0

Modelando um projeto associei uma entidade Endereco na Raiz de Agregação Cliente. Até aí tudo bem. Contudo, verifiquei posteriormente que outras entidades ou raízes de agregação como Empresa e Fornecedor também precisam de endereço na sua composição. Sendo assim, a dúvida que tenho é como utilizar a mesma entidade Endereço para atender a todas entidades que necessitem dela? Obs: a modelagem que estou fazendo é baseada nos conceitos de DDD.

  • Qual linguagem você esta utilizando? Como está seu código? – Vinicius Fernandes 21/03 às 1:49
1

tl;dr

Você modelou a entidade Endereço como entidade filha de Cliente, porém ela é apenas uma entidade relacionada.

Entendendo o que é um endereço

Normalmente, quando estou desenhando um conceito, sinto a necessidade de ser cético sobre ele, ou seja, por em dúvida aquilo que conheço dele. Assim, geralmente acabo descobrindo algo novo que muda o design.

Dito isto, o melhor a se fazer é compreender como os Correios identificam um endereço. O que reproduzo abaixo para fins históricos:

  1. Nome do destinatário
  2. Nome do logradouro (uma rua ou avenida), número da residência, complemento (geralmente um número de apartamento)
  3. Nome do bairro (opcional)
  4. Nome da cidade e nome do estado
  5. CEP.
  6. Latitude e Longitude

O item 1 nós normalmente atribuímos a outra entidade, como, no seu caso, Cliente, Empresa e Fornecedor. Já o item 6 é imutável porque uma latitude e longitude diferentes representam um endereço/local diferente.

Com relação aos itens que vão de 2 a 5, todos podem ser alterados. Exemplos:

  • O nome de um logradouro (que foi escrito incorretamente no sistema ou que foi alterado pela prefeitura)
  • Um bairro que foi criado
  • Um distrito que se tornou uma nova cidade
  • O formato do CEP, que foi alterado em 1992.

Em qualquer um dois exemplos acima nós, desenvolvedores e usuários, queremos que, uma vez que um atributo tenha sido alterado, o novo valor seja aplicado para todos que utilizam aquele atributo. Ou seja, se uma rua trocou de nome, o desejável é que o novo nome seja aplicado a todos os clientes e fornecedores que residam lá.

Isso nos mostra que um endereço tem um ciclo de vida e que, se um de seus atributos mudar, ele ainda pode ser o mesmo endereço. Logo, endereço é uma entidade, não um objeto de valor.

Entidades filhas e entidades relacionadas

Entidades filhas são aquelas cujo ciclo de vida está diretamente ligado ao da entidade pai, como, por exemplo, um projeto e uma tarefa (task). Uma terefa existe apenas dentro de um projeto e, quando um projeto é deletado, a tarefa também é.

Entidades relacionadas são aquelas que estão ligadas a outras entidades mas tem um ciclo de vida independente, como, por exemplo, endereços.

Referência

Por fim, um agregado pode conter entidade pai, entidades filhas e objetos de valor. Um agregado não deve conter entidades relacionadas.

  • Olá Tobias, na verdade eu tenho no banco de dados apenas uma tabela chamada Endereco e na aplicação a sua modelagem. Acho que me expressei mal quando disse "...como utilizar a mesma entidade Endereço para atender a todas entidades". Eu gostaria de ter uma só tabela no banco e nela guardar endereços vindo de todos os lugares possíveis (contudo cada endereço pertencente a um dono que pode ser uma empresa, um cliente, um fornecedor, etc)... meu raciocínio é adequado ou tem uma foma mais elegante de normalizar esse cenário?... – Marcelo Almeida 21/03 às 23:44
  • @MarceloAlmeida está tudo certo, o que você comentou agora é o mesmo que eu havia compreendido da sua pergunta inicial. O seu caso de uso é o que eu descrevi no terceiro paragrafo da minha resposta. O banco de dados está certo, o que precisa mudar é a arquitetura do seu código: coloque a entidade Endereço no mesmo nível hierarquico de Cliente e acesse Endereço através do repository de Cliente (i.e. não utilize seu ORM para acessar Endereço diretamente de Cliente, caso seu ORM seja Active Record) – Tobias Sette 23/03 às 4:33
  • @MarceloAlmeida editei a resposta para dexá-la mais clara. Veja se tens alguma dúvida. – Tobias Sette 29/03 às 21:53
0

Pode sim, a classe endereço irá usar a convenção de ValueObject em um diretório dentro do seu domínio. Porém seria correto você persistir (banco de dados) em tabelas separadas e relacionadas em seu respectivos domínios ou até mesmo utilizar as tabelas da entidades principais da agregação. O ValueObject é imutável, então por exemplo, ao adicionar um novo endereço você deverá remover o atual e adicionar o novo, para isso é "permitido" criar comportamentos que lhe auxiliam nesse cenário e os mesmos só podem ser acessados da entidade root da agregação que a utiliza.

Material para conhecimento:

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.