2

Para realizar testes unitários utilizando o método assertThat no JUnit, é preciso passar um objeto Matcher como parâmetro.

public void assertThat(Object o, Matcher matcher){
        ...
}

Um exemplo de uso passando uma expressão:

@Test
public void testWithMatchers() {
    assertThat("1991", is("2019"));
}

Em relação a isso, eu gostaria de saber o seguinte:

  • Por que é necessário utilizar o Matcher?
  • Quais as vantagens de utilizá-lo?
2

Fiz os testes abaixo com Java 8, JUnit 4.12 e hamcrest-all 1.3


A princípio parece que usar assertThat não seria necessário, já que é possível obter resultados similares com os demais métodos assertXXX. Exemplos:

// são equivalentes
assertThat("1991", is(algumValor)); // sendo que algumValor é uma String
assertEquals("1991", algumValor);

// são equivalentes
assertThat("1991", is(not("2019")));
assertNotEquals("1991", "2019");

Mas há algumas vantagens em usar assertThat. Suponha que eu tenho uma lista de String e um dos testes verifica se ela contém dois elementos específicos:

List<String> list = Arrays.asList("abc", "def", "ghi");
assertTrue(list.contains("abc") && list.contains("xyz"));

Apesar de não ser um código tão complicado de entender, a versão com assertThat e o uso do matcher org.hamcrest.core.IsCollectionContaining (que possui o método hasItems) deixa o código mais legível e expressivo (pelo menos para quem sabe inglês):

// é quase uma frase em inglês (verifique se a lista tem os itens "abc" e "xyz")
assertThat(list, hasItems("abc", "xyz"));

Outra vantagem é a mensagem de erro, caso o teste falhe. Enquanto assertTrue só me deu um AssertionError (sem nenhuma mensagem adicional, somente a linha que falhou), o assertThat deu esta mensagem:

java.lang.AssertionError: 
Expected: (a collection containing "abc" and a collection containing "xyz")
     but: a collection containing "xyz" was "abc", was "def", was "ghi"

Bem mais detalhada, descrevendo exatamente o problema (era esperado uma collection contendo "abc" e "xyz", mas ela só tinha "abc", "def" e "ghi").

Outro exemplo:

import static org.hamcrest.core.AllOf.allOf;
import static org.hamcrest.number.OrderingComparison.greaterThan;
import static org.hamcrest.number.OrderingComparison.lessThan;

int x = 5;
assertThat(x, allOf(greaterThan(1), lessThan(3)));

allOf recebe uma lista de matchers e verifica se todos são válidos. No caso, eu usei greaterThan e lessThan, ou seja, eu verifico se o número é maior que 1 e menor que 3. Como eu testei o valor 5, o resultado é um AssertionError com a mensagem:

java.lang.AssertionError: 
Expected: (a value greater than <1> and a value less than <3>)
     but: a value less than <3> <5> was greater than <3>

Eu poderia fazer também:

assertTrue(5 > 1 && 5 < 3);

Mas novamente, o AssertionError não me dá uma mensagem descritiva, apenas a linha que deu o erro. E a versão com assertThat e os matchers torna o código mais próximo da linguagem natural (ou mais "expressivo", "legível", etc). Claro que isso depende da opinião de cada um, mas acho positivo você poder escolher a opção que achar melhor.


Além de poderem ser encadeados e combinados, como mostrado nos exemplos acima, ainda há a possibilidade de criar seu próprio matcher, caso seja necessário fazer alguma validação mais complexa e/ou específica, por exemplo.

A documentação sugere que se crie uma subclasse de org.hamcrest.TypeSafeMatcher, que verifica se o valor sendo testado não é nulo e faz o cast para o respectivo tipo. Exemplo:

import org.hamcrest.Description;
import org.hamcrest.TypeSafeMatcher;

public class MyMatcher extends TypeSafeMatcher<String> {
    @Override
    protected boolean matchesSafely(String item) {
        // aqui pode ter o critério que você quiser
        // retorna true ou false, indicando se a String é válida ou não
    }

    @Override
    public void describeTo(Description description) {
        // coloque uma mensagem bem descritiva aqui
        description.appendText("não passou nos critérios");
    }

    public static MyMatcher criterioXyz() {
        return new MyMatcher();
    }
}

E para usá-lo:

import static br.tests.MyMatcher.criterioXyz;

assertThat("string", criterioXyz());

Obviamente criterioXyz() deve ser substituído por um nome mais significativo que indique o que o matcher está verificando.


Claro que é possível fazer a mesma verificação usando os outros métodos assertXXX. Fica a seu cargo decidir se a complexidade extra dos matchers é um preço justo a se pagar para aumentar a legibilidade do código, além de ter mensagens de erro mais descritivas e a possibilidade de criar seus próprios matchers (este último item confesso que nunca precisei usar, mas pode ser que você precise e ache que vale a pena usar).

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.