0

Estou tendo problemas para mostrar se o número é perfeito, quando coloco 6, diz que não é perfeito, e posso usar apenas ponteiro e alocação dinâmica. Alguém saberia como me ajudar?

 #include <stdio.h>
 #include <stdlib.h>
 #include <locale.h>

int perfectNumber(int fNumber) {
    int sum = 0;
    for(int i = 1; i < fNumber; ++i) {
        sum += i;
        if(fNumber % sum == 0) {
            return 0; // It's perfect
        } else {
            return -1; // it isn't perfect
        }
    }
}

int perfectVerify(int fSecondNumber) {
    if(fSecondNumber == 1) {
        return 1;
    }
    if(perfectNumber(fSecondNumber) == 0) {
        return 1;
    } else {
        return 0;
    }
}

int main()  {
    setlocale(LC_ALL, "Portuguese");

    int *number;
    number = malloc(sizeof(int));

    printf("Digite um número inteiro: ");
    scanf("%d", number);

    if(perfectNumber(*number) == 1) {
        printf("%d Um número perfeito\n", *number);
    } else {
        printf("%d Não é um número perfeito", *number);
    }

    return 0;
}
  • 1
    Seu algoritmo para verificação se o número é perfeito está errado. Você só deve somar se for um divisor e não somar todos os números. – anonimo 25/03 às 3:08
  • int sum = 0; e int i = 1; quebram a regra "posso usar apenas ponteiro e alocação dinâmica". – pmg 25/03 às 12:14
  • Te recomendo, meu caro, a fazer um teste de mesa. Tenta resolver por ti mesmo, em vez de buscar uma solução na internet, não é tão complicado. Isso te ajudará a melhorar como programador... – Leonardo Alves Machado 25/03 às 12:19
1

Segundo a Wikipedia, um número perfeito é um número natural para o qual a soma de todos os seus divisores naturais próprios (excluindo ele mesmo) é igual ao próprio número.

Por exemplo, o número 28 é perfeito, pois:

28 = 1 + 2 + 4 + 7 + 14

Assim sendo, segue uma função (testada e comentada) capaz de calcular se um número inteiro é ou não perfeito, veja só:

int eh_perfeito( int numero )
{
    int resto = 0;
    int soma = 0;
    int i = 0;

    /* Para todos os numeros entre 1 e o numero em questao menos 1... */
    for( i = 1; i <= (numero - 1); i++ )
    {
        /* Verifica se eh um divisor natural */
        resto = numero % i;

        /* Se for um divisor natural, inclui na soma */
        if(resto == 0)
            soma += i;
    }

    /* Verifica se a soma eh igual ao numero */
    if( soma == numero )
        return 1; /* Eh perfeito */

    /* Nao eh perfeito*/
    return 0;
}

Agora, vamos testar a função passando um numero inteiro que foi dinamicamente alocado, veja só:

#include <stdio.h>
#include <stdlib.h>

int eh_perfeito( int numero )
{
    int resto = 0;
    int soma = 0;
    int i = 0;

    for( i = 1; i <= (numero - 1); i++ )
    {
        resto = numero % i;

        if(resto == 0)
            soma += i;
    }

    if( soma == numero )
        return 1;

    return 0;
}

int main( void )
{
    /* Aloca memoria para acomodar o numero */
    int * pnumero = (int*) malloc( sizeof(int) );

    /* Le o numero do console */
    printf( "Digite um numero inteiro: ");
    scanf( "%d", pnumero );

    /* Verifica se eh um numero perfeito */
    if( eh_perfeito(*pnumero) )
        printf("Numero Perfeito!\n");
    else
        printf("Numero NAO Perfeito!\n");

    /* libera memoria alocada */
    free(pnumero);

    return 0;
}

Testando:

Digite um numero inteiro: 6
Numero Perfeito!

Digite um numero inteiro: 100
Numero NAO Perfeito!

Digite um numero inteiro: 101 
Numero NAO Perfeito!

Digite um numero inteiro: 99
Numero NAO Perfeito!

Digite um numero inteiro: 28
Numero Perfeito!

Digite um numero inteiro: 496
Numero Perfeito!
1

Vejamos...

Você aparenta entender bem o que é um número perfeito. Portanto, não vou me delongar nessa área.

O que vejo como problema:

  • Uso de apenas ponteiros e memória dinâmica;
  • Execução correta do algoritmo necessário;

Não há como assumir até que ponto precisa usar somente ponteiros. Vou assumir que errou apenas no ato de definir os argumentos da função - que deveriam ser ponteiros. Assim, a sum e i ficam livres para serem usados sem necessidade de alocação dinâmica por serem locais temporários e number vira ponteiro dentro das funções.

Em perfectNumber(int fNumber), o erro está em incrementar sum sempre. Você deve apenas incrementar se a divisão de resto (%) resultar em zero.

A função perfectNumber(int fSecondNumber) é desnecessária. Só a lógica contida em perfectNumber(...) já basta.

Algoritmo

Construí um algoritmo baseando-me no seu. Mudei o nome de perfectNumber para isPerfect para ficar mais elegante e lógico em uma declaração if/else. Também arrumei os problemas que apontei e adequei o código ao estilo que costumo usar por achar mais claro e enxuto.

Função isPerfect(...):

int isPerfect(int *number) {

    size_t i;   /* Boa prática para laços: usar size_t */
    int    sum;

    sum = 0;

    for( i = 1; i < (size_t) *number; ++i ) if( *number % i == 0 ) sum += i;

    if( sum == *number && *number > 0 ) return 1; /* É perfeito */
    else                                return 0; /* Não é perfeito */

}

Função main(...):

int main( void )  {

    int *number;


    setlocale(LC_ALL, "Portuguese");


    number = (int *) malloc(sizeof(int));

    printf("\nDigite um número natural: ");
    scanf("%d", number);


    if( isPerfect( number ) ) printf("%d é perfeito\n\n", *number);
    else                      printf("%d não é perfeito\n\n", *number);


    return 0;

}

Após executar o código, temos a seguinte entrada/saída:

1 não é perfeito
...
5 não é perfeito
6 é perfeito
7 não é perfeito
...
27 não é perfeito
28 é perfeito

Uma versão com entrada por meio de argumento ao programa pode ser vista aqui.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.