-1

Quando uso o try e coloco 3 operações, se a primeira dá errado ele já passa pro except. Tem alguma maneira de "melhorar" isso fazendo com que ele pule para a próxima ação? Não da pra fazer um código onde tem try em toda instrução.

  • para você não receber pontos negativos, melhore ao máximo sua pergunta, dê exemplos, tentativas, demonstre o erro, fazer uma boa formatação em suas perguntas é essencial para ter votos positivos e também para os usuários te ajudarem! – Magno 10/03 às 0:43
2

Não é possível o try continuar na próxima linha, depois de um erro, pelo simples motivo de que a linguagem não tem como adivinhar o que fazer depois de um erro. O programador descreve o comportamento depois de um erro na cláusula except.

Se você tivesse dado um exemplo do que quer, ficaria mais fácil ilustrar - mas deve ser bem difícil dar um exemplo disso, já que nem faz sentido no mundo real: em Python, bem como em outras linguagens imperativas, o programa é executado de forma sequêncial - uma linha depende das linhas que rodaram antes dela no mesmo bloco (função, laço, etc...) se algo deu errado nas linhas anteriores, a linguagem não tem como adivinhar o que fazer a seguir (mesmo que o que você queira seja sempre ignorar o erro).

Você não deu nenhuma dica do tipo de programa que está tentando fazer - então também não é possível dar muitas sugestões do que você pode fazer para: ou não precisar de uma cláusula try...except a cada linha, ou a cada duas três linhas, ou, como refatorar o seu código de forma que um padrão que repita instruções críticas depois de um erro seja re-escrito com blocos try/except que sejam reutilizáveis.

Essa segunda coisa - refatorar para um try/except ser usado em várias situações, pode ser usada dentro de um while por exemplo - ou, dentro de uma função que receba "o que perguntar" e "o que fazer com a resposta" - então, em vez de, para cada questão você ter um bloco:

try:
    print("Pergunta...")
    resposta_bruta = input("...")
    resposta_tratada = float(resposta_bruta)
except TypeError:
    print("Por favor, entre uma resposta numérica...")
try:
    print("Pergunta 2...")
    resposta2_bruta = input("...")
    resposta2_tratada = resposta_bruta.split()[1]
except IndexError:
    print("Por favor, entre uma resposta com pelo menos um espaço...")

perceba que (1) a linguagem não tem como adivinhar o que você quer fazer se der erro - se quer repetir, ou passar pra próxima pergunta, e (2) essa forma linear não permite nem a repetição da pergunta em caso de erro (a não ser que você repita o input dentro do próprio except, mas aí se a resposta continuar incorreta, você tem que colocar outro try/except dento do except, ad infinitum.

Se você em vez disso faz uma função que receba como parâmetros o que muda de uma pergunta pra outra, a própria função pode fazer não só a captura do erro, como também repetir a pergunta se algo der errado:

def pergunta(texto, transformacao, erro_esperado, mensagem):
    while True:
        print(texto)
        resp_bruta = input()
        try:
             resp = transformacao(resp_bruta)
        except erro_esperado:
             print(mensagem)
        else:
             # Cláusula "else" do "try/except",  só é executada se
             # não ocorreu nenhum erro
             break  # Este comando encerra o "while True"

        return resp

pergunta("Entre com a medida", float, TypeError, "por favor, digite um número para a medida")
pergunta("Bla bla bla", lambda x: x.split()[1], IndexError, "por favor, inclua pelo menos um espaço")
...

Pronto, agora seu programa chama essa função para cada pergunta - só há um "try/except" no programa todo, mesmo que ele tenha 100 perguntas, e mais ainda, está codificado o que deve ser feito em caso de erro (re-apresentar a pergunta).

Na pergunta você sugere "três operações": vocẽ pode usar a mesma ideia, e executar as operações em si dentro de uma função que receba a operação como parâmetro - basta aproveitar a capacidade da linguagem de passar uma função como parâmetro - e , se for uma única expressão, ela pode ser como uma função lambda, como fiz no exemplo acima.(O mesmo padrão funciona, você só não precisa incluir o "while True" para retentativa. Mas perceba que no caso de falha, a função vai ter que retornar algum valor que vai ficar na sua variável, de qualquer forma - não é possível simplesmente "ignorar o erro" e deixar a variável indefinida.

Então, se sua estrutura onde você não quer deixar três blocos de "try/except" for assim:

try:
   op1 = <expressão que realiza cálculos e pode dar erro>
   op2 = <expressão que realiza cálculos e pode dar erro>
   op3 = <expressão que realiza cálculos e pode dar erro>
except ...:
   ...

dá para fazer:

def reactor(operacao, default=None):
    try:
        return operacao()
    except Exception:
        return default

op1 = reactor(lambda: <expressão que realiza cálculos e pode dar erro>)
op2 = reactor(lambda: <expressão que realiza cálculos e pode dar erro>)
op3 = reactor(lambda: <expressão que realiza cálculos e pode dar erro>)

Perceba que a linguagem tem características de introspecção tão poderoasas que até seria possível criar um decorador que modificasse uma função automaticamente para ela ter automaticamente um try/except em volta de cada linha - e ignorar qualquer erro e continuar na próxima linha. Só que isso não faria sentido - por que no final das contas, no final de uma função, se algum erro ocorreu, a resposta da função não está correta.

1

@RetroNietzsche Acredito que deva ser sua sintax que esteja errado, tentei reproduzir o seu problema e não aconteceu comigo:

try:
    pergunta = input('Quantos anos tem? ')
    if pergunta == 'aaa':
        print('Resposta inválida: aaa')
    if pergunta == 'bbb':
        print('Resposta inválida: bbb')
    if pergunta == 'ccc':
        print('Resposta inválida: ccc')
except KeyboardInterrupt:
    print('Processo interrompido!')

É um exemplo bem simples, mas acredito que deve lhe servir de exemplo.


A ideia do try, except é testar pontos críticos do código, ou seja, lugares que onde há grande possibilidade de erros.

Seguindo o que você disse, acredito que não tenha como, pois a cada erro terá de ter uma except

try:
    print(oi)
except:
    print('1º erro')

try:
    print('oi')
except:
    print('2º erro')

try:
    print(OI)
except:
    print('3º erro')

try:
    print('OI')
except:
    print('4º erro')

Estrutura do tratamento de erro:

try:
    código a tentar
except AlgumaExcecao:
    código a executar no caso da exceção
else:
    código a executar caso não ocorra exceção em try
finally:
    código que é executado sempre, independente de haver uma exceção em andamento ou não

Neste link você encontra um pouco mais de informação e exemplos.

  • Magno, cara, iae ! Acho que não fui muito claro. – RetroNietzsche 10/03 às 1:15
  • try: print(oi) print('oi') print(OI) print('OI') except Exception as e: print(e) Vai dar pau logo na segunda linha, acusando erro de variável não definida. Ele não vai printar "oi" e "OI", por exemplo. Quero saber se tem como "otimizar" o try pra durante um bloco de instruções, se uma estiver incorreta, ele tentar efetuar a próxima. – RetroNietzsche 10/03 às 1:18
  • @RetroNietzsche entendi o que quis dizer agora, editei minha resposta, dê uma olhada com calma, possa ser que tenha algum outro usuário que saiba mais informações para te passar. – Magno 10/03 às 2:12
  • Mas para isso edite sua pergunta pois isso irá ajudar o pessoal a entender melhor sua dúvida, dê exemplos, use o poder do Markdown para editar seu post! – Magno 10/03 às 2:13
1

Acredito que a estrutura que esteja citando, possa ser algo como:

def acao(n):
    if n == 2:
        raise ValueError('n == 2')

try:
    acao(1)
    acao(2)
    acao(3)
except ValueError:
    pass

Onde a função acao com parâmetro n=2, dispara uma exceção.

O tratamento de exceção, na ciência da computação, é o mecanismo responsável pelo tratamento da ocorrência de condições que alteram o fluxo normal da execução de programas de computadores. 1

Ou seja, pensando em controle de fluxo, o tratamento de exceção, desvia o fluxo normal de execução.

Como se o código acima pudesse ser representado:

acao = lambda n: n != 2
if acao(1):
  if acao(2):
     acao(3)

Creio que deseje um fluxo contínuo, onde acao(3) seja executado independente do resultado de acao(2): acao(1); acao(2); acao(3);

Falando especificamente do primeiro exemplo, creio que uma boa solução seja um wrapper para a função como:

def safe_acao(n):
    try:
        acao(n)
    except ValueError:
        return False
    else:
        return True

sucedidos = list(map(safe_acao, [1, 2, 3]))

Pensando em um catcher geral, onde todas as exceções poderiam ser direcionadas, o mesmo não é possível em Python, mas muitas formas fazendo uso dos decorators podem ser encontradas, uma delas até mais parecido com uma brincadeira. 5 6 7

Por isso, lembrem-se, as exceções são fundamentais, bem como seu correto tratamento. Todo e qualquer sistema está sujeito a elas, já que seus recursos são limitados (e.g. memória, disco, ...). 8

Vale aqui citar a abordagem EAFP (É mais fácil pedir perdão do que permissão), em contraste à LBYL (Olhe antes de pular), mas não vou entrar em detalhes. 9

Das diversas maneiras, dê preferência a uma que faça uso de logging, como por exemplo: https://gist.github.com/diosmosis/1148066

Ainda, me chamou a atenção o uso do suppress da contextlib, conforme resposta.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.