4

O metacaractere retrovisor \x repete algo capturado em algum grupo () anterior na regex.

Por exemplo:

library(stringr)

a <- 'quero-quero'

str_extract(string = a, pattern = regex(pattern = '(quero)-\\1'))

[1] "quero-quero"

Este resultado está ok. O procedimento é relativamente simples, pois existe apenas um grupo. Os seguintes procedimentos não trazem os grupos correspondentes:

b <- 'lentamente é mente lenta'

str_extract(string = b, pattern = regex(pattern = '(lenta)(mente) é \\2 \\1'))

[1] "lentamente é mente lenta"

Isso funciona, mas quando inverto a ordem dos grupos, não me é trazido o grupo correspondente:

str_extract(string = b, pattern = regex(pattern = '(lenta)(mente) é \\1 \\2'))

[1] NA

O mesmo processo se repete para os seguintes casos:

Exemplo adicional 1:

c <- 'bandeirante é bandeira band'

str_extract(string = c, pattern = regex(pattern = '(((band)eira)nte) é \\2 \\3'))

[1] "bandeirante é bandeira band"

# invertendo o grupo
str_extract(string = c, pattern = regex(pattern = '(((band)eira)nte) é \\3 \\2'))

[1] NA

Exemplo adicional 2:

d <- 'indolor é sem dor'

str_extract(string = d, pattern = regex(pattern = 'in(d)ol(or) é sem \\1\\2'))

[1] "indolor é sem dor"

# invertendo o grupo

str_extract(string = d, pattern = regex(pattern = 'in(d)ol(or) é sem \\2\\1'))

[1] NA

Li isso, mas não consegui compreender o que ocorre. Para mim, era para os grupos serem retornados, mas em outra ordem. Mas, notei que não é algo tão trivial assim.

Obs: Em R, deve ser usada a dupla barra (\\), conforme consta aqui.

2 Respostas 2

4

Quando algum trecho da regex está entre parênteses, isso forma um grupo de captura. Os grupos são numerados de acordo com a ordem em que aparecem na expressão. Ou seja, nesta regex:

(lenta)(mente)

Temos dois pares de parênteses, e portanto, dois grupos de captura. O primeiro (grupo 1) é o que contém a string "lenta" e o segundo (grupo 2) contém "mente".

Os retrovisores (ou backreferences) servem para referenciar um grupo existente, para que não tenhamos que escrever a mesma coisa de novo. Isso quer dizer que as duas regex abaixo são equivalentes:

(lenta)(mente) é \\2 \\1
lentamente é mente lenta

Tanto que o código abaixo:

library(stringr)

a <- 'lentamente é mente lenta'

str_extract(string = a, pattern = '(lenta)(mente) é \\2 \\1')
str_extract(string = a, pattern = 'lentamente é mente lenta')

Resulta em:

[1] "lentamente é mente lenta"
[1] "lentamente é mente lenta"

Ambas as expressões correspondem à mesma string ("lentamente é mente lenta"). Repare que \\1 é apenas um atalho para "pegue o que foi encontrado no primeiro grupo de captura e coloque aqui", e \\2 faz a mesma coisa para o segundo grupo.


Já a regex (lenta)(mente) é \\1 \\2 é o mesmo que lentamente é lenta mente. É uma regex diferente da primeira, por isso ela não encontra um match quando você usa faz uma busca na string "lentamente é mente lenta". Tanto que o código abaixo:

library(stringr)

a <- c('lentamente é mente lenta', 'lentamente é lenta mente')

str_extract(string = a, pattern = '(lenta)(mente) é \\1 \\2')

Retorna o seguinte:

[1] NA                         "lentamente é lenta mente"

Nos seu exemplos talvez não fique tão claro a utilidade disso, mas imagine o exemplo abaixo:

library(stringr)

b <- c('ab', 'cc')

str_extract(string = b, pattern = '([a-z])\\1')

A regex busca por uma letra de a a z ([a-z]) seguida da mesma letra. Ou seja, ela busca por duas letras seguidas que sejam iguais. O resultado é:

[1] NA   "cc"

Repare que isso é diferente de [a-z][a-z]: esta regex pega duas letras, e ambas podem ser quaisquer letras de a a z (elas não precisam ser necessariamente a mesma letra). Se eu quiser pegar duas letras seguidas que sejam iguais, não dá para usar isso. O problema é que não tem como eu saber antes qual será a letra que está repetida (claro que eu poderia fazer aa|bb|cc|dd..., mas não seria nada prático, nem inteligente). Somente usando a backreference \1 eu garanto que a segunda letra é a mesma que foi capturada pelos parênteses. É uma forma esperta de referenciar um trecho que já foi encontrado antes.


Dito isso, colocar os grupos fora de ordem (como em (lenta)(mente) é \\2 \\1) não faz os grupos serem invertidos na string original. Ao buscar um match, você está verificando se a string corresponde à expressão - e no caso, a expressão diz que você tem uma string com trechos que se repetem em determinada ordem. Mas a busca por um match, por si só, não modifica a string original.

Se quer modificar algo na string, você deve fazer substituições, como já indicado na resposta do Rui. Ex:

b <- 'lentamente'

sub('(lenta)(mente)', '\\1\\2 é \\2 \\1', b)

O primeiro parâmetro é a regex (lenta)(mente), que possui dois grupos de captura (o primeiro é "lenta" e o segundo é "mente"). No segundo parâmetro eu indico qual será a substituição feita, e repare que eu uso as backreferences mais de uma vez.

No caso, a string de substituição diz o seguinte:

  • coloque o primeiro grupo de captura (\\1), e depois o segundo (\\2)
  • coloque espaço, a letra é e outro espaço
  • coloque o segundo grupo de captura, um espaço e o primeiro grupo de captura

O resultado é:

[1] "lentamente é mente lenta"
3

Vou simplificar um pouco o código, uma vez que não são necessárias chamadas a regex, o seguinte é, no caso da pergunta, equivalente.

library(stringr)

b <- 'lentamente é mente lenta'

str_extract(string = b, pattern = '(lenta)(mente) é \\2 \\1')
str_extract(string = b, pattern = '(lenta)(mente) é \\1 \\2')

O que está a acontecer é que

  1. No primeiro caso, o padrão '(lenta)(mente) é \\2 \\1' pode ser encontrado em b e portanto str_extract consegue extraí-lo. Não há qualquer problema.
  2. No segundo caso, o padrão '(lenta)(mente) é \\1 \\2' não ocorre em b. Este padrão expande para '(lenta)(mente) é lenta mente', os metacaracteres \1 e \2 são corretamente substituídos pelas strings capturadas anteriormente. Como a totalidade da regex não é encontrada, o resultado é NA.

Veja agora com sub, que o R está a processar os retrovisores bem.

sub('(lenta)(mente)', '\\2 \\1', b)
#[1] "mente lenta é mente lenta"

sub('(lenta)(mente)', '\\1 \\2', b)
#[1] "lenta mente é mente lenta"

Os resultados dos outros exemplos da pergunta são análogos.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.