7

Como é possível, no R, aplicar várias funções ao mesmo objeto?

Exemplo:

Digamos que eu tenha um vetor x.

set.seed(123)
x <- rnorm(10)
x
# [1] -0.56047565 -0.23017749  1.55870831  0.07050839  0.12928774
# [6]  1.71506499  0.46091621 -1.26506123 -0.68685285 -0.44566197

E eu preciso aplicar um série de funções sobre este vetor. Digamos, apenas para fins de exemplo que estas funções fossem: média, desvio padrão, mínimo e máximo.

A forma mais ingênua de fazer isso é chamar cada função separadamente.

mean(x)
# [1] 0.07462564
sd(x)
# [1] 0.9537841
max(x)
# [1] 1.715065
min(x)
# [1] -1.265061

Como eu poderia abstrair esses quatro chamados por apenas um que fosse mais flexível?

Edição

A ideia é as funções aplicadas possam ser definidas na hora, excluindo a função min() ou adicionando a função median(), por exemplo, conforme a necessidade do momento.

Um map aplica uma função a vários valores. A dúvida aqui é como fazer o contrário, como aplicar várias funções em um valor.

7

A função R base Map pode fazer o que quer.
Primeiro vou refazer os dados, uma vez que também vou usar uma lista de vetores, não só uma lista de funções.

set.seed(123)
x <- rnorm(10)
y <- x
is.na(y) <- sample(10, 3)

Agora, o Map vai aplicar várias funções aos vetores x e y, um de cada vez.

Map(function(f, x, ...){f(x, ...)}, list(mean, sd, median), list(x), na.rm = TRUE)
Map(function(f, x, ...){f(x, ...)}, list(mean, sd, median), list(y), na.rm = TRUE)

Isto pode ser escrito numa função mais geral, que permita como segundo argumento uma lista de vetores.

MapFuns <- function(fun.list, object, ...){
  if(is.list(object)){
    lapply(object, function(x)
      Map(function(f, x, ...){f(x, ...)}, fun.list, list(x), ...)
    )
  }else{
    Map(function(f, x, ...){f(x, ...)}, fun.list, list(object), ...)
  }
}

flist <- list(mean, sd, median)
MapFuns(flist, x)
MapFuns(flist, list(x, y))
MapFuns(flist, list(x, y), na.rm = TRUE)

E também resulta com objetos mais complexos.

df1 <- data.frame(A = rep(c("a", "b"), 5), X = rnorm(10))
df2 <- data.frame(A = rep(c("a", "b"), 5), X = rnorm(10))

groupMean <- function(DF){
  tapply(DF[[2]], DF[[1]], mean, na.rm = TRUE)
}

groupMean2 <- function(DF){
  aggregate(DF[[2]], by = list(DF[[1]]), mean, na.rm = TRUE)
}

MapFuns(list(groupMean, groupMean2), list(df1, df2))
5

Dentro do é possível invocar várias funções com invoke_map() e seus variantes.

O invoke_map tem três componentes básicos:

  1. .f: Uma lista com as funções (os objetos mesmo e não seus nomes como string) que serão invocadas
  2. .x: Uma lista com os objetos que serão passados para cada função. Caso .x seja uma lista de tamanho um, ela é reciclada e todas as funções são aplicadas a ela.
  3. ...: Outros argumentos que possam ser passados às funções.

Dessa forma temos, por exemplo

set.seed(123)
x <- rnorm(10)
funcoes <- list(media = mean, maximo = max)

library(purrr)

invoke_map(funcoes, list(x))
# $`media`
# [1] -0.5604756

# $maximo
# [1] 1.715065

Neste sentido, invoke() é o contrário de map().

As funções tipo invoke_map_* tem as mesmas variações que as map_* que fazem a coerção da saída para aquele tipo. Assim é possível converter o resultado num vetor numérico ou numa tabela, por exemplo, da forma que segue.

invoke_map_dbl(funcoes, list(x))
#      media     maximo 
# -0.5604756  1.7150650 

invoke_map_df(funcoes, list(x))
# # A tibble: 1 x 2
#    media maximo
#    <dbl>  <dbl>
# 1 -0.560   1.72

Usado o vetor proposto pelo @Rui, é possível demonstrar duas formas de passar os argumentos para invoke_map(). Na primeira delas, o argumento na.rm é incluído via .... Na segunda ele é oferecido dentro da lista de argumentos que serão passados, ou seja, no .x.

y <- x
is.na(y) <- sample(10, 3)

invoke_map(funcoes, list(y), na.rm = TRUE)
# $`media`
# [1] -0.5604756
# 
# $maximo
# [1] 1.558708

invoke_map(funcoes, list(list(x = y, na.rm = TRUE)))
# $`media`
# [1] -0.1061246
# 
# $maximo
# [1] 1.558708
  • Por que fez a pergunta se já sabia a resposta? – JdeMello 7/02 às 16:55
  • 1
    Por que outras pessoas podem ter a dúvida. Assim vamos produzindo material sobre R em português para futuros leitores – Tomás Barcellos 7/02 às 16:56
  • 1
    Eu não teria respondido caso alguém tivesse apresentado o purrr. Sei que a comunidade tem pessoas que conhecem o pacote melhor que eu e poderiam ter respondido a questão – Tomás Barcellos 7/02 às 16:58
  • 1
    Além disso, essa resposta só complementa as demais com outra abordagem – Tomás Barcellos 7/02 às 16:59
  • 3
    @JdeMello leitura recomendada: Discussão no Meta sobre Responder sua própria pergunta – Bacco 7/02 às 17:33
4

É só criar uma function utilizando a função combine (c):

fun1<-function(x){
    c(mean=mean(x),sd=sd(x),min=min(x),max=max(x))
}

Para, após, aplicar essa function sobre o objeto desejado:

fun1(x)
       mean          sd         min         max 
 0.07462564  0.95378405 -1.26506123  1.71506499 

Ponto importante:

E se no objeto existir missings (NA)? Nesta situação, tal função não se aplicaria (nem mesmo funções anônimas funcionariam):

y<-c(2,3,NA,5,6,7,8,NA)

mean(y)
[1] NA
sd(y)
[1] NA
min(y)
[1] NA
max(y)
[1] NA

fun1(y)
mean   sd  min  max 
NA   NA   NA   NA

Quando isso ocorre, deve-se inserir o argumento na.rm=TRUE.

mean(y,na.rm=TRUE)
[1] 5.166667

Dentro da function, o ajuste poderia ser feito assim:

fun2<-function(x){
  funs=c(mean=mean,sd=sd,min=min,max=max)
         lapply(funs,function(f)f(x,na.rm=TRUE))
}

fun2(y)    

$`mean`
[1] 5.166667

$sd
[1] 2.316607

$min
[1] 2

$max
[1] 8

Ou, use sapply para emitir um vetor como resultado:

fun3<-function(x){
  funs=c(mean=mean,sd=sd,min=min,max=max)
         sapply(funs,function(f)f(x,na.rm=TRUE))
}

fun3(y)
mean       sd      min      max 
5.166667 2.316607 2.000000 8.000000 
  • Obrigado pela resposta, Mas vou editar a pergunta. Pelo jeito não deixei claro que as funções elencadas são só exemplos. A ideia é que as funções entrem como argumento da função. – Tomás Barcellos 7/02 às 14:35
  • O que desejo é um function operator – Tomás Barcellos 7/02 às 14:47
4

Podemos criar uma função usando como argumento uma ellipsis (...).

set.seed(123)
x <- rnorm(10)

myFun <- function(x, ...){
  funs <- list(...)
  res <- vector("list", length = length(funs))
  for(i in seq_along(funs)){
    f <- match.fun(funs[[i]])
    res[[i]] <- f(x)
    rm(f)
  }
  rm(i)
  names(res) <- unlist(funs)
  return(res)
}

Um exemplo:

> myFun(x, "mean", "median", "sd", "max", "min", "round")
$`mean`
[1] 0.07462564

$median
[1] -0.07983455

$sd
[1] 0.9537841

$max
[1] 1.715065

$min
[1] -1.265061

$round
 [1] -1  0  2  0  0  2  0 -1 -1  0

Em myFun, o argumento ... pode receber diversos argumentos dentro dele. Para poder usar os argumentos em ..., crie uma lista com tais argumentos em ...:

myFun <- function(x, ...){
  funs <- list(...) # passe para uma lista
  return(funs)
}

Veja que nessa versão parcial de myFun, o objeto a ser retornado será uma lista com os argumentos dados em ...:

> myFun(x, "a", "b", mean)
[[1]]
[1] "a"

[[2]]
[1] "b"

[[3]]
function (x, ...) 
UseMethod("mean")
<bytecode: 0x000000000cc43678>
<environment: namespace:base>

Agora o problema é em usar esses objetos na lista para fazer as operações necessárias. No caso da sua pergunta, você quer fazer operações em x baseado nos argumentos dados em ... que por sua vez são funções. Isso é feito com a função match.fun():

Description

When called inside functions that take a function as argument, extract the desired function object while avoiding undesired matching to objects of other types.

Essa função é feita para ser usada dentro de outra função, uma vez que:

match.fun is not intended to be used at the top level since it will perform matching in the parent of the caller.

na.rm = T

Caso você queira usar argumentos opcionais nas funções contidas em ... como na.rm = T, podemos construir uma condição em if dentro do loop:

myFun <- function(x, ..., na.rm = F){
  funs <- list(...)
  res <- vector("list", length = length(funs))
  for(i in seq_along(funs)){
    f <- match.fun(funs[[i]])
    res[[i]] <- try(f(x, na.rm = na.rm), silent = T) # executar função com argumento na.rm
    if(inherits(res[[i]], "try-error")) res[[i]] <- f(x) # em caso de erro, re execute-a sem o argumento na.rm...
    rm(f)
  }
  rm(i)
  names(res) <- unlist(funs)
  return(res)
}

x <- c(x, NA)

Resultado:

> myFun(x, "mean", "round")
$`mean`
[1] NA

$round
 [1] -1  0  2  0  0  2  0 -1 -1  0 NA

> myFun(x, "mean", "round", na.rm = T) # com na.rm =T 
$`mean`
[1] 0.07462564

$round
 [1] -1  0  2  0  0  2  0 -1 -1  0 NA

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.