0

Quando mando um vetor para a função, nos argumentos.. qual a diferença entre colocar

void funcao(int vet[])

e

void funcao(int *vet)
1
  • Tenho quase certeza que é duplicata, depois analiso melhor. Essa resposta aqui acho que é um ponto de partida para entender bem o assunto pt.stackoverflow.com/a/193517/70
    – Bacco
    24/03/19 às 14:54
3

Qual é a diferença entre void funcao(int vet[]) { /* ... */ } e void funcao(int *vet) { /* ... */ }?

Absolutamente nenhuma.
As duas formas são 100% idênticas.

É de realçar que, em C, é impossível passar arrays como parametros a uma função (e que o compilador converte automaticamente para um ponteiro para o primeiro elemento). Com isso em mente, a segunda opção parece corresponder melhor à realidade.

-1

Sua pergunta é se existe diferença entre vet[] e *vet. Bom, a resposta é que nenhuma.

Segundo a apostila IME USP:

Vetores

Vetores são estruturas indexadas utilizadas para armazenar dados de um mesmo tipo: int, char, float ou double. Por exemplo, a declaração
int v[80]; /∗ declara um vetor de inteiros de nome v com 80 casas ∗/

Cada casa do vetor v (ou seja, v[0], v[1], ..., v[79]) é um inteiro. Além disso, cada casa tem um endereço associado (ou seja, &v[0], &v[1], ..., &v[79]).

Uma pergunta que poderíamos fazer é como um vetor fica armazenado na memória. A organização das variáveis na memória depende de como o sistema operacional faz gerenciamento da memória. Em geral, para ser mais eficiente, o sistema operacional tende a colocar as vari´aveis sucessivamente. Assim, a alocaçãao do vetor na memória é feita de forma sucessiva, ou seja, da maneira como ilustrada na figura acima: v[0] antes de v[1], que por sua vez antes de v[2] e assim por diante. Assim, as variveis declaradas como

int v [80]; /∗ declara um vetor de inteiros de nome v com 80 casas ∗/
int n , m;

poderiam ser alocadas de forma sucessiva como

alocação de vetores

Na linguagem C não existe verificação de índices fora do vetor. Quem deve controlar o uso correto dos índices é o programador. Além disso, o acesso utilizando um índice errado pode ocasionar o acesso de outra variável na memória. No exemplo acima, v[80] acessaria a variável n. Se o acesso à memória é indevido você recebe a mensagem “segmentation fault”.

Vetores e Ponteiros

A implementação de vetores em C está bastante interligada com a de ponteiros visando a facilitar a manipulação de vetores. Considere a seguinte declaração de variáveis:

int v[80]; /∗ declara um vetor de inteiros de nome v com 80 casas ∗/
int *p;

que aloca na mem´oria algo do tipo:

inserir a descrição da imagem aqui

Podemos utilizar a sintaxe normal para fazer um ponteiro apontar para uma casa do vetor:

p = &v [2]; /∗ p aponta para a casa de índice 2 de v ∗/

Mas podemos utilizar a sintaxe especial para ponteiros e vetores, junto com as operações para ponteiros:

  • Podemos fazer um ponteiro apontar para o início do vetor v fazendo
    p = v;

    É a única situação em que o nome do vetor tem sentido sem os colchetes. O comando acima equivale a fazer p = &v[0];

  • Podemos usar a sintaxe de vetores (nome_do_vetor[índice]) com o ponteiro. Assim, se fizermos
    p = v;
    podemos acessar o elemento que est´a na casa i de v fazendo p[i], ou seja, ambos p[i] e v[i] acessam a casa i do vetor v. Exemplo:

i = 3;
p = v ; /∗ p aponta para v[0]. Equivale a fazer p = &v[0] ∗/
p [ i ] = 4; /∗ equivale a fazer v[i] = 4 ∗/

Mas se fazemos
p = &v [3];

então, p[0] é o elemento v[3], p[1] é o elemento v[4], p[2] é o elemento v[5], e assim por diante.

  • Podemos fazer algumas operac¸˜oes com ponteiros. Considere a seguinte declaração:
int ∗p , ∗q , n , v[50];
float ∗x , y[20];
  1. Quando somamos 1 a um ponteiro para int (por exemplo, p) ele passa a apontar para o endereço de memória logo após a memória reservada para este inteiro. Exemplo, se p = &v[4], então p+1 é o endereço de v[5], p+2 é o endereço de v[6], p+i é o endereço de v[4+i].
    Dessa forma, ∗p (vai para onde o p está apontando) é o v[4]. Portanto, v[4] = 3 é a mesma coisa que fazer ∗p = 3. Como p+1 é o endereço de v[5], então ∗(p+1) é v[5]. Assim, v[5] = 10 é a mesma coisa que fazer ∗(p+1) = 10.

  2. Se somamos 1 a um ponteiro para float (por exemplo x) ele avança para o endereço após este float. Por exemplo, se x=&y[3], então x+1 é o endereço de y[4] e x+i é o endereço de y[3+i].

  3. Somar ou subtrair um inteiro de um ponteiro:

p = &v [22]; q = &v [30];
p = p − 4 ; q++;
∗( p+2) = 3 ; ∗q = 4;

Qual índice de v recebe 3? Qual índice de v recebe 4?1

Subtrair dois ponteiros:

p = &v [20]; q = &v [31];
n = q − p ; /∗ número inteiro : a diferença entre os índices, neste caso, 11. ∗

Fonte: IME.USP

1
  • 1
    E qual é a sua conclusão sobre as diferenças das declarações?
    – Woss
    24/03/19 às 15:08

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.