2
fhand = open('text.txt', mode = 'r')
txtfile = [item.split()[0] for item in fhand]
txtfile2 = [item.split()[1] for item in fhand]
print(txtfile)
print(txtfile2)

Por que que o segundo list comprehension não está funcionando?

Mesmo se for exatamente igual, até o mesmo índice, o txtfile2 sempre aparece como uma lista vazia quando coloco ele no print.

  • 3
    fhand é um gerador e geradores só podem ser iterados apenas uma vez. Com a primeira list comprehession você já consome todo o seu gerador, por isso o segundo fica vazio. Como está usando o mesmo valor nas duas listas, o ideal é que faça ambas as lógicas em apenas um laço de repetição. – Woss 22/10/20 às 0:31
  • 1
    @Woss Negativo, fhand é um TextIOWrapper. Diferente de um objeto da classe generator, caso seja chamado o método seek, o ponteiro pode voltar para a posição inicial da stream. – Rfroes87 22/10/20 às 0:40
  • O objetivo do programa é quebrar o texto no arquivo em linhas ou em palavras? – Augusto Vasques 22/10/20 às 12:19

1 Resposta 1

3

Depois que você faz o primeiro for:

txtfile = [item.split()[0] for item in fhand]

O arquivo será lido até o fim. Então na próxima iteração não haverá mais nada a ser lido, e por isso a segunda lista fica vazia (imagine que fhand possui um "ponteiro interno" que indica a posição do arquivo em que ele está: ao fazer um for, todo o arquivo é lido e esse "ponteiro" estará apontando para o final do arquivo, por isso o segundo for não encontra mais nada para ler).

Nesse caso, uma alternativa é não usar list comprehension, e processar cada linha do arquivo de modo a obter os dados de cada uma das listas, e inseri-los separadamente:

txtfile = []
txtfile2 = []
with open('text.txt', mode='r') as fhand:
    for item in fhand:
        itens = item.split()
        txtfile.append(itens[0])
        txtfile2.append(itens[1])
print(txtfile)
print(txtfile2)

Note que usei with, que garante que o arquivo será fechado ao final.


Claro que se quiser, dá para fazer usando list comprehension:

with open('text.txt', mode='r') as fhand:
    txtfile, txtfile2 = map(list, zip(*[ item.split() for item in fhand ]))

Primeiro eu crio uma lista contendo as linhas devidamente splitadas, depois eu passo esta lista para zip, que retorna tuplas contendo os elementos de cada uma dessas sublistas (a primeira tupla contém o primeiro elemento do split de cada uma das linhas, e a segunda tupla contém o segundo), e por fim mapeio estas tuplas para list, para que se tornem listas, que por sua vez são colocadas em txtfile e txtfile2.

Mas na minha opinião é mais simples fazer o primeiro loop acima. Entendo que list comprehensions são legais e tal, mas você não deveria forçar o uso de algum recurso se este não se mostrar uma boa alternativa (e no caso, acredito que não seja, pois acho que o código ficou desnecessariamente mais complicado).


Como disseram nos comentários, uma outra alternativa é usar seek para que o "ponteiro" volte para a posição inicial do arquivo:

fhand = open('text.txt', mode = 'r')
txtfile = [item.split()[0] for item in fhand]

fhand.seek(0) # volta para o início do arquivo
txtfile2 = [item.split()[1] for item in fhand]

Só que aí você irá ler o arquivo duas vezes (e irá fazer o split em todas as linhas novamente), o que nesse caso me parece desnecessário, pois com a solução anterior você lê o arquivo apenas uma vez e já faz tudo que precisa.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.