2

Recentemente, descobri o FarmHash. Aparentemente, é uma implementação para se fazer hash de algum dado. Fiquei com algumas dúvidas:

  • Ele se comporta da mesma forma como os hashes mais comuns, como md5 ou sha?
  • Qual é a sua principal diferença em relação aos referidos hashes mais "comuns"?

2 Respostas 2

1
  • Ele se comporta da mesma forma como os hashes mais comuns, como md5 ou sha?

Não, a resposta está no próprio link como "The functions mix the input bits thoroughly but are not suitable for cryptography.". A diferença entre o SHA-256 e o FarmHash (assim como o SipHash, MetroHash, CityHash, HighwayHash e o famoso CRC32) é que o SHA-256 é uma hash criptograficamente segura e todas as outras não.

Essas hashes não-criptograficas são usads para hash-tables, alguns algorítimos (como o SipHash) foram desenvolvidos para mitigar o ataque de Hash-DoS ou Hash-Flooding DoS. Já outros, como o CRC32 foi feito para verificar erros e corrupções acidentais.

  • Qual é a sua principal diferença em relação aos referidos hashes mais "comuns"?

As criptograficamente-segura tem critérios de segurança muito maiores, por exemplo devem ser imprevisíveis ("random oracle") e ser resistente à colisões. Qualquer hash terá colisões, devido ao principio da casa de pombos, uma vez que a saída da hash tem 256 bits e a entrada tem infinitas. Entretanto, as hashes seguras são feitas para que seja dificil de encontrar uma colisão. Isso também garante que seja resistente a segunda pré-imagem.

Apesar dessas hashes não serem uma hash segura, elas podem ser outra coisa... Algumas dessas hashes (como o SipHash, talvez outras) podem ser considerada um PRF ou MAC criptograficamente seguro. Isso é, você pode trocar o GCM, HMAC e o Poly1305 pelo SipHash. Mas, lembre-se que as condições de um MAC são mais baixas do que de uma hash, um MAC não é suposto a ser seguro contra colisões (embora também possa ser como o HMAC).

1

Pelo que entendi, são hashes para fins não-criptográficos. Tipo, podem ser bons para um hashmap, para um índice de banco de dados, mas não para criptografia.

Os hashes "comuns", no sentido de populares, são os criptográficos, como MD5 e SHA-1. Tais hashes oferecem duas garantias:

a) garantia fraca: Dada uma informação A e seu hash H(A), é muito difícil forjar B tal que H(B) = H(A).

b) garantia forte: É muito difícil achar quaisquer valores A e B tal que H(A) = H(B).

Geralmente quando se diz que um hash foi quebrado, o que foi quebrado foi a "garantia forte", a garantia fraca continua valendo por mais um tempo. Acho que as duas já foram pro saco no caso do MD5, e a garantia forte no caso do SHA-1.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.