1

Tenho esta função que recupera um registro de um arquivo binário já preenchido com registros - tais registros estão estruturados como node - e o retorna ao programa. Só que no retorno de "i" para a variável do programa principal "teste", sendo as duas to tipo estruturado node, o programa deixa de responder.

Estou disposto a mudar qualquer parâmetro da função, mas preciso que ela leia um node do arquivo binário e retorne este node para o programa principal.

    #include <stdio.h>
    #include <stdlib.h>

typedef struct node 
{
    void ** pointers;
    int * keys;
    struct node * parent;
    bool is_leaf;
    int num_keys;
    struct node * next; 
} node; 

    node* carrega_node (char *nome){   
        FILE * fp;  
        node * i;  
        fp = fopen (nome, "rb");  
        fread (&i, sizeof(node), 1, fp);  
        fclose (fp);  
        return i;  
    };  

    int main()  
    node * teste  

    teste = carrega_node ("candidatos.idx");
    return 0;
  • Como está a struct node? O layout dela encaixa perfeitamente no que vem do arquivo? No arquivo você provavelmente tem um texto. Não pode simplesmente jogar este texto para a struct. Até pode, mas provavelmente não é o que você quer fazer. Além disto você não alocou memória para i. – Maniero 12/12/14 às 14:52
  • Como eu suspeitei você tem problemas bem mais sérios para carregar a informação do arquivo para a memória. Na verdade nem imagino como está o arquivo. Pode colocar um trecho dele? – Maniero 12/12/14 às 15:00
  • estrutura do node adicionada, mas veja que não muito é relevante para gente. Você diz que no arquivo provavelmente eu tenho texto, o que não é verdade. Pense em node como um tipo estruturado qualquer. O arquivo aqui é um arquivo binário que guarda nodes. O objetivo é recuperar um node e retorná-lo ao programa principal. – enuriel 12/12/14 às 15:05
  • Você pode não ter um texto mas tem algo que não vai encaixar na estrutura. Como não sei o que tem, não dá para ajudar. – Maniero 12/12/14 às 15:09
3

Houve alguma confusão com a sintaxe, isso não faz o que parece que faz. Observe:

node* i; // Cria uma variável local do tipo node*. Esse ponteiro aponta para nada

fread(&i, sizeof(node), 1, fp); // Escreve sizeof(node) na variável i. Observe que
                                // i é um ponteiro que tem apenas 4 ou 8 bytes. Mas
                                // sizeof(node) pode ser bem maior que isso. Você
                                // está tentando ler um nodo ou um ponteiro para um nodo?

Aqui tem dois problemas. O primeiro é que lê um nodo inteiro do arquivo e escreve por cima do próprio ponteiro para um nodo. E o segundo problema é que se quer ler um nodo, precisa primeiro alocar memória suficiente para armazenar esse nodo. Correção:

node* i = malloc(sizeof(node)); // Aloca memória que caiba um nodo.

fread(i, sizeof(node), 1, fp);  // Lê um nodo e coloca nessa memória.
//    ^ note que estou passando o ponteiro para a memória alocada,
//      não um ponteiro para o ponteiro.

Lembre-se que depois de acabar de usar o nodo, deve liberar a memória que foi alocada usando free(i).


Mas por que o crash ocorreu? Assuma que um ponteiro tem 4 bytes e que um nodo tem 16 bytes.

sizeof(node)   // 16
sizeof(node*)  // 4

No momento que fread(&i, sizeof(node), 1, fp); for executado, o programa escreverá 16 bytes de dados em uma variável em que cabem 4 bytes. Os 12 bytes extras serão cegamente escritos na memória corrompendo qualquer dado que antes estava ali. Curiosamente a informação que estava ali antes era o endereço de retorno da função. Logo, no momento que executar o return, a execução pulará para outra parte não relacionada do programa, fora do main. E isso causará um crash.


Mas você tem um problema ainda mais grave:

Está salvando e lendo sua estrutura de um arquivo. Mas essa estrutura contém ponteiros. Não há problema algum em salvar ponteiros em um arquivo. Mas eles passam a não ter nenhum significado útil. Pois quando você carrega eles, em outra execução do programa, eles estarão apontando para uma memória que não tem nada. O layout de memória de um processo muda completamente quando reexecuta. E salvar o ponteiro para dados não é similar a salvar os próprios dados.

Não é diretamente possível salvar uma lista lincada em um arquivo. Precisa primeiro transformar em um array linear ou algo que não dependa do comportamento de ponteiros para funcionar.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.