4

No ultimo sábado apresentei meu TCC na faculdade e vi que preciso melhorar o projeto apresentado. O sistema recebe notas fiscais em formato XML e as manipula. Peguei como base o sistema na empresa onde faço estágio. Utiliza-se Primefaces, JSF, Spring IoC, Hibernate.

Eu então comecei a ler algumas coisas buscadas no Google, me deixaram talvez confuso, mas vou informar o que entendi.

O repositório seria uma classe para buscar informações no banco de dados ou no local onde as informações foram persistidas. Mas no caso do JpaRepository ele provê a ligação a determinada classe do Model com possibilidade de persistir no banco de dados.

Estou correto?

Li que esta implementação é uma boa, pois o DAO é abstraído pelo ORM da JPA. Então não haveria necessidade de implementar uma classe DAO.

Gostaria da ideia dos colegas para saber o que está certo em se pensar e o que está errado.

E se usando a interface JpaRepository é possível fazer uma classe abstrata para depois minhas classes implementadas como repositório estenderem dela? E trabalhar em conjunto com o service?

Teriam algum codigo de exemplo ou link?

6

Em geral você está correto.

Repository Pattern

Repository é um padrão de projeto similar ao DAO (Data Access Object) no sentido de que seu objetivo é abstrair o acesso a dados de forma genérica a partir do seu modelo. A diferença é que o Repository procura representar os dados como uma coleção de elementos, lembrando mesmo uma Collection.

Spring Data Jpa

O projeto Spring Data Jpa facilita a implementação do padrão Repository através de AOP (Aspect Oriented Programming - programação orientada a aspectos).

Utilizando-se apenas de uma interface, o Spring irá "gerar" dinamicamente a implementação dos métodos de acesso a dados. Estender a interface JpaRepository é opcional, mas a vantagem é ela já vem com vários de métodos genéricos de CRUD e você não precisa redefinir todos eles.

A princípio pode ser um pouco estranho usar este projeto do Spring. Quem não conhece AOP e como o Spring Data funciona vai perder um tempo procurando a implementação das interfaces.

Criar novos métodos simplesmente através das assinaturas é muito fácil. Veja este exemplo:

@Repository
public interface ClienteRepository extends JpaRepository<Cliente, Long> {
    Cliente findByNome(String nome);
    Page<Cliente> findByCidadeAndEstado(Cidade cidade, Estado, estado, Pageable pageable);
}

A princípio podemos perguntar: o que o Spring faz com isso?

Primeiro o prefixo findBy nos nomes dos métodos significa que será um método de consulta.

O que vem se seguida é como uma expressão que define quais atributos serão usados como filtros. No primeiro exemplo, findByNome, significa, pesquise pelo atributo nome usando o valor passado no primeiro parâmetro. No segundo exemplo, a query gerada utilizará uma expressão com o operador AND considerando os atributos cidade e estado.

Além disso, o parâmetro especial do tipo Pageable diz que o resultado será paginado. Note que o retorno do método é uma "página de clientes".

Veja a documentação sobre criação de queries para maiores detalhes.

Alternativamente, você pode especificar uma query JPA ou nativa qualquer através da anotação @Query. Veja a documentação.

Exemplo de query JPA:

public interface UserRepository extends JpaRepository<User, Long> {

  @Query("select u from User u where u.firstname like %?1")
  List<User> findByFirstnameEndsWith(String firstname);

}

Exemplo de query nativa:

public interface UserRepository extends JpaRepository<User, Long> {
  @Query(value = "SELECT * FROM USERS WHERE EMAIL_ADDRESS = ?0", nativeQuery = true)
  User findByEmailAddress(String emailAddress);
}

Customizando o Spring Data Jpa

Existem basicamente duas formas de customizar ainda mais o Spring Data JPA:

Criando uma implementação específica

Se para apenas um caso você precisar mesmo fazer uma implementação de métodos, é possível. Para isso, se você tiver uma interface ClienteRepository:

  1. Crie uma interface ClienteRepositoryCustom com os métodos que deseja implementar.
  2. Crie no mesmo pacote uma classe ClienteRepositoryImpl implementando esta interface.
  3. Faça a interface ClienteRepository estender a interface ClienteRepositoryCustom

Veja a documentação.

Criando uma interface "genérica"

Caso você tenha métodos que deseja ter em todos os repositórios, mas que não estão presentes na interface JpaRepository, você pode criar um interface genérica com esses métodos e fazer seus repositórios estenderem essa interface.

Substituindo a implementação do JpaRepository

Bem, toda a mágica tem um truque por trás dos bastidores. Existe, sim, uma implementação disso tudo e você pode estendê-la conforma seus objetivos.

Eu mesmo fiz isso em um projeto recente para permitir uma busca dinâmica usando um mapa, onde cada entrada do mapa é adicionada automaticamente à cláusulas de pesquisa.

Creio que descrever todo o processo está fora do escopo da resposta, além de alongar muito o conteúdo. Então vou deixar o link de um dos artigos que usei para fazer a implementação é Customizing Spring Data JPA Repository.

Por um lado, criar sua versão estendida do JpaRepository não é muito complicado, mas sugiro que tente resolver questões específicas usando as abordagens mais específicas já mencionadas. Pense duas vezes antes de criar ou sobrescrever métodos que afetam todas as suas classes.

  • obrigado por sua resposta, mas durante uma leitura uma dúvida me chamou a atenção até mesmo de outro material que li, no material dizia que automaticamente o Spring implementaria os métodos para eu através dos atributos da classe, correto? Se sim, no meu exemplo não ocorre. – Macario1983 4/02/14 às 16:36
  • @Macario1983 Não entendi o que você quis dizer com "no meu exemplo não ocorre". De qualquer forma, só para esclarecer, se você tiver uma entidade JPA Cliente com um atributo String nome e criar uma assinatura Cliente findByNome(String nome);, o Spring Data Jpa consegue criar uma query mais ou menos assim: select c from Cliente c where nome = :nome. – utluiz 4/02/14 às 16:43
  • @Macario1983 mas você só vê isso no momento da execução. – utluiz 4/02/14 às 16:43
  • 1
    @Macario1983 Não, não é isso que ocorre. O Spring não cria métodos automaticamente para cadas atributo, até porque isso seria um grande desperdício. Ele cria métodos de acordo com as assinaturas que estão na interaface. O que está descrito no último tópico da minha resposta é que eu criei um método genérico de pesquisa baseado num mapa. Se o mapa tiver a entrada nome = "José" ou idade = 30, então a query teria o seguinte filtro: where nome like 'José%' and idade = 30. No entanto, eu tive que fazer essa implementação manualmente. – utluiz 4/02/14 às 16:55
  • 1
    No projeto em que citei, não tenho a camada DAO. As camadas são: Controller (ManagedBeans do JSF), Service (regras de negócio em spring beans) e Repository (repositórios do Spring). Uma grande vantagem do repository é não perder tempo implementando cada método DAO (que na maioria das vezes é cópia um do outro). Isso evita que um desenvolvedor introduza lógica incorreta de acesso a banco (esquecendo de fechar conexões, setando parâmetros incorretos, etc.). Entretanto, o mesmo efeito poderia ser alcançado criando DAOs genéricos, os quais você estende e obtém a implementação dos métodos básicos. – utluiz 5/02/14 às 14:02
4

A DAO é um padrão de design que abstrai a persistência de dados. Um Repositório é uma abstração de uma coleção de objetos e os seus respectivos métodos de manipulação. Os dois podem existir num mesmo projeto. A trinca DAO, Repositório e DTO (Data Transfer Object) pode ser considerada uma Unidade de Trabalho (Unit of Work).

Uma definição formal de DAO tem no site da Oracle, em inglês: http://www.oracle.com/technetwork/java/dataaccessobject-138824.html. Um tradutor pode ajudar.

Um apanhado geral de Repositório JPA pode ser encontrado aqui: http://workingonbits.com/2011/05/05/effective-pattern-for-data-access-with-jpa/.

O Repositório JPA é uma implementação especial de Repositório, mas repare que o Repositório se preocupa em expôr métodos que manipulam coleções, e não operações em bancos de dados, como a DAO. No caso do Repositório JPA do Spring, ele se propõe a fazer algumas coisas em automático (busca, inserção, atualização), mas ainda assim o foco é a manipulação de itens de uma coleção.

Pode até ser que os conceitos se confundam porque tem gente que implementa um Repositório com uma cara de DAO (por exemplo, colocando um método chamado Update() no Repositório). O correto, no caso de um repositório completamente integrado com um banco de dados, seria o repositório atualizar isso de forma transparente.

  • Pois é cara, mas o que eu havia lido, seria que o ´DAO´ não teria necessidade de existir já que convenhamos, se o ´ORM´ faz estas funções não haveria porque, o que achei estranho mas olhando o ´Javadoc´ é dizerem que o repositório não pode fazer a função ´DAO´ mas sim ser agregado a ele, e eu vejo métodos de persistência na ´interface´ do ´JPA´, até gostei pois há um para salvar em ´massa´. Neste exemplo até aborda mais para o lado que você frisa nos comentários, mas como não conheço muito achei estranho o uso de ´DTO´. – Macario1983 4/02/14 às 17:00
  • Está correto. Um repositório é agregado a uma DAO porque a implementação tecnológica de tratamento com o banco de dados está na DAO, e o que o repositório precisa pra interação com o banco ele chama pela DAO. – Cigano Morrison Mendez 4/02/14 às 17:27
  • Parece ser mais interessante implementar por ele, e fazer métodos de persistência, como salvar, inserir e deletar no service, mas fazendo apenas o tratamento por exemplo de deleção de objetos que não tenham o id correto. – Macario1983 4/02/14 às 17:32
  • Eu não consigo ver essa diferença conceitual entre DAO e Repositório. Para mim, são a mesma coisa na prática, mesmo que o criador do "Repository" tenha tentado dar uma definição mais "abstrata", em termos de coleções. Todos os DAOs que já vi possuem exatamente os mesmos tipos de métodos que um Repositório, a saber, métodos como "findById", "findAll", "findByName", "save", "persist", "remove", etc. Qual é a diferença? – Rogério 5/03/15 às 21:32
  • @Rogério A diferença é em que nível se trata a abstração. Na DAO há a abordagem tecnológica (por exemplo, as sentenças SQL ficam escritas na DAO). No Repositório não há essa minúcia. Há apenas o método e como ele age sobre a coleção. O pormenor tecnológico (o SQL, por exemplo) é esperado que seja resolvido em outra camada da aplicação. – Cigano Morrison Mendez 6/03/15 às 4:26

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.