(tagName)" /> ou <input onkeyup="console.log(outerHTML)" />, resumindo, esse é o comportamento natural em diversas interfaces usadas em JS, já o arguments e Event não tem haver com o objeto diretamente sobre o teste com onkeyup="console.log(value)" 24/11/2020 às 10:19
  • 2
    @GuilhermeNascimento, o problema é que aí o acesso teria que ser explícito this.value, por exemplo. Se fizer (function() { console.log(value); }).call({ value: 50 }) dará erro. Ainda mantenho a pergunta principal de como esse acesso "implícito" é possível. E eu sei que o arguments não tem a ver com isso, utilizei-o somente para fins de demonstração. 24/11/2020 às 10:22
  • 3
    Não, porque você esta confundindo o comportamento "dentro do HTML", nele o this pode ser "implícito", não é algo absoluto JavaScript, é do "HTML" (note as aspas). Não estou citando fonte técnica e nem especificação de linguagem, o teste é prático, o "implícito" só quer dizer que em HTML (dependendo de como usa nos atributos *on) o this não precisará ser escrito (ou seja esta "implícito") 24/11/2020 às 10:24
  • 3
    @GuilhermeNascimento, procurei por referências, mas não encontrei motivos para entender que o comportamento do JavaScript mudaria dentro do atributo. Na minha concepção, se, dentro do atributo, código JavaScript é executado, então há de rodar seguindo as "regras do JS". Por isso a dúvida — o this, no JS, não é implícito (como você sabe), então ainda não consigo explicar ao certo. Aparentemente, realmente as propriedades do this são "espalhados" para o escopo do attribute listener, mas ainda não encontrei referência para isso. Você tem alguma fonte que corrobore essa sua última afirmação? 24/11/2020 às 12:36
  • 1
    Ok, vou lhes adiantar, tem muita coisa que veio no HTML e JavaScript (esse por sinal da Mozilla, os demais são dialetos "semelhantes/quase identicos") que só começaram a ser DOCUMENTADAS e padronizadas depois, os comportamentos no geral foram apenas sendo copiados entre os concorrentes, desde o surgimento do JavaScript (e na microsoft o JScript), só uns poucos anos depois veio a ter o "ECMAScript", o w3.org já existia, mas não foram eles que definiram inicialmente o comportamentos do JavaScript, já que esse veio depois do HTML já existir ... 24/11/2020 às 13:39

1 Resposta 1

3

TL;DR

O elemento que contém o attribute listener é usado para derivar o escopo da função que será executada. Por isso que as propriedades do elemento (como textContent, value etc) podem ser acessadas diretamente — porque fazem, literalmente, parte do escopo da função.

Ressalto que esta resposta vale somente para attribute event handlers (isto é, aqueles definidos diretamente em atributos no HTML). Eventos adicionados via addEventListener funcionam (similarmente) de outro jeito. Não há modificação do escopo da função passada ao segundo argumento de addEventListener.


Cada evento a ser ouvido no navegador possui um struct associado, chamado Event Handler[1], que contém um campo listener (que corresponde ao ouvidor de eventos) e outro campo, value. No caso dos eventos adicionados através de atributos no HTML, o value desse struct corresponde ao que a especificação chama de internal raw uncompiled handler.

Esse internal raw uncompiled handler é uma tupla contém as seguintes informações: [2]

  • O corpo do script (não compilado — "uncompiled"), que é o código que está inserido no valor do atributo.
  • A localização de onde o script se originou, no caso de um erro precisar ser reportado.

Uma vez que o listener é acionado, o navegador procede à avaliação (compilação) do script, que será utilizado para a criação da função callback (que será executada). Para a criação dessa função, leva-se em conta este algoritmo [3], que faz uso da operação interna OrdinaryFunctionCreate (do ECMAScript).

A OrdinaryFunctionCreate é uma operação interna do ECMAScript com a seguinte assinatura:

OrdinaryFunctionCreate (functionPrototype, ParameterList, Body, thisMode, Scope)

Ela é usada para criar a função callback. Para isso, os seguintes argumentos são passados:

  • functionPrototype ⇒ é o Function.prototype (já somos familiarizados com esse protótipo com as outras funções do JavaScript, que também o assumem).

  • ParameterList ⇒ no caso de eventos que não são erros (como onclick, onkeydown etc), corresponde a event.

  • Body ⇒ o corpo da função é gerado dinamicamente através de concatenações com o nome do evento e o corpo. É, basicamente:

    function <<name>>(event) {
    <<body>>
    }
    

    Em que <<name>> é o nome da função callback associada ao evento (como onclick) e <<body>> é o código JavaScript adicionado no atributo de evento no HTML.

  • thisMode ⇒ passa-se "non-lexical-this".

  • Scope ⇒ O escopo é definido da seguinte forma:

    • Inicialmente, o escopo o objeto document;
    • Se o elemento que possui o attribute event listener está dentro de um formulário (possui um form owner), o objeto do formulário também é incorporado ao ecopo;
    • Se o elemento que possui o attribute event listener é não nulo, o objeto desse elemento também é incorporado ao escopo.

Desse modo, pode-se afirmar que o escopo surge através dessa tripla derivação (document → form owner → eventTarget). Por isso que, inteiramente, o escopo não será igual ao this.

Consulte o algoritmo completo para saber mais.

Uma vez que a função callback esteja criada, ela é executada. Para essa invocação, o this é definido como o elemento que contém o event attribute[4].


Conclusão

Concluímos, portanto, que valores como value, textContent (e todas as outras propriedades presentes no elemento que ativou o evento) são acessíveis "diretamente" desse jeito pois estão escopo da função callback criada pelo navegador. O conceito de escopo é explicado na MDN.

Não confundir escopo com this, que, a grosso modo, é apenas mais um nome do escopo de uma função.

Mesmo se o "this implícito" fosse possível em JavaScript (o que não é), o exemplo a seguir demonstra o porquê desse não ser o caso (há uma diferença entre o this e o valor do escopo):

<form>
  <button type="button" onclick="
    console.log({
      this_elements: typeof this.elements,   // undefined
      scoped_elements: typeof elements,      // object
      
      are_eql: this.elements === elements    // false
    })
  ">
    Clique
  </button>
</form>


    <h3>Explicação</h3>
    Mesmo que fosse possível em JavaScript, o "<code>this</code>
    implícito" não poderia ocorrer nessa situação, já que há uma
    evidente (demonstrada acima) diferença de valores.

    O escopo da função, criado a partir do documento, formulário
    pai (se presente) e, enfim elemento associado ao
    <em>attribute event</em>, é diferente do <code>this</code>
    da função, que corresponde (ao contrário do escopo)
    unicamente ao elemento associado ao <em>attribute event</em>.

Isso acontece porque, quando a função callback (criada conforme expliquei acima) é invocada, seu this é definido como o elemento que contém o attribute event listener. Já o escopo (definido durante a criação dessa função callback) é criado a partir da derivação do objeto document, do form owner (se presente) e do próprio elemento referente ao evento. São, pois, diferentes.


Como isso acontece?

Explicado acima.

Isso está especificado?

Sim. As referências para a especificação estão no texto.

Além de (aparentemente) todas as propriedades de Event.target estarem disponíveis, posso acessar mais algum valor?

Na verdade (ao contrário do que eu inicialmente pensei), não é o event.target que é "colocado" como escopo, mas sim o elemento que contém o event attribute (o elemento associado ao evento). O event.target nem sempre a ele corresponderá.

Qual o suporte disso nos navegadores?

Os navegadores que seguem a especificação implementam isso e, portanto, suportam o que aqui foi discutido. A implementação varia entre host, já que a especificação não se preocupa em ditar como fazer, mas sim o que fazer.


Referência

4
  • Só pra constar, OrdinaryFunctionCreate traduzido seria como "criar uma função qualquer/normal", então ele esta na especificação, não quer dizer que é esse nome em motores javascript que rodam em navegadores nem quer dizer que será exatamente assim que o motor funciona, o que precisa é ele atender a isso, mas não ser exatamente isso. E vale ressaltar que referir-se ao this naquele momento queria mais dizer, se comporta como tal, não quer dizer que internamente é exatamente isso. 24/11/2020 às 15:40
  • 2
    Deem uma olhada nessa modificação do código de origem. Em <input type="button" value="Duplicar" onclick="botao( visor.value );" /> além do this estar implícito também é possível referenciar os outros elementos identificáveis no contexto do <form>. 24/11/2020 às 20:38
  • 2
    @AugustoVasques, realmente. Isso também está descrito no algoritmo (veja esta imagem com algumas marcações minhas). O que ocorre é que o escopo é definido, primeiramente, como o documento e, depois, no caso de formulários, incorpora-se ao elemento do formulário e, depois, ao próprio elemento que possui o event attribute. :-) Quanto ao this estar implícito, isso não acontece no JavaScript (conforme explica o último link, nas referências de minha resposta). 24/11/2020 às 20:50
  • 2
    Nesse caso, a grossas palavras, trata-se de uma "derivação tripla do escopo" — document → form owner → eventTarget. :D 24/11/2020 às 20:51

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.