3

Nesta pergunta um usuário respondeu que o código objeto é diferente de código intermediário.

Como a maioria de cursos dizem que o código objeto está no meio do processo, então não poderíamos chamá-lo de código intermediário? Então qual a diferença?

como pode ver aqui:

  • A resposta resolveu sua dúvida? Acha que pode aceitá-la? Veja o tour se não souber como faz. Isso ajudaria muito indicar que a solução foi útil para você. Também pode votar em qualquer pergunta ou resposta que achar útil no site todo (quando tiver 15 pontos). – Maniero 30/05 às 0:04

1 Resposta 1

4

O código intermediário pode ter várias formas, inclusive pode ser um fonte, enquanto que código objeto costuma ser um código de máquina. Não é que o objeto não possa ser um fonte, mas não costuma ser.

O código intermediário é uma forma mais fácil do compilador trabalhar. O código fonte segue as regras da linguagem, o que pode não ser fácil para o compilador lidar, então ele compila o fonte da linguagem para uma linguagem dele, que é intermediária porque não é o código final que é o código de máquina. A maioria dos compiladores complexos, que pretendem fazer otimização ou criar certas features tem isso, caso contrário o resultado será inferior ou será muito difícil trabalhar com isso internamente.

O assunto é um pouco complicado porque depende um pouco do contexto.

Compilação em duas fases

Por exemplo, o código intermediário que o compilador de C# gera é o CIL (mais) e acaba ficando em um formato binário e é mandado como parte do executável. De certa forma aquilo é um código intermediário e está em um código que é um pouco um objeto, mas está encapsulado em um executável. Por isso é difícil definir bem essas coisas. O que é certo é que esse CIL não é o código de máquina executável, isso só ocorrerá depois que tenha um JITting (na maioria das implementações do CLR).

Algo parecido ocorre com outras linguagens como Java e outras de script que o pessoal fala que é interpretada, mas ela foi compilada antes. Em geral todas essas linguagens geram um código intermediário chamado bytecode (não achei link daqui para postar #ficaadica). Esse bytecode, não é o fonte da linguagem e não é o código de máquina. Em geral ele não é um texto, é um binário, é uma forma de Assembly que é gravado como código de máquina em uma plataforma virtual, ao contrário do código de máquina real que é para um processador que vai executar de verdade.

Alguns desses bytecodes serão JITtados e outros serão "interpretados". Não vou entrar em detalhes aqui.

Uso interno de compiladores

Mas é muito comum que os compiladores usem um código intermediário que nem é exposto fora dele, é só para uso dele, então ele nem costuma (as vezes pode) gravá-lo em algum lugar.

Por exemplo Rust diz que melhorou a velocidade do compilador quando passou adotar um código intermediário em vez de fazer tudo no código original. Não sei se é verdade, ainda é muito lento. Ela tem dois código intermediários porque o backend é o LLVM.

Isso pode ser mais útil porque você separa o compilador em duas partes. Um frontend que pega o fonte do programa a ser compilado e cria um código intermediário. E um backend que pega esse código intermediário e gera o código de máquina para a plataforma alvo. Sem isso ele teria que fazer tudo junto e fica complicado.

Tem softwares que são só backends então a única forma de usá-los é através de um IR, como é o caso do LLVM.

O GCC tem alguns IRs próprios e pode gerar de terceiros como do LLVM.

O IR é a representação intermediária de um código, que é um termo genérico para falar sobre o que será o código intermediário.

Conclusão

Eu não acho que o código objeto seja intermediário, são contextos diferentes, e o código objeto sendo o código de máquina definitivamente ele não é intermediário.

Não pode confundir o termo código nesses dois casos. O código intermediário é uma linguagem, o código objeto é um produto final. Mas de fato é o tipo de coisa que dá margem para interpretação. São funções diferentes.

A maioria dessas coisas só são úteis para quem está mexendo com compiladores e ferramentas ligadas ou faz coisas bem mais avançadas. Eu acho que todo mundo deveria aprender essas coisas para ser melhor, mas não fundamental. Um piloto não precisa entender de mecânica, mas ele será melhor se entender.

  • Tudo bem então quer dizer que codico objeto não é um codico intermediario? – Kate 29/05 às 13:28
  • De forma geral não. Inclusive no diagrama colocado depois na pergunta, naquele contexto fica claro que não é. – Maniero 29/05 às 13:42
  • Sim obrigado pelas belas explicações – Kate 29/05 às 13:44
  • @Kate veja no tour a melhor forma de dizer obrigado. – Maniero 29/05 às 14:01
  • Ok tudo bem ok :D – Kate 29/05 às 15:34

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.