1

Eu tenho duas listas com valores, e quando tento pesquisar um item de uma em outra, para ver se existe, está retornando False mesmo se sabendo que o item existe na lista pesquisada.


proc = [1,2,3,4]
fat = [3,4,5,6]


for p in proc:
  if proc[0] not in fat:
    result.append(proc[0])

print(result)

[]

Estas listas estao vindo de SELECT em um banco de dados, e contém um campo de tabelas.

O que posso estar fazendo de errado?

3
  • 1
    Não sei se entendi, mas se vc quer os elementos de proc que não estão em fat, basta fazer result = [ p for p in proc if p not in fat ]. E se a ordem dos elementos não for importante, outra alternativa é result = list(set(proc) - set(fat)) (já que um set é otimizado para não permitir duplicados, mas ele não garante a mesma ordem da lista original)
    – hkotsubo
    21/07/2020 às 19:37
  • é isso mesmo, python, funcionou perfeitamente. eu estou acostumado a usar for pra percorrer a lista, não percebo que o python é perfeito nisso de manipular listas tuplas e dicionários.
    – Nebenzahl
    21/07/2020 às 21:10
  • veja se atende, rodei no ideone dessa forma ideone.com/0tMlhG
    – user60252
    21/07/2020 às 21:31

2 Respostas 2

2

Se a ideia (confirmada nos comentários) é ter os elementos de proc que não estão em fat, então uma opção é:

proc = [1, 2, 3, 4]
fat = [3, 4, 5, 6]

result = []
for p in proc:
  if p not in fat:
    result.append(p)

print(result) # [1, 2]

Ou seja, para cada elemento de proc, verifique se ele não está em fat (e se não estiver, adicione em result).

O erro do seu código é que você estava verificando proc[0] (o primeiro elemento de proc) em todas as iterações.


Outra alternativa para o código acima é usar uma list comprehension, bem mais sucinta e pythônica:

result = [ p for p in proc if p not in fat ]

Mas tem um detalhe aí. Para cada elemento de proc, temos que verificar se o mesmo está em fat. E o operador in tem complexidade linear: ele percorre fat desde o início, até encontrar o elemento (ou percorre a lista toda, no caso do elemento não existir nela). Ou seja, este algoritmo percorre várias e várias vezes a mesma lista (o que o torna um forte candidato a ser um Shlemiel the painter’s algorithm).

Se a ordem dos elementos não é importante, e não há elementos duplicados (ou há, mas no resultado as duplicadas podem ser eliminadas), uma opção é usar set, que é uma estrutura otimizada para certas operações, como verificar se um elemento existe, entre outras.

Assim, a ideia é transformar cada lista em um set, subtraí-los (assim eu terei outro set contendo os elementos de um que não estão no outro), e no final transformo novamente em lista:

result = list(set(proc) - set(fat))

Lembrando novamente que:

  • um set não garante a ordem dos elementos, então a lista result não necessariamente terá os números na mesma ordem em que estavam na lista original (pode ser que sim, pode ser que não, então não conte com isso)
  • um set elimina valores duplicados, então se a lista proc for, por exemplo, [1, 2, 3, 4, 1], o resultado final será apenas [1, 2]

Mas se manter a ordem original dos elementos e/ou não eliminar valores duplicados forem requisitos do problema, aí não tem jeito, tem que fazer o for mesmo.


Apenas para comparar o desempenho de cada solução, fiz um pequeno teste com o módulo timeit:

import random
import timeit

# criar listas com mil números aleatórios
nums = range(10000) # números possíveis para as listas
proc = random.choices(nums, k=1000)
fat = random.choices(nums, k=1000)

n = 100 # rodar 100 vezes cada teste
r = 3 # repetir por 3 vezes (assim, repeat retorna uma lista com 3 tempos)
print(timeit.repeat("result = []\nfor p in proc:\n  if p not in fat:\n    result.append(p)", repeat=r, number=n, globals=globals()))
print(timeit.repeat('[ p for p in proc if p not in fat ]', repeat=r, number=n, globals=globals()))
print(timeit.repeat('list(set(proc) - set(fat))', repeat=r, number=n, globals=globals()))

Claro que os tempos podem variar conforme o hardware e outro fatores, e para listas pequenas - como as que você usou - a diferença será insignificante, mas no geral, usar set se mostrou bem mais rápido. Na minha máquina os tempos foram (em segundos):

[1.4215344, 1.4107937, 1.4132282999999997]
[1.4147277999999996, 1.4120507999999994, 1.3960000999999993]
[0.015077500000000299, 0.014714099999999064, 0.015252100000001434]

Ou seja, usar set foi, em geral, cerca de 100 vezes mais rápido. No Repl.it os resultados foram similares.

2

Pelo que entendi do seu enunciado, você está precisando encontrar os valores que são comuns às duas listas.

Se o que importar for o valor do elemento, sem levar em consideração a quantidade de ocorrências de cada elemento, podemos converter as duas listas para conjuntos, calcular a intersecção dos conjuntos e, em seguida, exibir o resultado em uma nova lista. Para isso podemos utilizar o seguinte algoritmo...

proc = [1, 2, 3, 4]
fat = [3, 4, 5, 6]
proc = set(proc)
fat = set(fat)

inter = list(proc & fat)
print(inter)

Veja o funcionamento do algoritmo no repl.it.

Agora, se você pretendo exibir os elementos em ordem crescente de valores, você pode ordenar os valores na saída. Para isso aplicamos a função sorted. Para isso basta utilizar o algoritmo...

proc = [1, 2, 3, 4]
fat = [3, 4, 5, 6]
proc = set(proc)
fat = set(fat)

inter = list(sorted(proc & fat))
print(inter)

Veja o funcionamento do algoritmo no repl.it.

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.