8

Tenho um arquivo PHP dentro do diretório opt no Linux.

Dentro dele tenho um script com queries para atualizar um banco de dados, com senha e login de conexão do banco de dados.

Esse arquivo é setado dentro de um arquivo bash agendado no cron que manda executá-lo:

php /opt/script_de_atualizacao.php

Qual a permissão que dou nesse arquivo ? Já que ele tem a senha e login do Mysql, seria o 755?

2
  • E a sua intenção é que o arquivo possua permissão de execução mas que os usuários não possam acessá-lo para ver os dados de acesso do banco?
    – Woss
    28/06/2019 às 19:26
  • Sim. Seria isso. Qual permissão posso usar?
    – JotaBe
    28/06/2019 às 19:56

1 Resposta 1

13
+50

A coisa mais importante, geralmente, é não configurar posse e permissões desnecessárias para o funcionamento do cron no seu sistema operacional. Use o princípio do privilégio mínimo. Por exemplo, você não precisa rodar esse script como root, em primeiro lugar. Crie um usuário no seu sistema específico para a tarefa (assumindo adduser), se for o caso, ponha-o como dono do arquivo (chown) e configure-o como o executor no cron. Por exemplo, em /etc/crontab, para rodar a tarefa 4:30 da madrugada todos os dias:

30 4 * * *  usuario_da_tarefa  /usr/local/bin/php -f /opt/script_de_atualizacao.php

Observo que, se fizer deste modo, /opt/script_de_atualizacao.php nem precisa ser executável. Precisa apenas ser legível, para ser interpretado pelo php; ou seja, o modo 400 é suficiente. Ainda no exemplo:

# useradd -r usuario_da_tarefa
# chown usuario_da_tarefa:usuario_da_tarefa /opt/script_de_atualizacao.php
# chmod 400 /opt/script_de_atualizacao.php

Mais além, você provavelmente não precisa expor o usuário administrativo do seu banco no arquivo /opt/script_de_atualizacao.php. Crie um usuário específico no banco para a sua tarefa e dê as permissões no banco necessárias a ele, como para SELECT e SHOW VIEW.

Só para completar e esclarecer ainda mais, notei confusão importante sobre permissões de acesso em arquivos na sua pergunta. Veja, ao dar ls -l em um diretório, você vai ver algo assim, na primeira coluna:

- --- --- ---

As três trincas finais indicam permissões, ao modo que o primeiro espaço isolado indica a natureza do arquivo. A primeira trinca indica permissão ao dono, a segunda ao grupo e a terceira a outros, ou seja, quem não é o dono (terceira coluna de ls -l) nem faz parte do grupo (quarta coluna de ls -l).

Você pode usar o chmod basicamente da seguinte forma: chmod XYZ arquivo, em que X configura permissão ao dono, Y ao grupo e Z a outros. Ambos X, Y e Z vão de 0 a 7, significando isto:

1 (execução),
2 (escrita),
4 (leitura),

e suas possibilidades de soma.

Assim, chmod 755 /opt/script_de_atualizacao.php significa:

Permissão 7 ao dono dele, ou seja 1 (execução) + 2 (escrita) + 4 (leitura); permissão 5 ao grupo e a outros, ou seja 1 (execução) + 4 (leitura). Desse modo, qualquer usuário pode ler (e executar) o arquivo, e não é isso que você quer, já que a segurança do seu banco está em jogo.

Dê uma olhada em permissões de acesso em arquivos, para complementar.

Você deve fazer log-in para responder a esta pergunta.

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag .