1

Estou a precisar que meu programa retorne um valor alto de dígitos, na casa de no máximo 40 dígitos.

Vi que o tipo DOUBLE tem uma abrangência que vai de 1.7 X 10^-308 até 1.7X10^308, por isso devo pensar que ele atende, até demais, minhas necessidades.

Mas quando esse simples programa é iniciado:

int main()
{
  double p = 1234567890123456789012345678901234567890.0;

  printf("%.0lf", p);

  return 0;
}

Ver também no Ideone

O retorno obtido será: 1234567890123456780000000000000000

Como contornar o problema em questão?

1 Resposta 1

4

Não é possível obter esta precisão com double.

Números em notação de ponto fluante como o double são excelentes para representar números muito pequenos ou números muito grandes, mas não uma mistura dos dois. Para números muito grandes, os valores de ordem de magnitude menores influenciam muito pouco no resultado das operações, sendo descartados sem grandes perdas.

Se quiser saber mais, veja sobre o padrão IEEE 754, que é o padrão que os processadores x86 implementam (acredito que ARM utiliza o mesmo padrão).

Para precisões arbitrárias é necessário utilizar uma biblioteca como a GMP (GNU Multi-Precision Library). Ela é capaz de manipular números tão grandes quanto sua memória, sejam estes números inteiros, fracionários ou de ponto flutuante.

O site da lib:

The GNU Multiple Precision Arithmetic Library

Ela suporta as principais plataformas (Windows, Mac, Linux, FreeBSD).

  • 1
    Estás respondendo pela segunda vez a mesma pergunta para o mesmo AP :-) – Caffé 28/10/14 às 16:57
  • tenho a seguinte função: code("casa") = c*26^3 + a*26^2 + s*26^1 + a*26^0 = 35620. – pcccj 28/10/14 às 17:02
  • para strings grandes, dá erro. preciso desses numeros para no fim utilizar numa funcao hash: x mod tam – pcccj 28/10/14 às 17:03
  • @Caffé para você ver como não lembro nem o que almocei! – Vinícius Gobbo A. de Oliveira 28/10/14 às 17:29
  • 1
    @pcccj Tenho até medo de perguntar, mas por que você precisa fazer isso? O que essa "função hash" faz? (i.e. para que ela serve?) Em geral, quando queremos trabalhar com dados de tamanho arbitrário, não convertemos esse dado em número primeiro e fazemos operações numéricas nele, esse seu requisito me parece um tanto inusitado... Poderia por favor contextualizar melhor? – mgibsonbr 28/10/14 às 17:41

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.