5

Já tenho o HTTP/2 configurado no servidor, testando pelo https://tools.keycdn.com/http2-test o resultado é:

HTTP/2 protocol is supported.

ALPN extension is supported.

Mas olhando pelo log de acesso vejo que todos os acessos continuam sendo pelo HTTP/1.1, nenhum pelo HTTP/2.

Tem algo que preciso fazer para os usuários começarem a acessar por HTTP/2, talvez mudar um header ou algo assim? Ou ainda depende de futuras atualizações dos navegadores para começar a valer? Btw, o servidor é apache, e a aplicação no server é em PHP.

  • 1
    Não adianta o servidor ter suporte e o cliente não. Os logs que analisou foi de requisições feitas por um cliente que suporta o HTTP2? – Costamilam 27/07 às 4:22
  • @Costamilam Não sei dizer. Na verdade a pergunta é justamente essa. Estando habilitado no servidor, depende apenas de um comportamento do navegador (que pelo jeito ainda não é padrão), ou eu posso setar algo que force o navegador a usar o HTTP/2? Tem algum header, ou meta que eu precise adicionar ainda no PHP ou HTML? – gustavox 27/07 às 11:50
7
+150

Conforme a documentação do Apache, você pode controlar as requisições PUSH através do cabeçalho de resposta Link. Isto é, se irá responder seu cliente com um arquivo HTML que depende de um arquivo CSS e outro JS, você pode enviá-los ao cliente através de PUSH antes que o mesmo necessite requisitá-los.

Você pode fazer isso diretamente na configuração do seu servidor, para cada rota

<Location /xxx.html>
    Header add Link "</xxx.css>;rel=preload"
    Header add Link "</xxx.js>;rel=preload"
</Location>

Ou simplesmente adicionar os cabeçalhos na resposta. Com PHP você é capaz disso através da função header:

<?php

header("Link </xxx.css>;rel=preload, </xxx.js>; rel=preload");

Assim, quando o cliente carregar sua página HTML já receberá também os arquivos CSS e JS.

Para o primeiro acesso, que cria a conexão com o servidor, basta informar a versão do HTTP durante a requisição:

GET / HTTP/2
Host: localhost

O navegador, possuindo suporte para o HTTP/2, já fará isso por conta. Você pode verificar isso nas ferramentas de desenvolvedor no seu navegador. Aqui, acessando uma página em um servidor com suporte ao HTTP/2, que envia via PUSH o arquivo CSS, ficou:

inserir a descrição da imagem aqui

O valor h1 em Protocol indica HTTP/2 e para o arquivo CSS, segundo da lista, é possível ver Push como Iniciator da requisição.

  • Então apenas se eu utilizar o preload é que vai acessar por http/2? – gustavox 23/07 às 23:23
  • @gustavox O cabeçalho HTTP... – Woss 23/07 às 23:24
  • O cabeçalho Link? Mas se for isso então se eu não usar preload, e digamos que não queira carregar nada antes, então mesmo estando habilitado o http2 não será usado pra nada? Ou tem um cabeçalho próprio que indica pra usar sempre que for possível o http2., mesmo sem usar push? – gustavox 23/07 às 23:47
  • @gustavox Eu não entendi o seu comentário. Como assim "carregar nada antes"? – Woss 26/07 às 15:53
  • 1
    @gustavox Sim, tudo indica que sim. Pelo o que li, o navegador (atualmente) já irá verificar se o servidor permite o uso de HTTP/2 e utilizará, mas estou procurando uma informação oficial sobre isso. – Woss 1/08 às 19:35
1

Primeiramente, pode ser que seja o navegador dos clientes que não suportam o HTTP/2 e seus recursos. Por exemplo, às vezes o navegador não suporta o server push e o ignora (como é o caso do Safari 9.0).

Todavia, existe a configuração por parte do servidor, na aplicação em si, que no caso você tem que verificar se fosse fez. Você deve incluir nas response um cabeçalho Link que lista as URLs dos recursos adicionais que serão alvo do server push, para envio de uma vez só ao cliente. Então o servidor, caso suporte HTTP/2 e esteja configurado (como me parece no seu caso), lê esse header e faz as devidas ações para transformar num server push.

E, conforme explicado no artigo do link a seguir, os servidores necessitam de alguma forma receber dos desenvolvedores, ou seja, serem informado, de quais recursos devem ser alvo do server push. Ainda não existe uma regra, mas parece haver um consenso se formando em torno de usar a RFC de Web Linking para essa comunicação. É assim que o Apache faz e é assim que o Google App Engine faz.

A sintaxe da RFC de Web Linking manda a gente colocar a URL do recurso, o tipo dele e a relação que temos com ele. No caso, para o server push funcionar, queremos uma relação de preload.

Da uma linda nesse artigo: https://blog.caelum.com.br/http2-server-push-na-pratica/

  • Então, como disse na outra resposta, eu não passei uma info importante na pergunta (pq achei irrelevante), e isso que causou a dificuldade pra quem tentou responder. É que como quem provê o http2 é a cloudflare, no log de acesso não aparece o acesso http2 por que a cloudflare não usa entre ela e o servidor de origem. Mas valeu pela resposta. +1 – gustavox 1/08 às 19:33

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.