7

Bom dia, estou com a seguinte dúvida, trabalho em um empresa onde o pessoal enche o saco quando o assunto é usar inner join por questão de eficiencia e processamento do banco de dados, gostaria de saber se o relacionamento entre tabelas feito no where é realmente "melhor" e o porque ja que sempre ouvi que o inner era melhor por deixar o select mais limpor e organizado. Claro se ocorre não é especificamente para um servidor de bd, ou se aplica a todos?

12

Eles estão errados. A notação inner join foi introduzida na versão SQL92 do padrão ANSI SQL. Todos os principais bancos de dados adotam a sintaxe de junção do SQL92. Como a maioria dos servidores já estavam no mercado antes do novo padrão, eles também incluem a forma de junção antiga where, porém é preferível usar o novo padrão pelos seguintes motivos:

  • Condições de junção e condições de filtro são separadas em duas clausulas diferentes (a subcláusula on e a cláusula where, respectivamente), tornando a consulta mais fácil de entender e manter.
  • As condições de junção para cada par de tabelas estão contidas em suas próprias cláusulas on, tornando menos provável que parte de uma junção seja omitida por engano.
  • Consultas que usam a sintaxe de junção SQL92 são portáveis entre servidores de banco de dados, ao passo que a sintaxe antiga where é ligeiramente diferente entre os diferentes servidores.

Como pode ver aqui, no final da tudo no mesmo, por isso é melhor optar pelo inner join

  • Obrigado pela resposta, ajudou bastante! – João 23/12/14 às 13:29
3

Em questão de resultados, não terá diferenças. Sobre desempenho, a condição de junção INNER tem um ganho discreto comparado com o WHERE, pelo fato de ser interpretado antes.

Ordem de interpretação: 1 - FROM; 2 - ON; 3 - INNER; 4 - WHERE; 5 - SELECT;

Mas existem dois fatores que fazem a utilização do INNER ser aconselhada: Padronização e flexibilidade.

O padrão ANSI 92 estabelece o uso dos operadores de junção INNERs. Com relação a flexibilidade, imagina que mude a regra de negócio de seu sistema e você precise alterar o INNER por OUTER, utilizando a clausula WHERE, isso pode gerar um pouco de dor de cabeça. Já com INNER, basta alterar algumas palavras.

2

Os servidores de banco de dados oferecem recursos para você analisar a maneira como eles executarão a query. Exemplos:

Estes recursos mostram qual é o plano de execução de uma determinada query e ajudam a entender se algo de fato implica na performance. Em MS Sql Server, por exemplo, você vai descobrir que o plano de execução é idêntico para INNER JOIN explícito (usando a cláusula ON) ou implícito (determinando as ligações na cláusula WHERE).

Antes de orientar a maneira de codificar pela performance, é importante aprender a utilizar estes recursos e conhecer de fato o comportamento do banco, de modo a não se deixar atrapalhar por mitos e quem sabe até ajudar a derrubar estes mitos.

Quantos aos prós e contras, tendo sido a performance já excluída:

  • Como já citado em outra resposta: INNER JOIN explícito pode ser convertido em OUTER JOIN com menos trabalho.

  • Como já citado em outra resposta: INNER JOIN explícito é padrão da indústria e portanto compatível entre os SGBDs.

  • Quanto a legibilidade, isso depende da cultura do time. Teus colegas provavelmente consideram o INNER JOIN implícito mais bacana.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.