1

Bom, sou iniciante em programação Python e comecei estudar orientação a objetos.

Me deparei com o seguinte código, que por questão é bem simples.

class Pessoa:
    def __init__(self, nome, idade, altura):

        """Método construtor da classe Pessoa"""

        self.__nome = nome
        self.__idade = idade
        self.__altura = altura

pessoa1 = Pessoa('Fulano', 32, 1.86)

print(pessoa1.__dict__)

Tive o seguinte retorno:

{'_Pessoa__nome': 'Fulano', '_Pessoa__idade': 32, '_Pessoa__altura': 1.86}

Tem alguma forma de fazer essa saída ficar formatada da forma abaixo?

{'Nome': 'Fulano', 'Idade': 32, Altura': 1.86}

Eu falo isso por questões de visibilidade para o usuário.

  • Tem, lendo o dicionário e imprimindo do jeito que quiser. – Maniero 17/03 às 19:43
  • Não seria melhor usar o método __str__ do que utilizar o dicionário com __dict__? – AlexCiuffa 17/03 às 19:59

1 Resposta 1

3

__dict__ não é um método - é um atributo - e é a forma implementada, oficialmente, na linguagem de guardar atributos de instância nos objetos.

É um dicionário comum, e você pode usar qualquer código que operaria em um dicionário comum com o __dict__ de uma instância.

O seu uso para acessar diretamente o conteúdo de atributos da instância não é encorajado - mesmo que não tenha efeitos colaterais. Via de regra, pode se dizer: se não precisar, não use diretamente .__dict__. (Há outras formas de se guardar valores de atributos nas instâncias - e como isso é feito pode ser customizado com o uso de property ou implementando-se __setattr__ e __getattribute__ personalizados, ou com o uso da funcionalidade de __slots__, por exemplo.

Agora, o seu exemplo tem outra coisa que chama a atenção - é o uso dos dois __ para prefixar seus atributos. Bastante mateiral mais antigo de Python (e talvez algum material mais recente de quem tenha estudado nesse material antigo), costuma dizer que "usar dois '__' é o equivalente em Python de ter um atributo privado, como existe em outras linguagens de orientação a objeto". Essa afirmaçao, ou variações dela, estão essencialmente erradas.

O uso de dois __ dispara sim um efeito de renomeação automática de atributos e métodos, mas que mais provavelmente vai fazer você ter problemas do que te ajudar. Python simplesmente não tem o conceito de atributos privados sustentado pela linguagem em si - o que existe é a convenção de que atributos e métodos começados com um único _ são privados, no sentido de que não devem ser usados exceto pelo mesmo projeto que implement a classe (e não por outros projetos que fazem uso daquela classe).

Em outras palavras: o uso de __ para "atributos privados" está mais para uma funcionalidade criada por alguém que sentia falta de coisas privadas há mais de 25 anos, e acabou dando num beco sem saída que é pouquíssimo usado em projetos sérios.

o que o uso de "__" faz: (escrevo mais abaixo pra não ficar antes de coisas mais importantes) Sugiro fortemente que você agregue mais fontes de aprendizado da linguagem e não tente usar artificialmente atributos privados até entender bem como a linguagem funciona.

Personalizando a representação de uma classe

Dito tudo isso, recomendo que você foque em funcionalidades e características realmente legais da linguagem - por exemplo, se você criar o método especial __repr__ ele será chamado para converter as instâncias da sua classe para uma string para fins de visualização.

No seu caso, poderia ser assim:

class Pessoa:

    def __init__(self, nome, idade, altura):
        """Método construtor da classe Pessoa"""
        self.nome = nome
        self.idade = idade
        self.altura = altura

    def __repr__(self):
        return f"Pessoa(nome={self.nome}, idade={self.idade}, altura={self.altura})"

COm isso, simplesmente print(pessoa) vai dar uma saída bem legível, como a que voce quer.

Se não quiser ficar repetindo isso pra cada classe e cada atributo, pode criar uma classe de base com essas funcionalidades - algo como:

class AutoAttributes:
    attrs = ()

    def __init__(self, **kwargs):
        """Método construtor genérico"""
        for attr in self.attrs:
            if attr in kwargs:
                setattr(attr, kwargs[attr])


    def __repr__(self):
        body = [f"{attr}={getattr(self, attr, None)}" for attr in self.attrs]
        return f"{self.__class__.__name__}({', '.join(body)})"


class Pessoa(AutoAttributes):

    attrs = ['nome', 'idade', 'altura']

E aí sim, vai estar estudando Python, e as partes boas de orientação a objeto - vendo como "herança" ajuda.

Mas depois de aprender e entender, Python 3.7 adicionar uma funcionalidade que faz o que faço na classe Base acima, e vai bem além, com várias outras facilidades para atributos automáticos - veja a documentação do módulo dataclasses (só existe a partir do Python 3.7)

O que "__" faz de verdade:

(lembrando: por mais que seja um mecanismo "legal", não recomendo, pessoalmente, seu uso)

isso dispara um mecanismo de "name mangling" isso é "bagunça de nomes" de atributos e métodos. Esse é um mecanismo que acontece em tempo de compilação do arquivo ".py" (sim, Python é compilado para um 'bytecode' especial, assim como Java e C# - só que isso acontece num passo transparente para todos os usuários. Em Java e C# é necessário chamar um passo de compilação explícito, que hoje em dia é ocultado pelas IDEs que fazem tudo automaticamente). A finalidade de emular atributos privados com esse "name mangling" nunca foi de "não permitir que usuários de fora da classe possam acessar os atributos" - como é ensinado de forma resumida em aulas de O.O. - isso não dá segurança nenhuma para nenhum código - é apenas para que, uma camada intermediária de uma hierarquia de classes complexas possa ter atributos que não vão ser sobre-escritos sem querer por subclasses que herdarem a mesma.

Vamos supor que eu tenha um projeto bem grande, e lá no meio, tenho uma classe que tem uma camada de validação com um método validate que vai validar a conexão com o banco de dados disponível para a instância. Em outro ponto na hierarquia de classes, eu vou ter uma outra classe para ser usada, que vai ter um método validate para validar os atributos mesmo (vamos supor que aí fosse checar regras para os atributos "nome", "idade" da sua pessoa). Num projeto único, com métodos não colaborativos, o validate dessa outra subclasse iria se sobrepor ao primeiro validate que nunca seria chamado. Se a convenção nesse projeto fosse usar sempre o __, então o método iria ter o nome real de _NetworkMixin__validate e o outro poderia ter acabar com o nome de _AttributeMixn_validate e os dois métodos poderiam ser chamados de forma independente.

Na prática, se notou que é preferível (1) não ter hierarquias de classes tão complexas, com centenas de métodos competindo entre si dentro de um mesmo objeto - e sim, objetos mais simples e genéricos que possam ser passados como parâmetros para outros que façam coisas tão distintos como "validar a conexão de rede". (2) usar herança colaborativa usando sempre o mecanismo de super() para chamar os métodos de todas as superclasses - todos os métodos que tem o mesmo nome são chamados se isso for bem feito.

  • Bom, tem pouco tempo que comecei a estudar Python, esse código não é meu, é de um material que estou estudando e nisso estava, "brincando" com o código. – Marcelo Ribeiro 17/03 às 20:09
  • 1
    como eu disse - algum material ou desatualizado, ou escrito por quem aprendeu de uma fonte nao atualizada e não se atualizou. – jsbueno 17/03 às 20:22

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.