0

Tenho a seguinte classe CRUD que é genérica:

public abstract class CRUD
{
    protected string tabela = null;
    protected object classe = null;

    public CRUD() {}

    public virtual void insert() { //código }
    public virtual void select() { //código }
}

Criei outra classe quer herda da classe CRUD:

public abstract class PessoaCRUD : CRUD
{
   public PessoaCRUD()
   {
       tabela = "TBUsuarios";
       classe = this;    
   }

   //sobrescrita do metódo da classe pai
   public void insert() { //código }
}

E Tenho minha classe Pessoa que herda de PessoaCRUD:

public class Pessoa : PessoaCRUD
{
    public string Nome { get; set; }
    public int Idade { get; set; }
}

E quando preciso usar a classe pessoa ficara algo assim:

Pessoa pessoa = new Pessoa();

pessoa.Nome = "Julia";
pessoa.Idade = 23;
pessoa.Insert();

A princípio está funcionando, mas fiquei com dúvida, poderia fazer a classe Pessoa herda da classe CRUD, porém caso algum método necessite de sobrescrita ele teria quer ser implementado na classe Pessoa, e não querendo poluir a classe Pessoa com métodos relacionados ao CRUD criei a classe PessoaCRUD.

Está correto implementar assim? caso contrário qual seria uma abordagem melhor, levando em consideração padrões de projeto?

3 Respostas 3

4

Está correto implementar assim?

Não. A abordagem é incorreta para manipulação de coleções, pois torna o procedimento de manipulação de registros complexo e ruim em termos de desempenho.

Você está definindo uma classe que guarda dados e ao mesmo tempo se autogerencia. Pro caso de 1000 registros, por exemplo, você teria que chamar insert 1000 vezes, sendo uma para cada objeto. O maior problema é o gasto com memória, replicando 1000 vezes objetos com a mesma lógica de negócio.

Caso contrário qual seria uma abordagem melhor, levando em consideração padrões de projeto?

Este é o caso clássico da implementação de um repositório, mas há algumas observações a se fazer.

1. Separe a classe de dados da classe de manipulação de registros.

A classe CRUD está correta do ponto de vista de um repositório, exceto pela propriedade classe, que não é útil nem necessária para a sua implementação.

O que é interessante fazer é usar tipo genérico para separar a classe de representação de dados da classe que faz as operações em banco (vulgo repositório):

public abstract class CRUD<T>
    where T: IEntidade
{
    protected string tabela = null;
    protected object classe = null;

    public CRUD() {}

    public virtual void insert(T objeto) { //código }
    public virtual void select(int id) { //código }
    ...
}

2. Utilize classes genéricas para definir seu repositório

PessoaCRUD não precisa ser abstract:

public class PessoaCRUD<Pessoa> : CRUD<Pessoa>
{
   public PessoaCRUD()
   {
       tabela = "TBUsuarios";
   }

   //sobrescrita do metódo da classe pai
   public override void insert(Pessoa objeto) { //código }
}

Pessoa deve apenas representar dados:

public class Pessoa : IEntidade
{
    public int Id { get; set; }
    public string Nome { get; set; }
    public int Idade { get; set; }
}

3. Restrinja suas classes de dados por interfaces

Por fim, defina a interface IEntidade para definir o formato das classes de representação de dados:

public interface IEntidade 
{
    int Id { get; set; }
}
2

Essa implementação está acoplando as suas regras de negócio que entendo ficariam na classe Pessoa com o código acesso ao banco de dados. É interessante mesmo separar as coisas como você chegou a fazer mas a herança separa as coisas quanto a leitura do código mas logicamente não, por este motivo o indicado é usar composição ao invés de herança. Neste caso você ainda teria as mesmas classes, mas a classe Pessoa seria passada como parametro para a PessoaCRUD ou a PessoaCRUD poderia ser injetada na classe pessoa. Não encontrei links explicando a famosa regra "Prefira composição ao invés de Herança" com C#, mas esse link aq é bacana!

1
  • vou dar uma olhada...
    – MeuChapeu
    2/01/2015 às 21:46
1

A classe pessoa, representa uma Pessoa e um "crud" representa seu repositório de pessoas, eles não deveria ter uma dependência baseada em herança pois representam objetos distintos.

Um representa uma pessoa do mundo real e o outro representa o lugar onde você guarda informações. Você está concentrando os detalhes do repositorio de pessoas junto a classe pessoa. Uma alternativa melhor seria usar classes abstratas ou mesmo generics para os repositorios e herdar um repositorio diferenciado para cada instância de objeto a ser armazenado.

Isso vai reduzir o acoplamento e permitirá um nível de manutenção menor a longo prazo. Um outro problema é que como você usa a classe pessoa para herdar do repositorio, se você está usando arquiteturas em camadas, você acabou de complicar a vida na hora de garantir que as camadas mais altas não acessem os repositorios diretamente.

Você deve fazer log-in para responder a esta pergunta.

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag .