0

Boa noite,

Estou arduamente tendando realizar um simples import de modúlos criados por mim mesmo, para o meu codigo principal. Com tudo sempre recebo o segunte erro

"attempted relative import with no known parent package"

Segue a estrutura do meu projeto.

<DIR> Projeto
------<DIR> config_file
-----------<DIR> func_file
----------------<FILE> __init__.py
----------------<FILE> modulo1.py
----------------<FILE> modulo2.py
------<FILE> config.py
<FILE> main.py

No caso dessa hierarquia, qual seria o modo correto de realizar os imports ?

2 Respostas 2

2

Você pode simplesmente dar o nome dos diretórios separados por . na hora de importar. Por exemplo, se estou trabalhando no diretório dir0 e se meu pacote mod.py está em dir0/dir1/dir2/mod.py, posso fazer:

import dir1.dir2.mod

De acordo com o livro do Lutz (capítulo 24), esse tipo de importação relativa exige que as seguintes regras sejam observadas:

  1. dir1 e dir2 devem conter um arquivo __init__.py.
  2. dir0, o cwd, não requer um arquivo __init__.py; esse arquivo simplesmente será ignorado se presente.
  3. dir0, não dir0 \ dir1, deve estar listado no caminho de pesquisa do módulo sys.path.

Portanto, para o seu caso (supondo que você está trabalhando na pasta Projeto), bastaria fazer:

import config_file.func_file.modulo1
import config_file.func_file.modulo1

Todas as propriedades de importações comuns permanecem válidas. Além do from, também é possível utilizar os as para reduzir a inconveniência de usar nomes longos. Para o modulo1, por exemplo, teríamos:

import config_file.func_file.modulo1 as mod1

Leia o capítulo 24 do livro citado para mais detalhes sobre importação de módulos no Python.


EDIT: Mudando o path para realizar a importação direta

A importação relativa funciona da forma como descrito acima. Contudo, também existe a opção de realizar a importação de forma absoluta, o que tem a vantagem de você não precisar ficar recordando o tempo todo o desenho do diretório e, além disso, você pode importar módulos externos ao diretório atual.

Para fazer a importação absoluta basta adicionar o path onde encontram-se os módulos definidos pelo usuário à lista de paths já utilizadas por default. Para ver a lista default de paths, basta fazer:

import sys
print(sys.path)

E para adicionar um path à lista, digite:

sys.path.append("PATH/dir0/dir1/dir2/")

Onde PATH é o path no seu computador até a pasta dir0.

E aí basta realizar a importação direta:

import mod
6
  • O jeito correto de utilizar o import de um modulo de dentro de vários diretórios é utilizar o from, caso alguém utilize o jeito que descreveu, quando for utilizar o que esta sendo importado, a pessoa terá que usar o caminho completo novamente por exemplo a = config_file.func_file.modulo1.metodo_dentro_do_arquivo – Guilherme França de Oliveira 22/12/19 às 2:36
  • 1
    As duas formas estão corretas. O inconveniente do nome grande não impede que a importação funcione e, além disso, essa inconveniência pode ser facilmente superada usando as como é amplamente sabido. A sua resposta está errada ao afirmar que a importação com o from é condição necessária para a importação relativa funcionar. Além disso, você também errou ao colocar na sua resposta a extensão do arquivo a ser importado. A importação precisa ser feita sem declarar a extensão do arquivo. – Lucas 22/12/19 às 2:41
  • Desculpa, mas se devemos passar alguma instrução, que seja de um jeito que seja mais fácil para o aprendizado e não algo que dificulte, não é que funciona que esta certo, se alguém esta aprendendo algo, que seja do melhor jeito e que seja melhor para o aprendizado, eu podeira descrever em uma reposta que funciona no Python 2.7 e no 3, porem logo o Python perdera suporte para o Python 2.7 e isso causaria problemas para aqueles que terão que concertar seus códigos logo após o acontecimento, devemos ser intuitivo, um exemplo – Guilherme França de Oliveira 22/12/19 às 2:48
  • Sim a importação não precisa da extensão, foi um erro de digitação, mas não o negativei por maldade ou má fé, porém não vejo como uma reposta útil de acordo com o que descrevi acima – Guilherme França de Oliveira 22/12/19 às 2:52
  • Pois é, mas se na sua opinião minha resposta só precisava de um ajuste para ficar mais fácil para o autor da pergunta, o mais ético era comentar isso e eu editaria em seguida. – Lucas 22/12/19 às 2:54
1

creio que já conheça o 'import', porem, para caminho maiores você utiliza o from irei da uns exemplos para ficar mais claro

lembrando que depende também da env se estiver utilizando mas um exemplo de acordo com o que foi passado

# config.py

from config_file.func_file import modulo1

ou dependendo se estiver usando o venv pode ser esse abaixo

# config.py

from Projeto.config_file.func_file import modulo1

Você também pode importa tudo em uma pasta se utiliza o *, por exemplo

# config.py

from config_file.func_file import *

Agora algo interessante sobre o init e todo o conteúdo dentro do mesmo local

o init é o primeiro local que o Python olha quando você chama o import para a pasta

os módulos funciona de um jeito diferente quando usamos eles como se fosse módulos, tirando a necessidade de colocar o caminho completo quando a importação é dentro deles

vamos escrever algumas coisas no __init__

# config_file/func_file/__init__.py

from . import modulo1, modulo2

perceba que para o caminho atual dos arquivos classificados como módulos é apenas um .

e desse jeito você pode importar somente até a pasta onde se encontra o __init__

# config.py

from config_file import func_file

e perceba que você consegue usar tudo que esta nessa pasta, como config_file.metodo2.metodo_dentro_do_arquivo

ou até mesmo fazer assim

# config_file/func_file/__init__.py

from .modulo1 import *
from .modulo2 import *

e chamaram dentro do seu arquivo main assim

# config.py

from config_file import func_file

config_file.metodo_dentro_do_arquivo     # sendo o que estiver dentro de ambos os metodos.py

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.