17

Estou iniciando o desenvolvimento de um aplicativo para Android utilizando o Android Studio, pretendo disponibilizá-lo em duas versões, uma paga, com mais funcionalidades, e uma gratuita, mais básica.

Pensei em começar a desenvolver e após finalizar a versão base, comum entre o aplicativo pago e o gratuito, criar uma cópia do projeto e começar a adicionar novas funcionalidades ao aplicativo pago, porém não achei essa prática legal, pois existiria informações redundantes (classes, imagens, layouts, etc) e sempre que eu encontrar um erro teria que arrumar nos dois projetos, caso o mesmo esteja na versão base.

Gostaria de saber o que fazer nesses casos e se existe algum padrão/ferramenta para lidar com isso.

Nota: versão base são os elementos em comum entre a versão paga e a gratuita, isso inclui as classes, imagens, layouts e tudo mais.

  • 1
    Java, né? Foi uma "ótima" decisão não ter compilação condicional na linguagem. Não é a única técnica mas facilitaria muito. Mas você já quase respondeu. Você teria três projetos. Common, Free, Pay. Os dois últimos devem ser mínimos, principalmente o Free que é só uma cola mesmo. Não respondo oficialmente por que não saberia dar detalhes no caso específico. – Maniero 9/01/15 às 21:36
  • Sim, em Java, não coloquei pois achei que seria desnecessário. Realmente cheguei a pensar no que você disse enquanto estava escrevendo a pergunta, porém como seu novo com o Android Studio, achei que poderia existir uma opção, já que esse tipo de divisão ocorre muito nos aplicativos. – Mateus 9/01/15 às 21:42
  • Tem inúmeras opções mas como não conheço bem a tecnologia vou me abster de indicar algumas. Tem até algumas muito loucas, mas por incrível que pareça adotadas por vários desenvolvedores. – Maniero 9/01/15 às 21:45
  • Ok, mas seu primeiro comentário já deu um caminho, obrigado! – Mateus 9/01/15 às 21:52
  • 1
    Mateus, está usando o Android Studio para desenvolver seu projeto? Digo isso porque o Gradle (que é usado como ferramenta de build do Android Studio) possui uma forma de se fazer isso muito fácil. Estou elaborando uma resposta com os detalhes envolvidos. – Wakim 9/01/15 às 21:53
26

Existe um padrão (não um Design Pattern em si) próprio do Android/Gradle para lidar com isso. O pré-requisito seria usar o Android Studio e compilar seu apk usando o Gradle. Pois é o Gradle que fornece essa funcionalidade.

Para lidar com a geração de dois apk's diferentes, o Gradle permite definir Build/Product Flavors.

Assim como Build Types (release ou debug), Build/Product Flavors são, como o próprio nome diz, "sabores" (de funcionalidades/código, recursos, configurações e etc...) que seu aplicativo pode ter. As mais comuns são: Free, Paid, Phone e Tablet (sendo esses dois últimos desnecessários dependendo do tipo de customização que irá fazer). Você pode dar o nome que quiser para um flavor, não tem limitação.

Correção: A combinação de um Build Type com um Build Flavor gera um Build Variant. Que seria usado na compilação de fato (isso eu explico melhor no final).

E usando o Gradle é possível gerar um apk por cada combinação de flavor e build type disponível. Mais abaixo explico como fazer isso:

Configuração de Build

Uma configuração simples do seu arquivo build.gradle seria:

apply plugin: 'com.android.application'

android {
    compileSdkVersion 21
    buildToolsVersion "21.1.2"

    defaultConfig {
        applicationId "br.com.testegradleflavors"
        minSdkVersion 10
        targetSdkVersion 21
        versionCode 1
        versionName "1.0"
    }

    buildTypes {
        release {
            minifyEnabled false
            proguardFiles getDefaultProguardFile('proguard-android.txt'), 'proguard-rules.pro'
        }
    }

    productFlavors {
        free {
            applicationId "be.tamere.testegradleflavors.free"
        }

        paid {
            applicationId "br.com.testegradleflavors"
        }
    }
}

dependencies {
    compile fileTree(dir: 'libs', include: ['*.jar'])
    compile 'com.android.support:appcompat-v7:21.0.3'
}

Nesse exemplo, eu defino dois flavors: free e paid. Como o Google Play obriga, cada apk precisa ter um ID único. Logo cada flavor precisa ter um applicationId diferente porque no final irá gerar um apk diferente.

Não é preciso e nem recomendado mudar a estrutura dos pacotes para ficarem iguais ao applicationId de cada flavor. Isso porque o Gradle consegue tratar o "merge" dos arquivos do Build Variant atual.

É claro que pode tornar essa configuração mais rebuscada, como variáveis de Build:

productFlavors {
        free {
            applicationId "be.tamere.testegradleflavors.free"
            buildConfigField "String", "VARIAVEL_ESTATICA", "\"free\""
        }

        paid {
            applicationId "br.com.testegradleflavors"
            buildConfigField "String", "VARIAVEL_ESTATICA", "\"pago\""
        }
    }

Existem outras configurações, como até Multi-flavor Variants que seriam Flavors de múltiplos níveis, mas isso foge muito do escopo da pergunta.

Para acessar essas variáveis de Build no código Java:

String variavel = BuildConfig.VARIAVEL_ESTATICA;

Configuração de código/resources

Com relação a código, basta seguir esta estrutura de projeto (seguindo o padrão do gradle):

inserir a descrição da imagem aqui

Nessa imagem, ilustra meu projeto que possui três pastas no mesmo nível hierárquico: main com o código/resources comum a todos os Build Variants possíveis do aplicativo (padrão em um projeto Gradle criado atualmente), paid com as classes/resources/arquivos que é específicos para o apk pago e o free com o classes/resources/arquivos específicos para o apk grátis.

Quando você modifica o Build Variants (escolhendo um flavor diferente), ele desativa visualmente as pastas que não estão sendo usadas. Na imagem por exemplo aparece a MainActivity com um símbolo vermelho de erro na pasta free, mas isso é porque a pasta foi desativada quando escolhi o flavor paid. Quando modificar o flavor para free, o inverso irá ocorrer.

É bom não usar o mesmo nome de recursos (classes, xmls, arquivos em geral) entre main e free/paid. Porque os recursos dos pacotes mais específicos (free e paid) irão sobreescrever os recursos do menos específico (main).

Quando um flavor é escolhido para o build, ele irá considerar todas as classes e os resources e irá juntar tudo num mesmo apk, sobreescrevendo o que tiver repetido (dando prioridade ao flavor). Os arquivos que existem no main mas que não existem nos flavors, serão incluídos sem problema no apk.

Na hora de fazer o build, basta escolher o flavor e o type. Isso pode tanto ser por linha de comando:

gradlew assembleFreeRelease -- Build para o apk Free em modo Release
gradlew assemblePaidRelease -- Build para o apk Pago em modo Release

gradlew assembleFreeDebug -- Build para o apk Free em modo Debug

-- Demais configurações de build flavor e type

Quanto por Interface gráfica: dentro do Android Studio, basta trocar a opção do combobox de Build Variants como na imagem da organização do projeto.

Referências para melhor aprofundamento:

  • Fantástico, impressionante como algo simples pode ser tão útil, só fiquei com uma duvida, quando você diz que cada flavor tem que ter um pacote diferente, você está se referindo ao applicationId ou a estrutura dos arquivos na pasta java? – Mateus 10/01/15 às 11:06
  • 1
    Mateus, você está correto, a estrutura do pacote não muda. Apenas o applicationId varia. Outra coisa que misturei foi build variants e build type. Vou corrigir isso na resposta. – Wakim 10/01/15 às 12:54

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.