14

Meu líder usa este padrão em TODAS as suas classes (darei os exemplos em C#, mas vale para qualquer linguagem do .NET):

public class MeuTipo
{
    private MeuTipo() { } // esconder o construtor

    public static MeuTipo CriarMeuTipo()
    {
        MeuTipo meuTipo = new MeuTipo();
        return meuTipo;
    }
}

Eu realmente não entendo o porquê disso. Suas classes sequer são imutáveis (apesar de que eu também não acho que existiria uma vantagem mesmo que a classe fosse imutável), então, além de isso me parecer um padrão sem muita utilidade, também nos previne de usar construtores com propriedades, como por exemplo... (Usarei uma suposta classe Pessoa)

new Pessoa { Nome = "João", Sobrenome = "Doe", (...) } // não é possível nesse padrão

Por isso, somos obrigados a imaginar todos os cenários em que um construtor seria possível. Por exemplo, supondo que em uma ocasião a Pessoa pode iniciar sem nenhum dado, ou só com o primeiro nome, ou com ambos os nomes, somos obrigados a fazer a classe assim:

public class Pessoa {
    private string _nome;
    public string nome {
        get { return this._nome; }
        set { this._nome = value; }
    }

    private string _sobrenome;
    public string sobrenome {
        get { return this._sobrenome; }
        set { this._sobrenome = value; }
    }

    private Pessoa() { }
    public static Pessoa CriarPessoa() {
        return CriarPessoa(null);
    }
    public static Pessoa CriarPessoa(string nome) {
        return CriarPessoa(null, null);
    }
    public static Pessoa CriarPessoa(string nome, string sobrenome) {
        Pessoa pessoa = new Pessoa();
        pessoa.nome = nome;
        pessoa.sobrenome = nome;
        return pessoa;
    }
}

Enquanto poderíamos fazer assim:

public class Pessoa {
    public string Nome { get; set; }
    public string Sobrenome { get; set; }
}

Eu realmente não consigo entender o porquê de fazer tanto trabalho para perder um recurso da linguagem, então não consigo deixar de pensar que possa existir um motivo pra isso. Se há um motivo, sejam Design Patterns ou algum tipo de motivo por legacy code, alguém pode me esclarecer?

Nota: Eu NÃO quero opiniões aqui, porque este não é um site de opiniões. Eu fiz essa pergunta porque creio que algum programador de mais tempo que eu, ou que tenha trabalhado com Orientação a Objetos fora do .NET me dê uma resposta para o porquê isso seria uma vantagem.

Aliás, meu líder usou Java no passado. Por isso eu acho que exista uma resposta certa pra essa pergunta.

  • 2
    Eu ia comentar exatamente sua ultima linha. Eu vi esse pattern em programadores Java, porém não vejo vantagem no .net – Gadonski 3/02/14 às 15:24
13

Esse padrão é útil em raros casos.

Um deles é para implementar o padrão Singleton, em que se esconde o constructor, e um método estático é utilizado para criar um Singleton novo ou retornar o existente. De modo simples:

public class MySingleton{    
    private static MySingleton _singleton = null;

    private MySingleton() { }

    public static MySingleton GetInstance() {
        if(_singleton == null)
            _singleton = new MySingleton();
        return _singleton;
    }
}

(Nota: o exemplo acima podia ser melhorado, com double-checked locking por exemplo para garantir thread safety)

Porem, na maior parte dos casos, tornar todos os constructores privados só traz problemas. Impede testes unitários em isolação, não se pode fazer mocking de dependências, não se pode injectar dependências, etc.

Com todo o respeito, o teu líder devia voltar para a faculdade...

  • +1 pela resposta certa como eu pedi. E eu queria dar +10 pelo comentário no final. xD (Nota: Ele não usa o padrão singleton -- tampouco faz testes unitários ou mocking) – André Leria 3/02/14 às 12:25
  • 1
    @AndréLeria pergunta ao teu lider quais as vantagens de usar essa abordagem em todas as classes.. ficaria surpreendido se ele conseguisse dar uma vantagem pertinente... – dcastro 3/02/14 às 12:35
  • 1
    @AndréLeria Sempre que suspeitares das dicas do teu lider, pergunta aqui no SO ;) Nao ha lideres! Se a resposta estiver correcta e fundamentada, upvote - caso contrario, downvote! Democracia para todos :D – dcastro 3/02/14 às 13:01
  • 1
    Só pra complementar, esse padrão é útil também quando há necessidade de se controlar o uso de recursos (isto é, controlar a instanciação de objetos da classe). Exemplo clássico em jogos: um míssel lançado por uma nave, que ao "sair" da tela pode ser reutilizado sem a necessidade de instanciar um novo objeto. Adicionalmente aos problemas citados pelo @dcastro, esse padrão também podem dificultar ou impedir o uso de reflexão (pt.wikipedia.org/wiki/Reflex%C3%A3o_(programa%C3%A7%C3%A3o)) em algumas linguagens, uma vez que o construtor da classe é privado. – Luiz Vieira 3/02/14 às 13:06
  • 1
    Note também que, uma vez que só há um construtor e ele é privado, o construtor não pode ser usado em subclasses (vide essa thread do SO para mais detalhes: stackoverflow.com/questions/16661595/…). Assim, caso o padrão seja necessário, talvez seja melhor declarar o construtor como protegido ao invés de privado. – Luiz Vieira 3/02/14 às 13:07
10

Existem dois padrões (que eu me lembre agora) que se beneficiam de construtores que não são públicos:

  • Factory

  • Singleton

Nenhum desses dois padrões se beneficia de um método estático de construção... o singleton possui sim um método (ou propriedade) estático, mas não é de construção e sim de obtenção da instância, que pode ou não construir o objeto.

Existe entretanto, um propósito para métodos de construção estáticos:

  • construção com inferência de tipos dos argumentos

  • construção com semântica (muito importante para manutenibilidade)

Padrão Factory

O padrão Factory determina que um objeto seja construído por uma fábrica de objetos. Essa fábrica de objetos implementa uma interface, de forma que se pode usar inversão de controle (IoC) da construção de objetos, ou seja, externalizar a construção de objetos, sendo que a fábrica de objetos se torna uma dependência de todos que necessitarem construir o objeto.

public interface IFabricaMeuObjeto
{
    MeuObjeto Criar(int exemploParametro);
}

Nesse padrão o construtor dos objetos não é público, para que os programadores não sejam induzidos a criar o objeto usando um construtor, ao invés de usar a fábrica de objetos. Neste caso não seria private mas sim internal.

public class MeuObjeto
{
    internal MeuObjeto()
    {
    }

    public int Inteiro { get; set; }
}

Utilidades do padrão factory

Esse é um padrão muito útil, pois permite em mockar a construção de novos objetos, além de permitir fazer programação orientada a aspectos, por exemplo, se você quiser fazer um LOG de todas as vezes em que um objeto é criado, você pode implementar a interface da fábrica de objetos, recebendo a fábrica original e implementar o LOG assim:

public class FabricaMeuObjeto : IFabricaMeuObjeto
{
    public MeuObjeto Criar(int exemploParametro)
    {
        return new MeuObjeto { Inteiro = exemploParametro };
    }
}

public class FabricaMeuObjetoLog : IFabricaMeuObjeto
{
    IFabricaMeuObjeto original;

    public FabricaMeuObjetoLog(IFabricaMeuObjeto original)
    {
        this.original = original;
    }

    public MeuObjeto Criar(int exemploParametro)
    {
        return this.original.Criar(exemploParametro);
        Log.CriarLog("MeuObjeto foi criado.");
    }
}

Na inicialização do sistema, usando algum framework de injeção de dependências:

container.Register<IFabricaMeuObjeto, FabricaMeuObjetoLog>();

Usei o SimpleInjector nesse exemplo.

Padrão Singleton

O padrão singleton é muito útil para objetos de que só se necessita de uma instância em todo o tempo de execução do programa. Sendo assim, o construtor do objeto não deve ser público, de forma a não induzir os programadores que utilizam o objeto ao erro.

O singleton é obtido de uma chamada estática, entretanto não vejo problemas em fazer esse singleton ser obtido a partir de um framework de injeção de dependências. O SimpleInjector (que é o que eu uso) suporta uma forma de injeção em que sempre é injetado o mesmo objeto, quando ele é necessário... para mim é uma boa forma de integrar dois padrões muito úteis, fornecendo a instância única através de uma interface de serviço:

public interface ISingletonService
{
    MeuObjeto PegarInstancia();
}

public interface SingletonService
{
    public MeuObjeto PegarInstancia()
    {
        return MeuObjeto.Instancia;
    }
}

public class MeuObjeto
{
    internal static MeuObjeto Instancia { get; private set; }

    static MeuObjeto()
    {
        Instancia = new MeuObjeto();
    }

    private MeuObjeto()
    {
    }
}

Na inicialização do sistema, usando algum framework de injeção de dependências, que neste caso é o SimpleInjector:

container.Register<ISingletonService, SingletonService>(Lifestyle.Singleton);

Construção com inferência de tipos genéricos

Uma utilidade que vejo para métodos de construção estáticos, é fazer inferência de tipos de um contrutor de um objeto que possui parâmetros genéricos, uma vez que o C# não aceita fazer inferência de tipos quando usando o operador new. Isso não funciona no C#:

public class MeuObjeto<T>
{
    public T Valor { get; set; }

    public MeuObjeto(T valor)
    {
        this.Valor = valor;
    }
}

...

var obj = new MeuObjeto( 1 ); // o C# não vai inferir o construtor a ser usado

Vai ocorrer o seguinte erro de compilação:

Using the generic type 'MeuObjeto' requires 1 type arguments

Para isso pode ser criado um método estático, em uma outra classe, de forma que se possa tomar vantagem da inferência de tipos para criar o objeto:

public static class MeuObjeto
{
    public static MeuObjeto<T> Criar<T>(T valor)
    {
        return new MeuObjeto<T>(valor);
    }
}

...

var objInt = MeuObjeto.Criar( 1 ); // isso funciona
var objStr = MeuObjeto.Criar( "string" ); // isso também funciona

Construção de objeto com semântica

Quando um construtor possui um significado específico, que seria melhor expresso através de um método com um nome específico, eu prefiro usar métodos de construção do que o operador new. Um bom exemplo no framework .Net é o TimeSpan, que possui vários métodos de construção estáticos, que não poderiam ser expressos usando-se construtores:

  • TimeSpan.FromDays

  • TimeSpan.FromSeconds

  • TimeSpan.FromTicks

Quando houver semântica na construção, provavelmente o nome do método não vai ser somente Criar... pois "criar" não apresenta nenhuma semântica melhor do que o próprio new.

  • Ótima explicação. Pena que meu líder não usa nenhum desses... – André Leria 4/02/14 às 15:44
1

Essa forma de trabalhar com o construtor é muito utilizado no padrão de projetos Singleton. Respondendo de fato a pergunta, não é boa prática tratar todas as classes dessa forma. Tente conversar com o seu líder e entender o porquê de fazer dessa forma.

1

Objetos Imutáveis.

O padrão para definição de objetos imutáveis normalmente é a definição de um construtor privado/protegido, a ausência de set's e a definição de construtores para o correto preenchimento da instância.

O código fica mais "estranho", mas para quem quer trabalhar com programação paralela (e objetos imutáveis são essenciais nesse modelo de programação), não existe outra forma.

Isso vale também para as linguagens híbridas, por exemplo, Scala (funcional e orientada à objetos).

Se a intenção não é trabalhar com objetos imutáveis e não existe a necessidade de uma solução de paralelismo, não vejo sentido em usar esse padrão. Objetos imutáveis tendem a diminuir os bugs de efeitos colaterais, mas exige um bom planejamento arquitetural.

Veja uma definição em Value Object

  • 3
    Como assim "não existe outra forma"? É perfeitamente possível usar um construtor com objetos imutáveis. – André Leria 3/02/14 às 13:30
  • 1
    Tanto no .NET como em outras plataformas, isso se resolve facilmente definindo setters privados (no caso de auto-propriedades) ou simplesmente não definindo setters (no caso de encapsulamento). Ainda não vejo porque não é aconselhável, ou porque não existiria outra forma. – André Leria 3/02/14 às 13:41
  • 1
    @HaßlocherMarcelo Isso nao faz sentido nenhum. Se eu quiser criar uma classe imutavel, eu crio os constructores necessarios, com os argumentos necessarios. Privatizar os constructores e criar metodos factory estaticos nao ajuda na imutabilidade da classe. – dcastro 3/02/14 às 13:58
  • 1
    @MarceloHaßlocher 1) A pergunta nao se trata de esconder "apenas do construtor padrão, sem parâmetros". Trata-se de "esconder o construtor da classe a favor de um método estático". 2) O constructor padrao, sem parametros, pode ser util para objectos imutaveis - pode inicializer o objecto com valores padrao. Imutabilidade nao tem nada a ver com esconder construtores - e muito menos com metodos estaticos. Scala, por exemplo, promove a utilizacao de objectos imutaveis e - shocker! - tecnicamente nao existem sequer metodos estaticos. – dcastro 3/02/14 às 15:04
  • 1
    Para tornar uma classe imutavel, basta apagar todos os setters (publicos ou nao) e tornar os fields privados readonly. – dcastro 3/02/14 às 15:08

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.