7

Tenho uma coleção de elementos que estou percorrendo em uma stream. Suponha que seja pegar o elemento de maior valor (inteiro) dado uma classificação (string). Essa classe é o suficiente para exemplificar meu caso:

class Elemento {
  final String classificacao;
  final int valor;

  Elemento(String classificacao, int valor) {
    this.classificacao = classificacao;
    this.valor = valor;
  }

  // getters, para permitir um uso mais funcional
}

Preciso pegar, para os elementos de mesma "classificacao", o de maior "valor".

A minha primeira estratégia foi agrupar em um mapa <String, List<Elemento>> para, sobre seus valores, pegar o maior Elemento:

Collection<Elemento> elementos = ...; // povoa os valores

elementos.stream()
  .collect(Collectors.groupingBy(Elemento::getClassificacao))
  .values().stream()
  .map(l -> l.stream().max(Elemento::getValor).orElse(null))
  .filter(Objects::nonNull)
  ...; // mais

Tem alguma forma de fazer isso sem usar esse mapa de listas intermediário?


O caso real

Na verdade, o caso particular é para pegar o método mais específico dentro de uma coleção de bridge methods, pois aconteceu casos de "conflitos de nome" quando se implementa método genérico de uma interface genérica. No meu caso real, tenho isso para extrair os meus elementos:

private static int determineSuperclass(Method ma, Method mb) {
  Class<?> ra = ma.getReturnType();
  Class<?> rb = mb.getReturnType();

  if (ra.equals(rb)) {
    return 0;
  } else if (ra.isAssignableFrom(rb)) {
    return -1;
  } else if (rb.isAssignableFrom(ra)) {
    return +1;
  } else {
    return 0;
  }
}

// ...

Class<T> inputClazz = ...; // povoa inputClazz
Stream.of(inputClazz.getMethods())
  .filter(m -> m.getParameterCount() == 0)
  .filter(m -> m.getName().startsWith("get"))
  .filter(m -> !Void.class.equals(m.getReturnType()))
  .filter(m -> Modifier.isPublic(m.getModifiers()))
  .filter(m -> !Modifier.isStatic(m.getModifiers()))
  .collect(Collectors.groupingBy(Method::getName))
  .values().stream()
  .map(l -> l.stream().max(MyClass::determineSuperclass).orElse(null))
  .filter(Objects::nonNull)
  ...; // faço minha própria coleção

No meu caso, a encrenca se deu quando implementei uma interface genérica. No caso, a interface era:

interface HasKey<K> {
  K getKey();
}

E o "problema" acontece até em classes anônimas, como:

HasKey<Integer> abc = new HasKey<Integer> {
  @Override
  public Integer getKey() {
    return 1;
  }
};

Quando se chama abc.getClass().getMethods(), obtém-se dois métodos chamados getKey():

public java.lang.Object myPackage.MyClass$1.getKey())
public java.lang.Integer myPackage.MyClass$1.getKey())

Mas minha intenção continua sendo como, a partir de uma uma stream, pegar o "maior" elemento de determinado "subgrupo", só que sem usar o mapa de listas intermediário de maneira explícita.

3

A versão inicial da pergunta pedia: Tem alguma forma de fazer isso sem usar esse Map intermediário de maneira explícita?

Daria para usar collectingAndThen:

Stream<Elemento> stream = elementos.stream().collect(
    Collectors.collectingAndThen(
        Collectors.groupingBy(Elemento::getClassificacao),
        map -> map.values().stream()
                  .map(l -> l.stream().max(Comparator.comparing(Elemento::getValor)).orElse(null))
                  .filter(Objects::nonNull)));

Primeiro ele aplica o groupingBy, e depois o resultado é passado para o finisher (o lambda que é passado como segundo parâmetro). No caso, ele recebe o resultado do groupingBy (o Map) e extrai o elemento de maior valor para cada classificação.

No fim, é criado um Map, mas podemos considerar que é de maneira "implícita" (podemos?). Talvez haja alguma otimização interna nesse método, mas pode ser que não, e no fim dê no mesmo. Não sei, eu não vi tanta diferença assim para a sua solução, e acho até que a minha ficou um pouco mais confusa de ler e entender.

O resultado é uma Stream de Elemento, que você pode continuar usando da maneira que precisar.


Evitando o mapa de listas

Após a edição, foi pedido para eliminar o mapa de listas.

Para evitar o mapa de listas, você pode coletar usando Collectors.toMap:

Map<String, Integer> results = elementos.stream()
    .collect(Collectors.toMap(Elemento::getClassificacao, Elemento::getValor, Math::max));

O primeiro parâmetro define qual será a chave do map (no caso, a classificação), e o segundo parâmetro, o respectivo valor (no caso, o valor do elemento). O terceiro parâmetro define o critério de desempate, caso haja mais de um valor para a mesma chave (usei Math::max, assim ele pega o maior valor).

O resultado é um Map cujas chaves são as classificações, e os valores são o maior valor daquela classificação.

  • Sendo sincero, ainda não gostei =/ Parece mais funcional, mas ainda preciso fazer uma chama a Map.values() dentro do lambda. Logo, ainda tem um dedo explícito do Map. Talvez um coletor próprio resolva? Mas, sim, está menos explícito o uso do Map... – Jefferson Quesado 9/09 às 19:49
  • 1
    @JeffersonQuesado Tudo bem, eu também não gostei muito da minha solução :-) Talvez um coletor próprio seja o caminho (só não sugeri porque, sinceramente, eu nunca precisei criar um - se sobrar um tempo eu tento e atualizo a resposta). Mas dentro desse coletor vc teria que usar um algoritmo que não crie o map, senão não vai adiantar nada também :-) – hkotsubo 9/09 às 19:51
  • Pois é, mas pelo menos não vai ser necessário um mapa de lista... Acho que meu maior incômodo é esse, só não sei como realmente expressar isso dentro do contexto – Jefferson Quesado 9/09 às 19:55
  • 1
    Editei a questão para deixar claro que é mapa de lista que me incomoda. Obrigado por me ajudar a enxergar mais corretamente minha dúvida – Jefferson Quesado 9/09 às 20:22
  • 1
    @JeffersonQuesado Atualizei a resposta. Como é a primeira vez que uso o método collect com 3 parâmetros, pode não ser a melhor solução, mas pelo menos consegui eliminar o map de listas – hkotsubo 9/09 às 20:37
4
+100

Porque você não usa o método Method.isBridge() para te ajudar?

Aqui vai o MCVE:

import java.lang.reflect.Method;
import java.lang.reflect.Modifier;
import java.util.stream.Stream;

public class MyClass {

    public static boolean isPublicDeclaredGetter(Method m) {
        int mod = m.getModifiers();
        Class<?> returnType = m.getReturnType();
        String name = m.getName();
        boolean is = name.startsWith("is");
        boolean get = name.startsWith("get");
        int suffixIndex = get ? 3 : 2;

        return returnType != void.class
                && returnType != Void.class
                && !"is".equals(name)
                && !"get".equals(name)
                && Modifier.isPublic(mod)
                && !Modifier.isStatic(mod)
                && !m.isBridge()
                && m.getParameterCount() == 0
                && (get || (is && (returnType == boolean.class || returnType == Boolean.class)))
                && Character.isUpperCase(name.substring(suffixIndex, suffixIndex + 1).charAt(0));
    }

    public interface A<X> {
        public X getFoo1();
        public X getFoo2();
        public int getBar1();
    }

    public interface B extends A<String> {
        public String getFoo2();
        public String getBar2();
        public boolean isOk();
        public static int getBad1() { return 0; }
        public void getBad2();
        public String isBad3();
        public int getBad4(int x);
        public String getulio();
        public String isam();
        public int get();
    }

    public static void main(String[] args) {
        Class<?> inputClazz = B.class;
        Stream.of(inputClazz.getMethods())
            .filter(MyClass::isPublicDeclaredGetter)
            .forEach(System.out::println);
    }
}

Como você pode ter percebido, coloquei a regra para definir se é um getter no método isPublicDeclaredGetter. O motivo é que do jeito que você fez inicialmente, um método chamado isVisible não seria considerado um getter enquanto que getulio seria. E um método chamado apenas get também seria considerado como um getter. Além disso, objetos do tipo Class podem ser comparados com ==, não precisando usar o equals. Por fim, observe o isBridge() lá.

Eis a saída:

public abstract boolean MyClass$B.isOk()
public abstract java.lang.String MyClass$B.getFoo2()
public abstract java.lang.String MyClass$B.getBar2()
public abstract java.lang.Object MyClass$A.getFoo1()
public abstract int MyClass$A.getBar1()

Observe que nenhum método se repetiu, que onde havia colisões de nomes, o mais específico foi escolhido e que nenhum método indesejado apareceu.

  • "Porque você não usa o método Method.isBridge()?" R: ignorância de minha parte =) – Jefferson Quesado 9/09 às 20:26
  • Aproveitando, não sabia que dava pra usar boolean.class, só conhecia o Boolean.class – Jefferson Quesado 9/09 às 20:29
  • 1
    @JeffersonQuesado Sim, dá. Ele produz o objeto Class que aponta para o tipo primitivo. Já usando Boolean, você referencia a classe empacotadora. E o mais interessante é o void.class. – Victor Stafusa 9/09 às 20:30
  • Sobre usar o Class.equals, é trauma mesmo... – Jefferson Quesado 9/09 às 20:35
  • 1
    Você resolveu meu problema natural (o X), mas acho que consegui deixar claro meu problema artificial (o Y). Por isso, vou dar uma recompensa quando for possível, mas aceitarei a resposta do hkotsubo – Jefferson Quesado 9/09 às 21:49

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.