5

Gostaria de um exemplo real, não necessariamente de código, sobre quando utilizar o MemoryCache em sistemas Web. Que tipos de situação pedem por seu uso?

Um pouco de contexto: participei de uma entrevista em que me fizeram essa pergunta e eu não soube responder, pois nunca fiz nenhum tipo de caching. Nos sistemas em que já dei manutenção praticamente todas as consultas eram feitas diretamente no banco de dados. Embora o volume de informações fosse grande, nunca tivemos problemas com performance, e o que tínhamos era resolvido com índices ou outras soluções diretamente no banco, mas nunca na aplicação em si.

  • 1
    bom dia, geralmente em aplicações onde retornam uma grande massa de dados de informações de conta de acesso do usuário onde não tem a precisão de ir no banco a todo momento estar buscando informação do usuário, podemos estar usando um MemoryCache para estar guardando os dados na aplicação – elirweb 22/02 às 13:35
4

A pergunta é um pouco ampla, mas vamos lá.

Imagino que já leu a documentação dele. Pelo menos é isto que o programador faz quando vê algo novo que não conhece e deseja saber mais. Não vou falar o que já está lá, não parece ser o foco.

Cache é uma das estratégias mais importantes e mais usadas para fazer dados serem acessados mais rapidamente. Cache é mais simples do que as pessoas imaginam. Você fazer um cálculo e guardar em uma variável está fazendo cache. Quer mais simples que isto? Claro, aqui estamos falando de um mecanismo um pouco mais sofisticado.

Cache é extramente complicado conforme vai saindo do trivial, principalmente quando precisa decidir sobre invalidação dele. Mas cache é apenas uma forma de entregar uma informação de um jeito mais rápido que a forma tradicional, não importa muito como. Um exemplo seria a memoização que é o padrão de projeto básico usado em grande parte dos mecanismos de cache.

Você pode ter vários níveis de cache na aplicação e no entorno dela. Pode ter algo que faz parte da sua aplicação ou que é feito por terceiros em infraestrutura que você usa direta ou indiretamente, algo de hardware ou software. Saber escolher quais usar e quais são exagero é uma arte. Alguns você não escolhe, existe e boa. Como é muito complicado fazer certos caches é melhor usar algum mecanismo pronto em boa parte dos casos.

Então a pergunta é mais embaixo, é quando usar o cache. Quando ele for necessário então o MemoryCache deve ser sua escolha (mas pode ter outros níveis de cache fora da sua aplicação). Ele será correto, tem a forma que provavelmente é mais eficiente, controles de concorrência e principalmente já deve ter uma ou mais estratégias de invalidação que funcionam razoavelmente bem na maioria das situações. E uma das coisas mais importantes é ter um monitoramento para invalidar sob demanda, que é uma das invalidações mais consistentes que existe (com vantagens e desvantagens).

O exemplo real depende da situação, por isso é muito difícil colocar um exemplo. De qualquer forma não importa o mecanismo, importa entender todo o processo de desenvolvimento de software para absorver sobre a necessidade de cache. Não tem uma resposta mágica, a não ser que deve usar quando precisar de mais performance e um teste mostrar que o cache resolve parcial ou totalmente. Não existe nenhuma situação que dá para dizer que deve usar sempre ou deve usar nunca, inclusive porque o mesmíssimo problema pode mudar se o volume mudar.

Existem problemas que o cache ajuda pouco ou nada ou atrapalha. Se você tem acesso raro ao mesmo dado o cache é só um estorvo. Somente o padrão de repetição do acesso aos mesmos dados várias vezes é que te dá vantagem clara.

respondi sobre para PHP, continua válido aqui.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.