1

objeto1 += objeto2 e objeto1= objeto1 + objeto2 dão resultados diferentes apesar das duas formas parecerem equivalentes. Alguém poderia me explicar o que não estou percebendo?

class f():
    def __init__(self,caixa=[]):
        self.caixa= caixa

class g(f):
    def __init__(self,caixa=[]):
        super().__init__(caixa)

    def inicializarFs(self, listaFs):
        self.listaFs= listaFs
        self.listaFs[0].caixa= self.listaFs[0].caixa + ['ok']

             

a= f()
b= f()
c= f()
d= g()

d.inicializarFs([a,b])

print(a.caixa)
print(b.caixa)
print(c.caixa)

saída console :

['ok']
[]
[]

PORÉM:

class f():
    def __init__(self,caixa=[]):
        self.caixa= caixa

class g(f):
    def __init__(self,caixa=[]):
        super().__init__(caixa)

    def inicializarFs(self, listaFs):
        self.listaFs= listaFs
        self.listaFs[0].caixa+= ['ok'] # linha modificada em relação a anterior

a= f()
b= f()
c= f()
d= g()

d.inicializarFs([a,b])

print(a.caixa)
print(b.caixa)
print(c.caixa)

saída console :

['ok']
['ok']
['ok']
  • Se uma das respostas resolveu o seu problema, vc pode escolher a que melhor resolveu (apenas uma delas) e aceitá-la, veja aqui como e porque fazê-lo. Não é obrigatório, mas é uma boa prática do site, para indicar a futuros visitantes que aquilo resolveu o problema. – hkotsubo 16/07 às 21:02

2 Respostas 2

3

O que acontece é uma combinação de dois comportamentos distintos.

O primeiro é o que está descrito aqui e aqui. Leia os links para mais detalhes, mas resumindo, o operador += modifica a própria lista, enquanto que lista = lista + outra_lista cria outra lista e atribui à variável lista.

Um jeito de ver essa diferença é atribuindo a lista à outra variável e modificando a original:

x = [1]
copia = x
x += [2]
print(x, copia) # [1, 2] [1, 2]

x = [1]
copia = x
x = x + [2]
print(x, copia) # [1, 2] [1]

No primeiro caso, a lista foi modificada pelo operador +=, por isso tanto x quanto copia são modificadas (já que ambos apontam para a mesma lista).

No segundo caso, é criada uma nova lista e atribuída a x. Mas copia continua apontando para a lista original, e portanto não é modificada.


O segundo comportamento em questão é o descrito aqui. Basicamente, o argumento padrão é avaliado no momento em que a função é definida. Ou seja, em:

def __init__(self, caixa=[]):

Não é criada uma nova lista vazia a cada vez que __init__ é chamado. Esta lista é criada apenas uma vez, quando a função é definida, e todas as instâncias de f apontarão para essa mesma lista.

Então no seu caso, tanto a.caixa quanto b.caixa e c.caixa estão apontando para a mesma lista.

Depois, em inicializarFs você está alterando a caixa do primeiro elemento de listaFs (que no caso, é a).

Quando você usa +=, está alterando a própria lista a.caixa. E como a.caixa., b.caixa e c.caixa estão apontando para a mesma lista, ao alterar a.caixa, as listas b.caixa e c.caixa também são afetadas (afinal, todas apontam para a mesma lista).

Já quando você faz self.listaFs[0].caixa = self.listaFs[0].caixa + ['ok'], está criando uma nova lista e atribuindo a a.caixa, enquanto b.caixa e c.caixa continuam apontando para a lista original, que ainda está vazia.


Para que as listas sejam independentes (ou seja, que sempre seja criada uma nova lista para cada instância), uma alternativa é fazer o que foi sugerido em uma das perguntas já linkadas (mais precisamente nesta resposta). Em vez de colocar a lista vazia na definição da função, crie uma nova dentro dela:

def __init__(self, caixa=None):
    if caixa is None:
        self.caixa = []
    else:
        self.caixa= caixa

Ou, mais sucinto:

 def __init__(self, caixa=None):
    self.caixa = [] if caixa is None else caixa
  • 1
    oi - optei por escrever outra resposta para incorporar de fato as diferenças do = e do += - além do problema do [] como argumento padrão. – jsbueno 16/07 às 17:43
  • Vejo que o problema era apenas meu entendimento um pouco mais aprofundado na linguagem, porém acho um pouco nociva as convenções de alguns comportamentos tendo em vista que a semântica mais natural ou mais intuitiva seja comprometida... Obrigado. – Jonas Roberto 16/07 às 20:54
  • 1
    Uma caratceristica de Python é que não tem "exceções" - esse comportamento foi menos planejado, do que ser uma consequência de como a linguagem funciona. É que pra quem é iniciante não dá pra ter noção de como ela funciona de fato - o comando "def" que cria funções é executado quando um arquivo .py é importado - a exercução do comando "def" cria um objeto "função" que é uma instância de "FunctionType". Um dos atributos de uma função é seu código. Outro dos atributos é os argumentos padrão - o objeto colocado como argumetno padrão vira um atributo da Função e é o mesmo em todas as chamadas. – jsbueno 16/07 às 21:00
  • 1
    (incorporei o comentário acima na minha resposta - acho que nessas palavras fica claro o que acontece "por dentro") – jsbueno 16/07 às 21:10
1

O seu problema real

O seu grande problema aí é que você está usando uma lista ([]) como argumento padrão no método __init__ - como a linha def __init__(self,caixa=[]): é executada uma única vez, essa lista é criada apenas uma vez, e uma única e mesma lista vai ser usada em todas as instâncias da classe f.

Para arrumar isso, mude seu código para:


class f():
    def __init__(self,caixa=None):
        self.caixa= caixa if caixa is not None else [] 

Pronto - com essa mudança, uma nova lista é criada a cada instância.

(claro que a classe g precisa da mesma mudança na declaração do __init__)

Essa coisa da "lista ser a mesma toda vez que o __init__ é chamado, pode parecer estranho, mas justamente, uma característica de Python é que não tem "exceções" - esse comportamento foi menos planejado, do que ser uma consequência de como a linguagem funciona. É que pra quem é iniciante não dá pra ter noção de como ela funciona de fato - o comando "def" que cria funções é executado quando um arquivo .py é importado - a execução do comando "def" cria um objeto "function" que é uma instância de "FunctionType". Um dos atributos de uma function é seu código. Outro dos atributos é os argumentos padrão - o objeto colocado como argumento padrão vira um atributo da Função e é o mesmo em todas as chamadas.

Então, sim, o pessoal que é responsável por evoluir a linguagem sabe bem que é um comportamento anti-intuitivo, e é uma armadilha pra qualquer um que não estude a linguagem a fundo - mesmo que a pessoa tenha muita prática em outras linguagens - mas a opção foi no passado por não criar uma exceção nesses casos - e hoje nem que se pensasse diferente, não é possível mudar por conta da quebra de compatibilidade. O melhor negócio é entender essa característica e usar a seu favor. (E se uma IDE não alertar para o uso de uma lista ou um dicionário como argumento padrão, o certo era abrir um bug contra a IDE)

O comportamento de a = a + b e a += b

O comportamento do += é dado pelo método __iadd__ se ele existir na classe do objeto da esquerda. Se não houver - o __add__ é chamado (ou __radd__ no objeto da direita) - e o resultado é identico ao uso de x = x + y.

Por convenção ainda, o __iadd__ quando existe vai modificar o próprio objeto (self) - e o __add__ vai criar uma outra instância.

Então, tipicamente a implementação vai ser algo como:

class F:
   def __init__(self, valor):
        self.valor = valor
   def  __add__(self, other):
       return type(self)(valor=self.valor + other.valor)
   def __iadd__(self, other):
       self.valor += other.valor
       return self

No caso de listas, e outros objetos mutáveis, é exatamente o que acontece. Então lista1 += lista2 vai modificar a lista 1 internamente, já lista1 = lista1 + lista2 vai criar uma nova lista que é a concatenação das listas lista1 + lista2 , e guarda o resultado disso no nome lista1, sobre-escrevendo a referência anterior.

Se você tem alguma referência a lista1, antes da linha lista1 = lista1 + lista2, essa referência não vai ver alterações, e vai continuar apontando pra "lista1" original.

Entendendo o seu problema baseado nessas duas coisas:

É simples: a linha self.listaFs[0].caixa= self.listaFs[0].caixa + ['ok'] cria uma NOVA lista que vai ficar em a.caixa -e então os objetos b e c ainda vão compartilhar a mesma lista- mas a.caixa fica sendo uma lista independente.

Enquanto que a linha: self.listaFs[0].caixa+= ['ok'] altera a mesma instância da lista, que está no a.caixa -e aí, como ela permanece compartilhada nas instâncias b e c, você vê essa modificação olhando por aquelas instâncias.

  • Quebrei muito a cabeça com esses comportamentos estranhos mais agora esta tudo esclarecido, obrigado. – Jonas Roberto 16/07 às 20:55

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.