6

Como faço para criar variáveis dentro de um vetor?

Algo como:

int arr[] = {int x=1, int y = 2};
  • struct te atenderia? – Mateus 17/12/14 às 22:18
  • Por favor, crie uma resposta. – Gabriel Sales 17/12/14 às 22:28
  • Dei uma resposta para começar te ajudar. Se você tiver dúvidas específicas sobre o uso de struct e quem sabe posteriormente unordered_map, você vai perguntando. Reforço que você deve tentar aprender primeiro como fazer o básico do C++ que é o uso de struct. – Maniero 17/12/14 às 22:39
8

Você não pode fazer isto do jeito que você faz com Lua (que a linguagem que você costuma perguntar mais aqui). C++ é uma linguagem estática e tem características bem diferentes do que você está acostumado.

Ou você cria uma struct ou você cria uma estrutura própria que mapeia valores tendo algumas opções.

Mapa de valores

Provavelmente para conseguir algo mais próximo do que você obtém em Lua deveria usar uma estrutura pronta da biblioteca padrão chamada unordered_map. Com esta estrutura você pode criar elementos como quiser como uma string e guardar valores nela.

Lembra disto? Funciona da mesma forma só que em C++ não tem a facilidade da sintaxe que uma string era tratada como se fosse variável. Tem que usar só com sintaxe de string. No fundo Lua implementa igual a esta estrutura do C++ (claro do jeito dela), mas faz exatamente a mesma coisa.

Exemplo:

//declara a variável do tipo unordered com chave do tipo string e valor do tipo int
std::unordered_map<std::string, int> exemplo;
exemplo["x"] = 1; //criou um elemento chamado "x" que vale 1
exemplo["y"] = 2;
//acessar
cout << exemplo["x"] //imprime 1

Esta estrutura está disponível na biblioteca padrão à partir do C++11. Em versões anteriores da linguagem precisa usar uma biblioteca externa ou fazer uma estrutura assim por conta própria, o que é bem difícil fazer certo.

Note que em C++ tudo precisa ter tipo definido. Até tem como fazer para aceitar qualquer tipo mas precisa usar uma estrutura própria para isto também.

C++, ao contrário de Lua, tem essas coisas que dão mais trabalho. Em compensação ela é muito mais rápida, poderosa e segura. Dá para fazer em C++ tudo o que dá para fazer em Lua, só que às vezes dá mais trabalho.

Struct

Mas o mais comum em C++ é evitar isto quanto puder e usar algo estático, resolvido em tempo de compilação, no caso o melhor é usar uma struct.

Aí você faz assim:

//declara a composição da estrutura para ser usada depois
struct estrutura {
    int x;
    int y;
}
//cria a variável exemplo do tipo estrutura e guarda os valores nos seus elementos
estrutura exemplo = { 1, 2 };
//acessar
cout << exemplo.x; //imprime 1

Coloquei no GitHub para referência futura.

É um pouco mais complicado que isto mas já é um começo para você começar estudar o assunto.

Esta forma não é exatamente igual ao resultado que você obtém com Lua mas é o mais comum, é o que se tenta fazer em primeiro lugar quando está programando em C++. Você não deveria procurar outra forma até que realmente seja necessário. Procure sempre o mais simples e em C ou C++ uma struct é o que seja chama mais idiomático, mais próximo da cultura da linguagem.

Qual usar

Aprenda usar bem struct. Mesmo que ela tem alguma limitação, na imensa maioria dos casos é ela ou sua variação class é que você deverá usar. Quando aprender mais e chegar em um ponto que precisa de mais dinamismo você pensará em usar uma estrutura como a unordered_map que tem a vantagem de colocar, tirar e acessar elementos dinamicamente (em tempo de execução) mas tem performance ruim para os padrões do C++ e não consegue verificação em tempo de compilação. Isto vai contra a filosofia do C++.

  • Entendi. Estou estudando C/C++ exatamente para entender melhor como realmente funcionam as coisas. – Gabriel Sales 17/12/14 às 22:42
  • Obrigado, Quando é assim edite, é mais rápido que avisar. – Maniero 20/12/14 às 0:52

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.